Descobertos mais de 200 mil vírus desconhecidos nas profundezas dos oceanos

Timothywildey / Flickr

Os oceanos escondem todos os tipos de segredos e incógnitas nas profundezas – como os 195.728 vírus que os cientistas acabaram por encontrar durante uma expedição para avaliar a vida marinha.

Antes disso, só sabíamos definitivamente da existência de cerca de 15 mil desses vírus oceânicos. Os investigadores dizem que as descobertas podem ensinar mais sobre tudo: desde a evolução da vida no planeta até as consequências da mudança climática.

A investigação é baseada em amostras recolhidas entre 2009 e 2013 por uma tripulação a bordo da Tara, uma embarcação que passou mais de uma década na água a investigar a ciência do oceano e as pistas que nos pode dar sobre como o nosso mundo está a evoluir.

“Vírus são pequenas coisas que nem se consegue ver, mas como estão presentes em números tão grandes, realmente importam”, disse um dos integrantes da equipa, Matthew Sullivan, da Ohio State University.

“Desenvolvemos um mapa de distribuição que é fundamental para quem quer estudar como os vírus manipulam o ecossistema. Houve muitas coisas que nos surpreenderam com as nossas descobertas”.

Apesar do grande número de vírus descobertos e da vasta complexidade das regiões oceânicas do mundo, a equipa conseguiu dividir os vírus em cinco zonas ecológicas distintas – todas as profundezas do Ártico e da Antártica, e três profundidades distintas do temperado e regiões tropicais.

Na verdade, o Oceano Ártico – onde os investigadores não esperavam a maior biodiversidade – acabou por ser um inesperado ponto de vida. Tudo isto contribui para a nossa compreensão sobre como os vírus se espalham pelo planeta.

Os cientistas estimam que existem muitas dezenas de milhões de vírus no oceano, muitos dos quais podem existir fora da água também – e até mesmo nos nossos próprios corpos. Ser capaz de identificar mais pode ensinar mais sobre a própria vida, não apenas sobre a vida submersa.

Para os propósitos deste estudo, além de detetar novos vírus encontrados em amostras de água de profundidades de até quatro mil metros, os investigadores também identificaram, segundo o estudo publicado na revista Cell, novas linhagens ao analisar outros micróbios e seres vivos que se instalaram nos oceanos.

A abrangência da nova investigação também é importante porque ajuda os cientistas a calcular com mais precisão o balanço de oxigénio e dióxido de carbono na atmosfera – organismos marinhos ajudam a reciclar oxigénio, enquanto os oceanos absorvem e armazenam muito CO2.

Mais vida abaixo da superfície da água significa mais CO2 convertido em carbono orgânico e biomassa, armazenado no fundo do mar – em vez de CO2 a acidificar os oceanos e a matar a vida marinha.

“Ter um novo mapa de onde os vírus estão localizados pode ajudar a entender essa bomba de carbono oceânico e, mais amplamente, a biogeoquímica que afeta o planeta”, disse Sullivan. “Modelos anteriores de ecossistemas oceânicos geralmente ignoram micróbios e raramente incluem vírus, mas agora sabemos que são um componente vital”.

PARTILHAR

RESPONDER

Nona Sinfonia de Beethoven revela novos detalhes sobre o cérebro humano

A Nona Sinfonia de Ludwig van Beethoven, 250 anos após a sua criação, ajudou a demonstrar a existência de células conceituais no cérebro. Quase 200 anos depois da morte de Beethoven, a maior obra do músico …

Governo vai suspender devolução dos manuais escolares

O ministro da Educação informou hoje que o Governo vai suspender a devolução de manuais escolares, em curso desde 26 de junho, cumprindo a decisão do parlamento, que aprovou uma proposta nesse sentido. O plenário da …

Cuba prestes a abrir portas ao turismo (exceto aos cubano-americanos)

Depois de fechar as suas fronteiras para os turistas no final de março por causa da pandemia da covid-19, Cuba prepara-se agora para reabrir várias das suas baías ao turismo - mas há algumas exceções. …

Cidade do México enterrou os rios para prevenir doenças, mas a covid-19 resiste e prospera

Na tentativa de evitar a disseminação de doenças como a malária e a cólera, a Cidade do México enterrou os seus rios. Agora, como consequência, criou inadvertidamente as condições necessárias para a covid-19 prosperar. A Cidade …

Descoberto sistema de túneis da I Guerra onde estarão enterrados dezenas de soldados

A Agência do Património da Bélgica anunciou esta semana a descoberta de um sistema de túneis alemão da I Guerra Mundial, onde estarão, muito provavelmente, dezenas de soldados enterrados. Em comunicado, citado pela Russia Today, …

Cinco funcionários da Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia

Cinco funcionários da produtora automóvel Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia, avança o The Washington Post. De acordo com o jornal norte-americano, foram cinco os colaboradores dispensados da …

"Qual o lugar mais seguro?". Costa compara infetados no Reino Unido e Algarve

O primeiro-ministro apresentou hoje uma tabela que mostra o Reino Unido muito acima do Algarve em número de infetados com covid-19 por cem mil habitantes e pergunta qual o lugar mais seguro para umas férias …

Azul anuncia venda de 6% da TAP ao Estado por 10 milhões de euros

A companhia aérea brasileira Azul, de David Neeleman, anunciou hoje a venda de 6% da TAP, no âmbito do acordo anunciado esta quinta-feira entre o Estado e os acionistas privados, que “garante a continuação” da …

NASA cria dispositivo que o avisa para não tocar no rosto (e pode ser reproduzido em casa)

A pensar na pandemia, a NASA desenvolveu o PULSE, um colar vibratório que nos alerta se formos tocar no rosto com as nossas mãos. A pandemia de covid-19 alastrou pelo mundo e, enquanto não chega um …

Há mais 11 mortes e 374 novos casos de infecção (300 são na Grande Lisboa)

Portugal regista hoje mais 11 mortos devido à doença covid-19 do que na quinta-feira e mais 374 infectados, dos quais 300 na Região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo o boletim da Direcção-Geral da …