A música é mesmo universal (e a base comum é o ser humano)

As músicas das culturas de todo o mundo exibem padrões universais, de acordo com um novo artigo científico publicado na Science.

A criação musical é uma manifestação transversal, por mais diferentes que sejam as culturas e civilizações, porque partilha de uma raiz comum, segundo um estudo divulgado na quinta-feira pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Partindo da ideia de que “a música é a linguagem universal da Humanidade”, expressa há cerca de 200 anos pelo escritor norte-americano Henry Wadsworth Longfellow, uma equipa de investigadores quis perceber se, de facto, existem pressupostos que tornam a música uma manifestação cultural transnacional. O estudo foi desenvolvido por Samuel Mehr, de Psicologia, Manvir Singh, de Biologia Humana, e Luke Glowacki, de Antropologia.

Durante cinco anos, pesquisaram centenas de gravações fonográficas, em vários suportes, em bibliotecas, arquivos, coleções públicas e privadas e reuniram 5.000 entradas de canções representativas de 60 culturas etnograficamente diferentes, abrangendo 30 regiões do planeta.

A esta base de dados pioneira, desenvolvida e sistematizada com a colaboração de músicos, linguistas, psicólogos e antropólogos, os investigadores intitularam “A História Natural da Canção”.

Analisando os dados, em diferentes pressupostos técnicos, literários, mecânicos e interpretativos, os investigadores perceberam que há uma base comum na música que é composta e escutada, independentemente do ponto geográfico.

“A música está associada a comportamentos como cuidar, curar, dançar, amar (e outros como fazer o luto, lutar) e esses comportamentos não são assim tão diferentes de sociedade para sociedade. Analisando canções de embalar, para dançar, canções de amor, em particular, percebemos que partilham de especificidades”, lê-se no estudo.

O investigador Manvir Singh considera que os padrões identificados na análise demonstraram que qualquer cultura humana é construída a partir de uma base psicológica comum e isso influencia a música que é criada.

Para Samuel Mehr, a investigação agora revelada poderá sustentar uma “gramática da música”, uma ideia “que tem circulado há décadas entre teóricos, linguistas e psicólogos, mas que nunca tinha sido demonstrada”.

O investigador sublinhou ainda, citado pela Universidade de Harvard, que esta investigação levanta uma “possibilidade controversa” de que a tonalidade musical (referência de escalas de sons), “assumida como uma invenção da música ocidental”, pode ser, afinal, global.

“Isso levanta questões sobre a estrutura que está subjacente à música, em qualquer lugar, e como é que as nossas mentes estão desenhadas para criar música”, rematou.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Parker Solar Probe lança nova luz sobre o Sol

Em agosto de 2018, a Parker Solar Probe da NASA foi lançada para o espaço, tornando-se pouco tempo depois a sonda mais próxima do Sol. Com instrumentos científicos de ponta para medir o ambiente em …

Encontrado no mar das Malvinas navio alemão da I Guerra Mundial 105 anos depois de naufragar

O naufrágio de um cruzador alemão da I Guerra Mundial foi identificado nas Ilhas Malvinas, onde foi afundado pela Marinha britânica há 105 anos. O SMS Scharnhorst foi o principal ativo da esquadra alemã na Ásia …

Boavista 1-4 Benfica | Águia goleia no xadrez do Bessa

O Benfica deu o pontapé de saída da 13ª jornada com uma vitória competente na visita ao Boavista, por 4-1. Num jogo potencialmente perigoso para as aspirações “encarnadas”, frente a um adversário com somente uma derrota …

Cientistas desenvolvem técnica para determinar o humor através da caligrafia

Uma equipa de cientistas estudou a biomecânica dos movimentos das mãos a escrever e a desenhar, e desenvolveu um método para avaliar as propriedades individuais da velocidade de escrita e da pressão do lápis no …

Quase seis mil denúncias de agressões sexuais em viagens da Uber nos EUA

A plataforma de transporte de passageiros Uber divulgou na quinta-feira um relatório, revelando quase seis mil denúncias de agressões sexuais a utilizadores, motoristas e terceiros nos Estados Unidos (EUA), em 2017 e 2018. No relatório de …

Polícia de Los Angeles vai usar dispositivo "ao estilo Batman" para prender suspeitos

A polícia de Los Angeles, nos Estados Unidos, vai adotar, no início do próximo ano, um novo dispositivo, conhecido como BolaWrap 100, que dispara um cinto de fibra sintética a uma velocidade de 200 metros …

Corriere dello Sport defende-se das acusações e garante ser "inimigo do racismo"

O jornal desportivo italiano Corriere dello Sport afirmou esta sexta-feira ser “inimigo do racismo”, defendendo-se das críticas motivadas pela manchete de quinta-feira, com o título “Black Friday” e ilustrada com os futebolistas negros Romelu Lukaku …

Alisadores e tintas para cabelo podem aumentar o risco de cancro da mama

Alisadores e tintas para cabelo são dois produtos comummente utilizados por mulheres. Um novo estudo sugere que estes podem aumentar o risco de cancro da mama, especialmente em mulheres negras. Muitos produtos capilares contêm compostos que …

Black Friday. Marca de cosméticos oferece por engano desconto de 96% e perde 10 milhões em duas horas

Uma falha no site oficial da marca de produtos cosméticos Foreo fez com que o seu artigo mais caro fosse vendido com um desconto de 96%, fazendo com que a empresa sueca perdesse 10 milhões …

Camisola usada por Pelé no seu último jogo foi vendida por 30 mil euros em leilão

Uma camisola usada por Pelé no seu último jogo com a seleção brasileira foi vendida por 30 mil euros num prestigiado leilão de objetos desportivos, realizado na quinta-feira em Turim, Itália. A camisola com o número …