Afinal o bom colesterol pode aumentar o risco de ataque cardíaco

Um novo estudo da Universidade de Cambridge mostrou que algumas pessoas com níveis naturalmente altos de HDL, o chamado “bom colesterol”, estão em maior risco de ataque cardíaco.

Os médicos agora estão a questionar-se acerca dos efeitos do uso de medicamentos para aumentar os níveis de HDL em terapias destinadas a reduzir o risco de doenças cardíacas.

Durante décadas, foi transmitida a ideia de que, a bem da nossa saúde, devíamos evitar alimentos ricos em colesterol LDL – por exemplo, manteiga, bacon, banha de porco, óleo de palma – e comer alimentos que aumentam o “bom” colesterol HDL – por exemplo, nozes, peixe, azeite, abacate.

A verdade, no entanto, pode ser muito mais complicada do que isso.

Para uma parte da população, o “bom” colesterol pode na realidade aumentar o risco de doenças cardíacas.

O novo estudo, publicado a semana passada na revista Science, é mais uma prova de que a ligação de causalidade entre a doença cardíaca e colesterol é fraca, e que há outras questões importantes a considerar.

A investigação representa mais um argumento para reflectir sobre o uso de medicamentos que aumentam o HDL, como o torcetrapib, para tratar doenças cardíacas.

Ao longo dos últimos anos, inúmeros ensaios clínicos têm mostrado, repetidamente, que estas drogas simplesmente não funcionam como prescrito.

Simplesmente, não há “bom” colesterol

Os investigadores estudaram quase mil indivíduos com uma mutação num gene chamado SCARB1. Esta falha genética afecta cerca de 1 em cada 1.700 pessoas, e aumenta os níveis de colesterol bom.

Portanto, em teoria, essas pessoas deveriam estar naturalmente bem equipadas para evitar doenças cardíacas.

No entanto, de acordo com a análise, na verdade têm um risco aumentado (em 80%!) de doenças cardíacas.

Este é o mesmo nível de risco cardíaco associado com o tabagismo.

“Descobrimos que as pessoas que transportam uma mutação genética rara que causa níveis mais elevados de ‘bom’ colesterol estão, de forma inesperada, em maior risco de doença cardíaca”, observou o autor principal do estudo, Adam Butterworth, em comunicado.

As descobertas sugerem que a forma como o HDL é tratado no corpo é mais importante do que simplesmente os níveis da substância no sangue.

Para alguns médicos, como o cardiologista Tim Chico, da Universidade de Sheffield, que não esteve envolvido no estudo, a nova pesquisa não é uma surpresa.

“Apesar de haver drogas que podem aumentar os níveis de HDL, elas não reduzem o risco de doença cardíaca”, explica TIm Chico ao Gizmodo.

Já as estatinas, que reduzem o colesterol ‘mau’, são claramente benéficas em pessoas com risco alto de doença cardíaca”, acrescenta.

E a razão é simples: o mau colesterol continua a ser mau.

ZAP / HypeScience

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. mais uma notícia sensacionalista e enganadora
    só aumenta o risco nessas pessoas raras com essa deficiência genética!

RESPONDER

Centeno apela a uma utilização "sensata" da bazuca europeia

Mário Centeno, Governador do Banco de Portugal, disse ao FMI que apenas os  investimentos que forem produtivos irão assegurar que a dívida com que os estados se encontram não se transforme numa nova crise financeira. De …

Ministros selam acordo sobre reforma da Política Agrícola Comum

Os ministros da Agricultura da União Europeia chegaram a acordo sobre a reforma da Política Agrícola Comum (PAC). Seguem-se agora as negociações com o Parlamento Europeu. Os ministros da Agricultura da União Europeia chegaram esta quarta-feira …

Só 17% dos portugueses diz que abertura das escolas correu mal (e maioria quer teletrabalho obrigatório)

Uma sondagem da Intercampus feita para o Jornal de Negócios e Correio da Manhã revela que, cerca de um mês depois da reabertura das escolas, 42% dos portugueses entendem que o processo “decorreu de forma …

Espanha vai tornar máscaras mais baratas graças a Portugal

Espanha vai reduzir o preço das máscaras após um cidadão espanhol ter despoletado a discussão após comparar com o preço em Portugal. Uma única máscara em Espanha chegava aos 96 cêntimos. Em Espanha, uma máscara pode …

Austeridade ajudou a conter efeitos da pandemia. Crise será um "choque", mas vai "criar oportunidades"

A crise pandémica "será um choque para as economias", mas "os choques podem criar oportunidades". A análise é do economista Ricardo Reis, professor da London School of Economics, que também salienta como as políticas de …

Em abril, o vírus matava 6 vezes mais do que agora. Mas estes números podem mudar em breve

O número de infetados já bateu recordes durante o mês de outubro, mas o mesmo não de pode dizer em relação ao número de mortos. O dia com mais óbitos em Portugal ocorreu a 3 …

Orçamento não reflete "trabalho notável" dos profissionais de saúde, diz bastonário

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, considera que a proposta de Orçamento do Estado para 2021 não corresponde às "expectativas dos profissionais de saúde e dos portugueses" nem investe no Serviço Nacional …

Trump tem uma conta bancária na China (e andou uma década a tentar investir no país)

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é detentor de uma conta num banco chinês, e há vários anos que tenta implementar negócios no país. Donald Trump passou uma década a tentar investir na China, onde …

Ricardo Pereira revela segredo para o FC Porto derrotar o City

A jogar em Inglaterra há três anos, Ricardo Pereira conhece bem o próximo adversário do FC Porto na Liga dos Campeões. O internacional português deu alguns conselhos à equipa portista. Ricardo Pereira está a cumprir a …

OE em duodécimos deixa 2.700 milhões de estímulo orçamental em suspenso

A hipótese de haver um Orçamento em duodécimos em 2021 está em cima da mesa. Se tal acontecer, há pelo menos 2.700 milhões de estímulo orçamental que não chegarão à economia. Se o Orçamento do Estado …