Apenas 24 países têm mulheres no poder. Igualdade de género alcançada somente “em 130 anos”

Menos de 500 milhões de pessoas dos cerca de 7,8 mil milhões que constituem a população mundial têm atualmente uma mulher Presidente ou chefe de governo, avançou a ONU Mulher.

“Ao ritmo atual, a igualdade de género nas mais altas posições de poder não será alcançado nos próximos 130 anos”, referiu a organização, citada esta segunda-feira pelo Diário de Notícias (DN), informando que há nove países nos quais são chefes de Estado e 13 chefes de governo, e 119 onde nunca ocuparam nenhum desses cargos.

O destaque vai para a chanceler alemã Angela Merkel, no poder desde 2005. Em 2018, no centenário do movimento sufragista, reconheceu que ser chanceler não significava que existisse mais igualdade e que a Alemanha ainda tem um longo caminho a percorrer, acreditando, contudo, que deu o seu contributo nesse tema.

Outro destaque é a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, elogiada pela luta contra a pandemia e pela forma como lidou com os atentados terroristas de Christchurch, em março de 2019. Foi a segunda líder a ser mãe durante o mandato – a primeira foi a primeira-ministra do Paquistão Benazir Bhutto, em 1990.

A primeira mulher chefe de governo foi Sirimavo Bandaranaike, eleita em 1960, quando o Sri Lanka ainda era o Ceilão, enquanto a primeira a ser eleita democraticamente como Presidente foi a islandesa Vigdís Finnbogadóttir, em 1980, permanecendo 16 anos no cargo. Antes dela, em 1974, Isabel Martínez de Perón liderou na Argentina.

A segunda mulher com mais tempo no poder é Sheikh Hasina, desde 2009 primeira-ministra do Bangladesh. A mais recente é Kaja Kallas, primeira-ministra da Estónia.

Há também primeiras-ministras na Finlândia (Sanna Marin), na Noruega (Erna Solberg), na Dinamarca (Mette Frederiksen), na Islândia (Katrín Jakobsdóttir), na Lituânia (Ingrida Simonyté). Na Islândia foi eleita a primeira chefe de governo lésbica do mundo, Jóhanna Sigurðardóttir (2009-2013).

No Leste da Europa – continente com mais mulheres no poder -, além de Sérvia e Kosovo, há as Presidentes Salome Zourabichvili (Geórgia), Zuzana Caputová (Eslováquia), Maia Sandu (Moldávia) e Katerina Sakellaropoulou (Grécia).

Na Ásia, além do Bangladesh e de Taiwan, há mulheres na chefia do Estado no Nepal (Bidya Devi Bhandari) e Singapura (Halimah Yacob). Em África, a Presidente etíope é Sahle-Work Zewde e as primeiras-ministras Saara Kuugongelwa-Amadhila (Namíbia), Rose Christiane Raponda (Gabão) e Victoire Tomegah Dogbé (Togo). Nas Caraíbas, Paula-Mae Weekes é Presidente de Trindade e Tobago E Mia Mottley primeira-ministra em Barbados.

A nível dos ministros, apenas 21% são mulheres e só 14 países têm o mesmo número ou mais ministras do que ministros. Nos Parlamentos, só 25% são mulheres e em quatro países são mais de 50% dos deputados: Ruanda (61%), Cuba (53%), Bolívia (53%) e Emirados Árabes Unidos (50%).

Taísa Pagno Taísa Pagno //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …

Carlos César reivindica papel do PS na construção da democracia e no combate à corrupção

O presidente do PS defendeu, esta segunda-feira, que se deveu ao seu partido o aprofundamento da democracia e os avanços no combate à corrupção, embora admitindo desvios", "erros" e "omissões num ou outro momento da …