Os videojogos podem ser bons para o bem-estar pessoal, sugere estudo

De acordo com um novo estudo que analisou o comportamento de jogadores e dados fornecidos por empresas de videojogos, o tempo gasto a jogar pode ser bom para o bem-estar pessoal.

A Electronic Arts e a Nintendo of America forneceram à Universidade de Oxford, no Reino Unido, informações sobre o Plants vs Zombies: Battle for Neighbourville e o Animal Crossing: New Horizons, dois jogos que não são considerados violentos e que permitem aos jogadores “encontrarem-se” online.

Segundo a Science Focus, o jogo Animal Crossing: New Horizons foi uma escolha muito popular por parte dos gamers no primeiro confinamento do Reino Unido, tendo sido o videojogo mais vendido de sempre no primeiro mês de lançamento.

No estudo, foi pedido a jogadores – 518 de Plants vs Zombies: Battle for Neighbourville e 2.756 de Animal Crossing: New Horizons – que preenchessem um questionário sobre as suas experiências, para ser posteriormente comparado com dados comportamentais fornecidos pelas empresas.

O artigo, que se encontra em pré-revisão, concluiu que a quantidade de tempo gasto a jogar contribui significativamente para o bem-estar das pessoas.

Além disso, os investigadores consideram que as experiências subjetivas de um jogador durante o jogo podem ser um fator mais importante para o bem-estar do que o mero tempo de jogo.

“Investigações anteriores basearam-se principalmente em pesquisas de autor-relato para estudar a relação entre a diversão e o bem-estar”, disse Andrew Przybylski, principal autor do estudo e diretor de pesquisa do Oxford Internet Institute.

“Sem dados objetivos das empresas de jogos, quem dá conselhos [sobre os videojogos] fá-lo sem o benefício de uma base de evidências robusta”, explica.

Além disso, os investigadores descobriram que “os videojogos não são necessariamente maus para a saúde, existindo outros factores psicológicos com um efeito significativo no bem-estar de uma pessoa“.

“Na verdade, jogar pode ser uma atividade que se relaciona positivamente com a saúde mental das pessoas – e a regulamentação dos videojogos pode retirar esses benefícios aos jogadores”, disse Przybylski.

“Ao trabalhar com a Electronic Arts e a Nintendo of America, conseguimos combinar a experiência académica e a da indústria. Através do acesso a dados acerca do tempo que as pessoas passam a jogar, foi possível investigar, pela primeira vez, a relação entre o comportamento real durante o jogo e o bem-estar subjetivo, permitindo-nos encontrar um modelo de alta qualidade para apoiar os legisladores de saúde“, explicou o autor.

Os formuladores de políticas precisam de provas confiáveis e robustas para iluminar as influências que os videojogos podem ter na saúde mental global, conclui o artigo.

“Neste estudo, mostramos que as colaborações com parceiros da indústria para obter dados adequados são possíveis. A pesquisa com esses dados pode ser feita de acordo com os padrões académicos – de forma ética e transparente”, acrescentou.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Selecção da Lituânia falhou os Mundiais porque...chegou atrasada

Per Strand venceu, António Morgado ficou em sexto, mas os ciclistas da Lituânia acabaram por marcar a prova de estrada de juniores, nos Mundiais em Flandres. Per Strand Hagenes é o novo campeão mundial júnior de …

Gil Vicente 1-2 Porto | Dragão canta de galo com dois golaços

Foi sofrer até ao fim. Sérgio Conceição tinha alertado que não seria fácil bater o Gil Vicente e foi isso que ocorreu na noite desta sexta-feira em Barcelos. O FC Porto apenas a um minuto dos …

Na II Guerra Mundial, um erro "humilhante" destruiu dois imponentes navios de guerra da Marinha Real

No dia 10 de dezembro de 1941, os japoneses afundaram os imponentes Prince of Wales e Repulse. A culpa foi do almirante Thomas Phillips que, na sequência de um "erro humilhante", acabou também por falecer. Winston …

O robô Atlas, da Boston Dynamics, faz parkour (e até dá um mortal para trás)

O Atlas é, sobretudo, um projeto de investigação: um robô que ajuda os engenheiros da Boston Dynamics a trabalhar em melhores sistemas de controlo e perceção. O parkour é um verdadeiro desafio para os seres humanos, …

Na Tailândia, um "cemitério" de táxis foi transformado numa horta sobre rodas

Desde pimentos a pepinos, beringelas e até mangericão. Num parque de estacionamento ao ar livre em Banguecoque, os táxis abandonados transformam-se em hortas para alimentar os trabalhadores. A pandemia de covid-19 obrigou os táxis de Banguecoque …

Morreu o "último nazi" canadiano, aos 97 anos

Um ucraniano que serviu como tradutor no regime nazi morreu na quinta-feira na sua casa, em Ontário, no Canadá, encerrando uma luta de décadas para deportá-lo e acusá-lo de cúmplice no assassinato de dezenas de …

No Sri Lanka, elefantes traficados foram resgatados. Mas voltaram às pessoas que os compraram ilegalmente

Um tribunal do Sri Lanka devolveu elefantes resgatados a pessoas influentes que foram acusadas de os terem comprado ilegalmente. Durante alguns anos, elefantes selvagens permaneceram na corda bamba de uma intensa batalha de custódia judicial entre …

Sporting 1-0 Marítimo | Porro volta a decidir de penálti

Que sofrimento! É normal ver os “grandes” dominarem por completo os seus adversários, mas nesta partida entre Sporting e Marítimo, em Alvalade, praticamente só houve uma equipa a atacar e a procurar o golo. Ainda assim, …

A falhar pagamentos e com 260 mil milhões de dívida - como é que a Evergrande chegou até aqui?

A situação da imobiliária chinesa Evergrande, que tem uma dívida maior do que a economia portuguesa, está a deixar o mundo ansioso sobre uma eventual repetição da história da crise de 2008, que começou com …

A lava do vulcão de Las Palmas já destruiu mais de 200 casas, mas uma permanece intacta na devastação

Como se protegida por um manto de invencibilidade, a construção escapou à força da lava que a serpenteou para felicidade dos seus proprietários, um casal de reformados dinamarquês que escolheu fixar-se naquele território precisamente pela …