/

Fundadores do Instagram deixam a empresa em rutura com Zuckerberg

Os fundadores do Instagram, Kevin Systrom e Mike Krieger, vão deixar a empresa adquirida pelo Facebook em 2012 para “construir coisas novas”. Em causa estarão também algumas tensões com o CEO Mark Zuckerberg.  

“Vamos tirar algum tempo para explorar novamente a nossa curiosidade e criatividade. Construir coisas novas exige que recuemos, entendamos o que nos inspira é o que planeamos fazer”, adiantou nesta segunda-feira o diretor executivo do Instagram, Kevin Systrom, através de um comunicado.

“O Mike [Krieger] e eu somos gratos pelos últimos oito anos no Instagram e nos seis anos com a equipa do Facebook. Crescemos de 13 pessoas para quase mil, com escritórios em todo o mundo, e agora estamos prontos para o nosso próximo capítulo”, acrescentou.

De acordo com a Bloomberg, que cita fontes próximas do processo, em causa estará também o aumento das tensões com o Mark Zuckerberg devido ao futuro da aplicação.

Systrom e Krieger, fundaram o Instagram em 2010, que foi comprada dois anos depois pelo Facebook por cerca de mil milhões de dólares e conta com mais de mil milhões de utilizadores. Depois da compra, ambos mantiveram-se na empresa como CEO e CTO da rede social, respetivamente.

Até então, os fundadores tinham conseguido manter a marca e o produto independentes da “casa-mãe”. Contudo, e de acordo com as fontes citadas, Zuckerberg tem estado mais envolvido na estratégia da aplicação, uma vez que o futuro crescimento do Facebook estará agora mais dependente do Instagram.

“O Kevin e o Mike são líderes extraordinários e o Instagram reflete o talento dos dois”, afirmou Zuckerberg numa nota de impresa. “Aprendi muito a trabalhar com eles ao longo dos últimos seis anos”, acrescentou.

Sem a presença dos fundadores, revelam as fontes, a aplicação de partilha de fotografias deverá ser integrada no Facebook, tornando-se numa unidade da empresa em vez de ser uma aplicação separada.

https://www.instagram.com/p/BoIvH_Fgdxm/?hl=pt&taken-by=kevin

Apesar dos recentes escândalos sobre questões de acesso aos dados pessoais dos utilizadores do Facebook e de ter sido tornado público que agentes russos realizaram com sucesso operações de manipulação política naquela rede social, com o objetivo de influenciar a eleição presidencial norte-americana de 2016, a verdade é que o Instagram tem conseguido preservar a sua imagem junto dos utilizadores e da opinião pública.

De acordo com o The New York Times, os dois fundadores deverão abandonar oficialmente as suas funções nas próximas semanas.

Estas não são as primeiras baixas de peso no Facebook. Também este ano, Brian Acton e Jan Koum, os fundadores do WhatsApp, anunciaram a sua saída por não conseguirem chegar a um entendimento com Mark Zuckerberg relativamente ao modelo de negócio da aplicação da mensagens.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.