Antes da erupção do Vesúvio, as ruas de Pompeia eram reparadas com ferro fundido

Howard Stanbury / Flickr

Funcionários antigos usavam ferro fundido para reparar as ruas de Pompeia antes da história e devastadora erupção do Vesúvio em 79 a.C.

A descoberta revela um método até então desconhecido da reparação das ruas romanas antigas e representa “a primeira comprovação em larga escala do uso romano do ferro fundido”, escreveram os investigadores Eric Poehler, professor de clássicos da Universidade de Massachusetts Amherst; Juliana van Roggen; e Benjamin Crowther, da Universidade do Texas em Austin, num artigo publicado no American Journal of Archaeology.

Quando o Monte Vesúvio entrou em erupção, cobriu a cidade de cinzas e lava. Embora a erupção tenha matado muitos dos habitantes de Pompeia, também preservou a cidade no tempo. Muitas das ruas de Pompeia foram pavimentadas com pedra, mas em julho de 2014, os arqueólogos descobriram que, com o tempo, a passagem dos carros desgastou as pedras formando buracos profundos.

Repavimentar ruas era um processo caro e demorado, de acordo com registos históricos e vestígios arqueológicos. “Uma opção para conserto, a completa repavimentação em pedra, era um empreendimento difícil e caro que pode bloquear importantes rotas numa cidade durante meses”, escreveram os investigadores.

Isso era um problema para o povo de Pompeia, uma vez que algumas das muitas ruas da cidade poderiam ficar desgastadas rapidamente. “Investigações em Pompeia mostraram que volumes particularmente altos de tráfego concentrados em ruas estreitas poderiam desgastar até mesmo uma superfície pavimentada de pedra em apenas algumas décadas”.

Depois de o ferro derretido ter sido derramado, encheu os furos e endureceu enquanto arrefecia. Além do ferro, outros materiais como pedra, pedaços de terracota e cerâmica também foram inseridos nos buracos para ajudar a preenchê-los. Este método de reparo era mais barato e mais rápido do que repavimentar uma rua. “A forma como os romanos introduziram o material de ferro liquefeito nas ruas de Pompeia permanece um mistério”, escreveram os investigadores.

Os romanos teriam de aquecer ferro ou escória de ferro entre 1.100 a 1.600ºC, dependendo do tipo de ferro a ser derretido, de acordo com os cientistas, observando que os fornos romanos reconstruídos conseguiriam atingir essas temperaturas.

Foram encontrados numerosos exemplos de gotas de ferro em secções de ruas que não precisavam de conserto, o que sugere que o ferro derretido, às vezes, era derramado acidentalmente enquanto era levado para as ruas de Pompeia.

É provável que os escravos levassem o ferro fundido através de Pompeia, disse Poehler, observando que as cidades romanas tinham escravos públicos e magistrados – altos funcionários que detinham poder nas cidades romanas – que poderiam ter usado os seus próprios escravos para realizar tarefas como consertos de rua.

Agora, os investigadores esperam analisar a química do ferro para descobrir de onde foi extraído. Há ainda mais ruas em Pompeia para estudar.

PARTILHAR

RESPONDER

Durante um ano e meio, uma aldeia inteira perdeu a Internet todos os dias à mesma hora (e já se sabe porquê)

Durante 18 meses, os residentes de uma vila no País de Gales perderam a Internet todos os dias à mesma hora. Agora, engenheiros identificaram o motivo: uma televisão em segunda mão que emitia um sinal …

Gado na UE produz 704 milhões de toneladas de CO2 (mais do que todos os transportes juntos)

De acordo com uma nova análise da Greenpeace, animais de criação como vacas, porcos e outros, estão a emitir mais gases com efeito de estufa na Europa do que todos os transportes juntos. Na última década, …

É distraído e está sempre a perder a carteira? A Cashew Smart Wallet é para si

Uma simples carteira pode vir a melhorar os seus dias. A Cashew Smart Wallet é dotada de uma tecnologia de bluetooth que permite proteger os seus bens e ainda o ajuda caso a perca por …

Desportivo das Aves SAD desiste do Campeonato de Portugal

O Desportivo das Aves SAD vai abdicar da participação no Campeonato de Portugal (CdP), após ter falhado as negociações com o Perafita para utilizar as instalações do clube de Matosinhos. "As inscrições fechavam ontem [terça-feira] e …

Celebridades doam dinheiro para pagar dívidas a ex-presos impedidos de votar nos EUA

O bilionário Michael Bloomberg, o cantor John Legend e o basquetebolista LeBron James são algumas das celebridades que estão a doar dinheiro para pagar dívidas de ex-presidiários da Florida, impedidos de votar nas próximas eleições …

No debate sobre o Plano de Recuperação, evocou-se Sócrates e Passos

O líder do PSD questionou o primeiro-ministro se pretende "fomentar o desemprego" com o aumento do salário mínimo. O chefe do Governo manifestou-se "completamente perplexo". Na abertura do debate sobre o Plano de Recuperação e Resiliência, …

380 baleias morreram encalhadas na Austrália. Este é o maior incidente registado no país

Morreram pelo menos 380 baleias-piloto presas numa baía remota da Tasmânia. Apesar dos intensos esforços para tentar salvá-las não foi possível evitar este cenário, informou hoje um responsável pelos serviços de socorro. "Temos um número mais …

Ansu vale 400 milhões e é "sucessor" de Lopetegui

A figura mais recente do Barcelona e do futebol espanhol entrou oficialmente na equipa principal e, por isso, a cláusula de rescisão "disparou". Em Barcelona continua-se a falar muito sobre Luis Suárez. Depois de Lionel Messi, …

Deputados chumbam divulgação imediata e integral da auditoria ao Novo Banco

Os deputados da Comissão de Orçamento e Finanças (COF) rejeitaram, esta quarta-feira, o requerimento do Bloco de Esquerda (BE) para divulgação pública imediata e integral do relatório de auditoria especial ao Novo Banco enviado pelo …

Bélgica recoloca Lisboa e região Centro no "vermelho"

As autoridades belgas aliviaram ligeiramente as medidas restritivas no quadro da pandemia da covid-19, apesar do aumento do número de casos, esta quarta-feira, e recolocaram a área metropolitana de Lisboa e a região centro de …