/

As abelhas convenceram-nos de que sabiam matemática. Mas mentiram-nos

2

O novo estudo não significa necessariamente que as abelhas não entendam números, mas sugere que os animais usam propriedades não numéricas para resolver problemas matemáticos.

Vários estudos convenceram-nos de que as abelhas são pequenos génios matemáticos: há artigos que sustentam que estes insetos compreendem o conceito de zero e que conseguem fazer adições e subtrações complexas. Acontece que, segundo um novo estudo publicado na Proceedings of the Royal Society B, não é bem assim.

Na verdade, as abelhas são capazes de resolver uma equação matemática sem usar números. Em vez de um processamento cognitivo complexo de números, os animais usam pistas visuais, segundo o IFL Science.

Uma equipa internacional de cientistas encarregou um conjunto de abelhas de resolver um problema matemático. Em vez de números, os animais estimaram quantidades usando pistas visuais mais simples, uma prova de que estes insetos são bons a encontrar a solução mais eficaz para resolver problemas.

As abelhas foram, então, treinadas para identificar cartazes com diferentes números de formas. Para algumas das abelhas, a recompensa era colocada no cartaz com mais formas, enquanto para outras era colocada no cartaz com menos formas. Depois de aprenderem esse detalhe, as abelhas foram capazes de encontrar rapidamente os cartazes com o maior ou menor número de formas para encontrar a sua recompensa.

Para determinar se as abelhas usavam pistas não numéricas, a equipa repetiu a experiência. Porém, desta vez, em vez de um número maior de formas, os cientistas usaram o mesmo número de formas, mas em dois conjuntos: a única diferença eram os aspetos visuais, como comprimento da borda e a frequência espacial.

Nenhum dos cartazes continha uma recompensa açucarada, apenas água.

Se as abelhas estivessem a usar números, deveriam ter voado igualmente para cada placa em busca da sua recompensa. Em vez disso, os insetos treinados para encontrar açúcar nas placas com o maior número de formas voaram para as placas com o maior número de variáveis – ou seja, as formas com as bordas mais interessantes e complexas.

O resultado sugere que os insetos usaram pistas visuais das formas e não o número das mesmas na primeira experiência. As abelhas “são incrivelmente inteligentes e podem resolver tarefas de maneiras eficazes e inesperadas”, comentou o autor principal do estudo, HaDi MaBouDi, da Universidade de Sheffield, no Reino Unido.

A equipa defende que a investigação mostra que o cérebro das abelhas evoluiu para ser capaz de distinguir valores numéricos através de pistas visuais, em vez do processamento cognitivo complexo de números.

Esta forma mais simples de resolução de problemas poderia ser usada para desenvolver Inteligência Artificial (IA) mais inteligente, capaz de realizar tarefas com muito mais eficiência do que os seres humanos.

  Liliana Malainho, ZAP //

2 Comments

  1. Tentar arranjar argumentos contra e a favor se as abelhas percebem de matemática, quando a matemática é uma ferramenta meramente humana ?!
    A inteligência dos outros animais parece ser inerente/intuitiva. E que tal tentar perceber como pode a natureza ser tão sábia?
    Estudos de encher chouriços…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE