/

Um dinossauro gigante com o dobro do comprimento dos T-Rex dominou a cadeia alimentar

2

(dr) Julius T. Csotonyi

Ulughbegsaurus uzbekistanensis (em cima) e um pequeno Tyrannosauridae (em baixo).

A nova espécie foi descoberta no Uzbequistão e tinha dentes semelhantes aos de um tubarão. Pesava cinco vezes mais do que o principal predador conhecido até agora, o tiranossauro.

Há cerca de 90 milhões de anos, um predador carnívoro gigante reinava no Uzbequistão e não, não era o T-Rex. Com 8 metros de comprimento e uma tonelada de peso, uma espécie de dinossauro até agora desconhecida estava no topo da cadeia alimentar.

Chama-se Ulughbegsaurus uzbekistanensis, em hora de Ulugh Beg, um astrónomo, matemático e sultão de um território que pertence ao actual Uzbequistão, onde o animal foi encontrado, escreve o Science Alert. O dinossauro andou pelo nosso planeta no final do período Cretáceo, entre há 92 e há 90 milhões de anos.

O estudo foi publicado este mês na Royal Society Open Science. Uma parte do osso da mandíbula do dinossauro foi encontrado no deserto Kyzyl Kum nos anos 80 e foi depois redescoberto em 2019 numa colecção de um museu do Uzbequistão.

“Descrevemos este novo género e espécie baseado num único fóssil isolado, um maxilar da esquerda ou do osso superior da mandíbula. A parte preservada na linha de dentes maxilares desde o segundo ao oitavo alvéolo mede aproximadamente 23 centímetros, o que é pelo menos 20% mais comprido do que um allosauroidea”, escreveram os autores.

A parte mais surpreendente para os investigadores foi o tamanho do dinossauro, que tem o dobro do comprimento e cinco vezes o peso do maior predador conhecido até agora, o tiranossauro.

A amostra do osso sugere que o animal era um carcarodontossauro, ou seja, um dinossauro com dentes semelhantes aos de um tubarão, que é também uma espécie prima dos tiranossauros. Este foi o primeiro carcarodontossauro a ser descoberto na Ásia Central.

Kohei et al.

Os carcarodontossauros eram geralmente maiores do que os tiranossauros, chegando a pesar mais de seis toneladas, até começarem a desaparecer entre há 80 e 90 milhões de anos. Nesta fase, os tiranossauros começaram a crescer e tornaram-se os principais predadores na Ásia e na América do Norte.

Já se sabia que o tiranossauro Timurlengia vivia na mesma era e na mesma zona, mas era bastante mais pequeno que o Ulughbegsaurus uzbekistanensis, com apenas quatro metros de comprimento e 170 quilos de peso, o que fortalece a hipótese desta nova espécie ser o maior predador da zona.

O U. uzbekistanensis também tinha solavancos únicos nos ossos acima dos dentes e outros no lado da mandíbula que se assemelham àqueles encontrados no tiranossauro Thanatotheristes degrootorum, que vivia no Canadá. Ainda não se sabe o que causa esta textura nos ossos de ambas as espécies, mas pode ser um caso de evolução convergente.

“A descoberta do Ulughbegsaurus uzbekistanensis preenche uma lacuna importante no registo dos fósseis, revelando que os estavam espalhados no continente desde a Europa até à Ásia de leste”, afirma o paleontólogo Yoshitsugu Kobayashi, citado pelo Sci News.

  Adriana Peixoto, ZAP //

2 Comments

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.