Mais de 150 detidos em protestos violentos em Paris. Desta vez, sem coletes amarelos

Yoan Valat / EPA

As autoridades francesas detiveram este sábado mais de 150 pessoas numa nova jornada de protestos em Paris, onde coincidiram uma manifestação dos coletes “amarelos” com outras dois em defesa do clima e contra a reforma das reformas.

Este sábado juntou a manifestação por parte dos coletes amarelos com a marcha do clima e um protesto organizado por um dos maiores sindicatos franceses.

Pela primeira vez, desde a sua emergência no dia 17 de Novembro de 2018, os membros do movimento social que contesta as políticas do executivo do Presidente Emmanuel Macron, vieram às ruas sem o seu colete amarelo.

Os manifestantes tentaram juntar-se nas principais avenidas junto aos Campos Elísios, em Paris, zona interdita a qualquer protesto, tendo sido dispersados rapidamente pela polícia.

As concentrações dos coletes “amarelos” não tinham sido autorizadas, mas os seus integrantes, que este sábado cumpriam a sua 45 jornada de mobilizações, mantiveram o seu protesto e acabaram por ser dispersados com gás lacrimogêneo por parte das forças da ordem. Ao fim da tarde, 152 pessoas tinham sido detidas na capital francesa.

Sem a possibilidade de ficar no largo da igreja e dispersados pelas forças policiais, a manifestação tornou-se selvagem, partindo sem destino nas ruas do 8.º bairro. A polícia usou gás lacrimogéneo para dispersar a manifestação.

“Estamos aqui”, gritavam algumas pessoas sem entrar diretamente em conflito com as forças de segurança e sem qualquer colete amarelo à vista – uma recomendação dada também nas redes sociais para passar despercebido.

As autoridades tinham desdobrado 7.500 agentes para evitar distúrbios perante o temor da presença dos chamados “black blocos de folhas de papel”, grupos violentos conhecidos por provocar distúrbios durante as manifestações.

Membros desse movimento aliaram-se à manifestação contra a crise climática, protagonizando enfrentamentos contra as autoridades. No decorrer dos controlos realizados, a polícia apreendeu, entre outros objetos, bolas de petanca e martelos.

Os protestos dos “coletes amarelos” começaram em novembro passado num primeiro momento contra a alta dos impostos ao diesel, e a sua amplitude levou ao presidente de França, Emmanuel Macron, a anunciar um pacote de medidas a favor da qualidade de vida dos cidadãos com o objetivo de diminuir a crise.

ZAP // Lusa / EFE

PARTILHAR

RESPONDER

Concelho de Portalegre registou o seu primeiro caso (e revela "segredo" para combater pandemia)

Um comportamento recatado e os habitantes sempre alerta com "o bicho" são apontados como os "segredos" que têm "protegido" Fronteira (Portalegre) da covid-19, que só esta semana registou o primeiro infetado desde o início da …

Rio de Janeiro vai ter "réveillon" com espetáculos e fogo de artifício (mas sem público)

O Rio de Janeiro encerrará 2020 com espetáculos e concertos ao vivo em seis palcos montados na cidade brasileira, mas aos quais o público não terá acesso devido à pandemia. Apenas poderá vê-los nas redes …

GP de Portugal. Há 14 casos de covid-19 em equipas de Fórmula 1

Em conferência de imprensa, a Proteção Civil do Algarve revelou que foram identificados 14 casos de covid-19 entre pilotos e staff de equipas da Fórmula 1 que estiveram em Portimão. Foram identificados 14 casos de covid-19 …

Islâmicos "têm o direito" de matar franceses. Twitter retira comentário de ex-primeiro-ministro da Malásia

A rede social Twitter retirou um comentário controverso do antigo primeiro-ministro malaio ​​​​​​​Mahathir Mohamad, relativo ao debate desencadeado pelas palavras do Presidente francês, Emmanuel Macron, sobre o islão. Numa série de mensagens, em que Mahathir Mohamad …

Governo pondera decretar recolher obrigatório e restrições em mais municípios

O Governo está a avaliar avançar com o recolhimento obrigatório e alargar as restrições impostas em Paços de Ferreira, Felgueiras e Lousada a mais municípios, recusando, no entanto, um novo confinamento geral, disse hoje o …

Gigante americana Walmart retira (temporariamente) armas e munições das prateleiras

A gigante de distribuição norte-americana Walmart decidiu retirar temporariamente armas e munições das prateleiras das suas lojas, anunciou na quinta-feira um porta-voz da cadeia. A medida preventiva foi tomada a cinco dias de uma eleição presidencial …

BE afasta para já estado de emergência e defende requisição civil na saúde

A coordenadora do BE afastou para já a necessidade de um novo estado de emergência e defendeu que o Governo utilize toda a capacidade instalada na saúde, se necessário recorrendo à requisição civil dos setores …

Sismo de magnitude 7 abala Turquia e Grécia e provoca mini-tsunami. Pelo menos 4 pessoas morreram

Quatro pessoas morreram no oeste da Turquia, depois de um forte terramoto de magnitude 7 atingir o Mar Egeu na tarde desta sexta-feira. O abalo derrubou edifícios em áreas costeiras e fez pelo menos 120 …

EDP desiste de processo contra o Estado, mas vai levar tarifa social a Bruxelas

A EDP desistiu da litigância judicial com o Estado sobre a contribuição extraordinária sobre o setor energético (CESE), mas vai pedir à Comissão Europeia uma análise sobre o mecanismo de financiamento da tarifa social a …

"Fora com os pretos". Universidades e escolas de Lisboa vandalizadas com mensagens racistas

Várias universidades e escolas secundárias da região de Lisboa foram vandalizadas com mensagens de teor racista e xenófobo. "Viva a Europa Branca" ou "Fora com os pretos" são algumas das frases escritas. Várias pessoas denunciaram esta …