Young Boys foram “bad boys” e nem um golo de Ronaldo salvou o United

Alessandro della Valle / EPA

Cristiano Ronaldo marcou, mas o Manchester United deixou-se surpreender pelo Young Boys. Os ingleses ficaram reduzidos a dez unidades ainda na primeira parte.

Nos últimos tempos, Manchester United é sinónimo de Cristiano Ronaldo. Por isso, o jogo desta terça-feira frente ao Young Boys não foi o encontro inaugural do clube inglês nesta edição da Liga dos Campeões. Foi o regresso do internacional português aos palcos europeus com o United.

Cristiano Ronaldo igualou o recorde de jogos disputados na Liga dos Campeões, do ex-portista Iker Casillas. Ronaldo passou a contar 181 jogos na principal prova europeia de clubes e 177 nas estatísticas da Champions (desde 1992/93, sem pré-eliminatórias).

A jogar em casa, o modesto Young Boys, da Suíça, até foi a primeira equipa a causar perigo na baliza adversária — por duas vezes. Em ambas as ocasiões, os remates de Meschack Elia saíram ao lado, mas ficou o aviso.

O ímpeto dos suíços foi quebrado pouco depois, aos 12 minutos, quando Cristiano Ronaldo entrou em cena. O cruzamento de Bruno Fernandes de trivela foi meio golo. Do outro lado do campo, Ronaldo apareceu nas costas do lateral e atirou para o primeiro da partida. Estava consumado o regresso de Cristiano à Champions com o Manchester United.

Curiosamente, o Young Boys voltou a insurgir-se e continuava a chegar perto da baliza guardada por De Gea. Ainda assim, o clube treinado pelo norte-americano David Wagner não mostrava a eficácia ofensiva desejada.

O jogo virou de pantanas aos 35 minutos de jogo, quando Aaron Wan-Bissaka protagonizou uma entrada violenta sobre um adversário e viu o cartão vermelho direto.

A jogar contra menos uma unidade, o Young Boys continuou a pressionar, mas as equipas regressariam aos balneários com o resultado favorável ao United.

No segundo tempo, Cristiano Ronaldo ainda reclamou uma grande penalidade, mas o árbitro entendeu que o contacto do defesa não foi suficiente para fazer cair o capitão da seleção portuguesa.

O golo do Young Boys apareceu já aos 66 minutos, com o camaronês Moumi Ngamaleu a conseguir adiantar-se a Varane e a encostar a bola para o fundo da baliza.

Com a partida empatada, Cristiano Ronaldo e Bruno Fernandes foram substituídos à passagem do minuto 72.

Quando o encontro já parecia condenado ao empate, eis que aos 90+5′, Jordan Siebatcheu aproveitou um mau atraso de Lingard para De Gea, e conseguiu atirar com discernimento para o golo da vitória.

Na conferência de imprensa após o jogo, Ole Gunnar Solskjaer foi questionado sobre as saídas de Ronaldo e Bruno Fernandes.

“Já tinham passado 70 minutos e eles tinham corrido muito, tanto neste jogo como no sábado”, justificou o técnico norueguês.

“Houve falta de concentração, cometemos erros e fomos punidos. Demos a nós próprios uma tarefa mais difícil. Precisamos de 10 ou 12 pontos, ganhar os jogos em casa e um fora de casa. Perdemos a oportunidade de conseguir estes três pontos e temos de nos focar em conquistar os próximos”, acrescentou.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.