A Suíça acelerou rumo ao Mundial, mas está longe de ser favorita. Helvéticos prometem “causar problemas” a Portugal

Abir Sultan/EPA

Suíça festeja contra Camarões

Atualmente, os helvéticos são comandados por Murat Yakin, antigo futebolista, que assumiu o cargo em agosto de 2021, depois da saída de Vladimir Petkovic.

Após a derrota contra a Coreia do Sul, a Seleção Nacional já conhece o adversário para a fase do “mata-mata”. À espera da equipa treinada por Fernando Santos estará a Suíça, uma equipa que os portugueses já defrontaram 25 vezes, sendo esta a primeira na fase final de um Mundial. Estatisticamente, os helvéticos têm vantagem, com 11 vitórias, contra nove dos portuguese. Ainda assim, os números alteram-se se considerarmos apenas os jogos oficiais, nos quais Portugal levou a melhor em seis ocasiões, contra cinco dos suíços e quatro empates.

A última disputa entre os dois países ocorreu ainda este ano, em junho, com a Suíça a vencer por 1-0, em Genebra, com um golo de Seferovic. Já no que respeita a fases finais de competições oficiais, o encontro mais recente data de 2008, no Europeu, quando Portugal perdeu por 2-0, apesar de a equipa das quinas já ter o apuramento garantido para a fase seguinte.

Atualmente, os helvéticos são comandados por Murat Yakin, antigo futebolista, que assumiu o cargo em agosto de 2021, depois da saída de Vladimir Petkovic – após a eliminação na fase de grupos do Euro 2020. O registo deste então não é brilhante: nove vitórias e seis derrotas em 19 encontros. Ainda assim, destaque para o apuramento para o Mundial do Qatar, onde venceu o grupo sem qualquer derrota (superiorizando-se, também, à Itália, atual campeã da Europa).

Já em terreno qatari, o apuramento dos suíços para os oitavos de final foi conseguido com duas vitórias e uma derrota: 1-0 contra os Camarões, 3-2 contra a Sérvia, e 0-1 contra o Brasil.

Tal como ressalva o Diário de Notícias, o esquema de jogo assenta sobretudo num 4-2-3-1, destacando-se na equipas nomes como Yann Sommer, Manuel Akanji (Manchester City), Granit Xhaka (Arsenal), Xherdan Shaquiri (Chicago Fire) e Breel Embolo (Mónaco).

No final do encontro de ontem, contra a Sérvia, Granit Xhaka abordou de imediato o jogo contra Portugal, manifestando as intenções dos helvéticos. “Creio que foi um jogo com muitas emoções e a verdade é que as emoções fazem parte do futebol. Fizemos um grande jogo, sabíamos que a Sérvia era muito perigosa, mas apesar das dificuldades acho que a vitória foi muito merecida”, começou por dizer. “Conseguimos o objetivo e estamos felizes. Queremos causar problemas a Portugal nos oitavos-de-final do Mundial”.

  ZAP //

a

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.