Mais de 150 detidos em protestos violentos em Paris. Desta vez, sem coletes amarelos

Yoan Valat / EPA

As autoridades francesas detiveram este sábado mais de 150 pessoas numa nova jornada de protestos em Paris, onde coincidiram uma manifestação dos coletes “amarelos” com outras dois em defesa do clima e contra a reforma das reformas.

Este sábado juntou a manifestação por parte dos coletes amarelos com a marcha do clima e um protesto organizado por um dos maiores sindicatos franceses.

Pela primeira vez, desde a sua emergência no dia 17 de Novembro de 2018, os membros do movimento social que contesta as políticas do executivo do Presidente Emmanuel Macron, vieram às ruas sem o seu colete amarelo.

Os manifestantes tentaram juntar-se nas principais avenidas junto aos Campos Elísios, em Paris, zona interdita a qualquer protesto, tendo sido dispersados rapidamente pela polícia.

As concentrações dos coletes “amarelos” não tinham sido autorizadas, mas os seus integrantes, que este sábado cumpriam a sua 45 jornada de mobilizações, mantiveram o seu protesto e acabaram por ser dispersados com gás lacrimogêneo por parte das forças da ordem. Ao fim da tarde, 152 pessoas tinham sido detidas na capital francesa.

Sem a possibilidade de ficar no largo da igreja e dispersados pelas forças policiais, a manifestação tornou-se selvagem, partindo sem destino nas ruas do 8.º bairro. A polícia usou gás lacrimogéneo para dispersar a manifestação.

“Estamos aqui”, gritavam algumas pessoas sem entrar diretamente em conflito com as forças de segurança e sem qualquer colete amarelo à vista – uma recomendação dada também nas redes sociais para passar despercebido.

As autoridades tinham desdobrado 7.500 agentes para evitar distúrbios perante o temor da presença dos chamados “black blocos de folhas de papel”, grupos violentos conhecidos por provocar distúrbios durante as manifestações.

Membros desse movimento aliaram-se à manifestação contra a crise climática, protagonizando enfrentamentos contra as autoridades. No decorrer dos controlos realizados, a polícia apreendeu, entre outros objetos, bolas de petanca e martelos.

Os protestos dos “coletes amarelos” começaram em novembro passado num primeiro momento contra a alta dos impostos ao diesel, e a sua amplitude levou ao presidente de França, Emmanuel Macron, a anunciar um pacote de medidas a favor da qualidade de vida dos cidadãos com o objetivo de diminuir a crise.

ZAP // Lusa / EFE

PARTILHAR

RESPONDER

Fotografia com pombos? Na Tailândia, há "profissionais" contratados para assustá-los

A área de uma das portas da cidade, Tha Pae, parte do que resta da muralha vermelha que protegia a cidade antiga em Chiang Mai, na Tailândia, é uma das maiores atrações turísticas locais. Os turistas …

Sky News lança canal sem qualquer notícia sobre o Brexit

O canal Sky News Brexit-Free foi esta quarta-feira para o ar às 17h horas, sendo que os seus programas serão transmitidos até às 22h, de segunda a sexta-feira. O grupo de televisão britânico Sky vai lançou …

Vacina contra o cancro da mama pode estar disponível dentro de 8 anos

Investigadores da Clínica Mayo desenvolveram uma vacina contra o cancro ovário e da mama que poderá estar disponível comercialmente dentro de apenas oito anos. A ideia da vacina é estimular o próprio sistema imunológico dos pacientes …

Busca pelo avião de Amelia Earhart só encontrou chapéus, detritos de um naufrágio e uma lata de refrigerante

A mais recente busca pelos restos do avião de Amelia Earhart, a famosa aviadora americana que desapareceu sobre o Pacífico em 1937, terminou sem resultados. De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, a investigação …

Protestos em Hong Kong. LeBron acusado de apoiar regime chinês

A super estrela do basquetebol LeBron James juntou-se à polémica entre a NBA e a China, após apelidar de “mal-informado” o treinador dos Houston Rockets, Daryl Morey, que expressou apoio aos manifestantes em Hong Kong …

Acordo para o Brexit está "prestes a ficar fechado"

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente francês, Emmanuel Macron, disseram esta quarta-feira que um acordo para o Brexit está em finalização e poderá ser apresentado quinta-feira para aprovação no Conselho Europeu. "Quero acreditar que …

Em Chernobyl, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram para trás"

Chernobyl é, atualmente, a maior atração internacional da Ucrânia e o novo presidente, Volodymyr Zelenski, já apresentou um projeto para trazer ainda mais turistas. No entanto, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram …

Huawei afirma que a tecnologia 6G vai estar disponível daqui a 10 anos

O CEO da Huawei, Ren Zhengfei, assinalou, durante uma entrevista à CNBC, que a sua empresa está a trabalhar em redes móveis 6G, que estarão completamente desenvolvidas daqui a 10 anos.   "Trabalhámos em 5G e 6G …

Nazismo e comunismo classificados em pé de igualdade pelo Parlamento Europeu

No passado dia 19 de setembro, a União Europeia colocou comunismo e nazismo em pé de igualdade, depois de aprovar no Parlamento Europeu uma resolução condenando ambos os regimes por terem cometido "genocídios e deportações …

Conselho da Europa teme que polícia de Malta tenha “recusado provas” no caso da jornalista assassinada

Daphne Galizia era jornalista, acompanhava casos de corrupção no país e foi assassinada há dois anos. Pieter Omtzigt, relator do Conselho da Europa responsável pelo caso, diz que a abordagem da polícia e dos …