Venezuela acusa EUA de interferência nas eleições legislativas de dezembro

Wikimedia

Os Estados Unidos impuseram sanções contra figuras políticas venezuelanas. Caracas fala em tentativa de interferir nas eleições do país.

A Venezuela acusou, esta sexta-feira, os Estados Unidos de tentarem interferir nas eleições legislativas previstas para 6 de dezembro, ao impor sanções contra quatro figuras públicas venezuelanas, duas delas relacionadas com o Conselho Nacional Eleitoral (CNE).

“Com estas medidas ilegais, a administração de Donald Trump pretende impedir o inevitável. Nenhuma pressão externa poderá impedir o povo venezuelano de exercer o seu direito de votar e decidir o seu destino, de maneira soberana”, garante um comunicado do ministério venezuelano de Relações Exteriores.

O documento começa por explicar que a Venezuela “denuncia mais uma vez, perante a comunidade internacional, as agressões intervencionistas do Governo supremacista de Washington”.

Caracas acusa os EUA de “violação do Direito Internacional”, ao pretender “impor ilegalmente medidas coercivas unilaterais contra as instituições democráticas venezuelanas, em particular tentando interferir na realização das eleições parlamentares”.

“O valor sagrado da democracia nada mais é do que uma retórica vazia para um governo que se gaba de ser o seu principal defensor no mundo”, acrescenta o Governo venezuelano.

“A agressão contra a presidente do CNE, dois dos seus principais reitores e o procurador-geral da República [da Venezuela] não afetará o compromisso das instituições do Estado venezuelano de garantir o cumprimento das disposições constitucionais e legais, e a vontade popular. Muito pelo contrário, representam um estímulo adicional para avançar com maior eficácia e moral, em direção aos objetivos e eleitorais”, afirma.

O comunicado conclui condenando “energicamente este atentado contra a soberania e integridade patrimonial venezuelana”.

“O povo venezuelano é um povo livre, independente e determinado a construir o seu próprio futuro em democracia e paz. Nenhuma ameaça ligada ao desespero e ao fracasso da Casa Branca travará o pleno exercício das nossas garantias democráticas”, conclui o Ministério das Relações Exteriores de Caracas.

Os Estados Unidos anunciaram a imposição de sanções contra várias figuras políticas venezuelanas, argumentando que visavam responsáveis que privaram os venezuelanos de “eleições livres e justas”.

A par da presidente do CNE, Indira Alfonzo, as sanções norte-americanas abrangem José Luis Gutiérrez Parra, outro membro da direção do órgão eleitoral venezuelano, assim como o procurador-geral da Venezuela, Reinaldo Muñoz, e o ex-governador do estado de Anzoátegui, David De Lima.

Num comunicado, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, esclareceu que decidiu aplicar sanções sobre estas quatro figuras, devido à sua “participação” nos alegados esforços do Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, para “manipular” o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) e a Assembleia Nacional (Parlamento) com o objetivo de “privar o povo venezuelano de eleições livres e justas”.

As eleições legislativas venezuelanas estão previstas para 6 de dezembro. No entanto, 27 partidos da oposição já anunciaram que não vão participar num processo que dizem ser “uma fraude eleitoral”.

Em 12 de junho, o Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela (STJ) nomeou novas autoridades do CNE, uma semana depois de retirar os poderes da Assembleia Nacional para as eleger e depois de anunciar que assumiria o processo.

Ainda em junho, o STJ suspendeu a direção dos partidos opositores Vontade Popular, Primeiro Justiça e Ação Democrática, e também de vários partidos afetos ao regime, entre eles Pátria para Todos e Tupamaro. O STJ ordenou que fossem reestruturados e nomeou direções provisórias para esses partidos.

A Venezuela tem, desde janeiro, dois parlamentos parcialmente reconhecidos, um de maioria opositora, liderado por Juan Guaidó, e um pró-regime, liderado por Luís Parra, que foi expulso do partido opositor Primeiro Justiça, mas que continua a dizer que é da oposição.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Teresa Leal Coelho admite processar ex-vereador Fernando Nunes da Silva

A vereadora da Câmara Municipal de Lisboa Teresa Leal Coelho admitiu que poderá vir a processar o antigo vereador Fernando Nunes da Silva, devido às declarações sobre a reposição dos sentidos de circulação na Avenida …

Linha de Fundo: Benfica reforça liderança, mais recados de Conceição, um jardim de infância especial e João “rosa” Almeida

Era uma vez um Clássico... Deu empate o primeiro clássico da época 2020/21. Em Alvalade, Sporting e FC Porto igualaram-se a duas bolas, num jogo que valeu pelas mudanças de resultado, mas que nem sempre foi …

CDS critica PS por obrigar portugueses a pagar "buraco" da TAP para servir apenas Lisboa

O CDS está "chocado" por a TAP ir abandonar as quatro rotas que opera no Aeroporto Francisco Sá Carneiro e critica o PS por obrigar portugueses a pagar "buraco" da TAP para servir apenas Lisboa. O …

Contratos de associação dos colégios privados. Ministério da Educação vence todos os 55 processos judiciais

Em todos os 55 processos judiciais que os colégios privados moveram contra o Ministério da Educação em 2016, na sequência da polémica dos contratos de associação, todas as 55 decisões foram favoráveis ao Governo. O jornal …

Famílias numerosas podem pedir desconto no IVA da luz a partir de março

As famílias com cinco ou mais elementos só poderão usufruir da redução do IVA da eletricidade a partir de 1 de março e terão de o requerer junto do seu fornecedor, segundo uma portaria esta …

Vacina da gripe disponível para mais grupos. Farmácias temem não ter stock suficiente

A vacina da gripe está, a partir desta segunda-feira, disponível para mais grupos populacionais com o início da segunda fase da campanha, que estende a vacinação a pessoas com 65 ou mais anos e pessoas …

Franceses em protesto para homenagear professor decapitado. Autoridades procuram radicais islâmicos

Milhares de pessoas reuniram-se no domingo no centro de Paris numa demonstração de repúdio pela decapitação do professor que mostrou aos seus alunos desenhos do Profeta Maomé. Os manifestantes da Praça da República ergueram cartazes onde …

Proud Boys acreditam na vitória de Trump: "Vamos Ganhar". Voto antecipado começa hoje na Florida

O líder do grupo Proud Boys disse à Lusa, durante uma manifestação em Miami, que Donald Trump vai vencer as eleições presidenciais norte-americanas, e rejeitou a acusação de que é dirigente de uma organização extremista. …

Projeto desenvolve testes rápidos de baixo custo para detetar imunidade

Um consórcio de universidades e uma empresa querem desenvolver "testes rápidos e de baixo custo" para detetar a resposta imunitária ao vírus SARS-CoV-2. O projecto TecniCov, que "obteve um financiamento de 450 mil euros da Agência …

"Medo constante". Human Rights Watch denuncia tortura na Coreia do Norte

Uma organização não-governamental denunciou esta segunda-feira que o sistema norte-coreano de detenção pré-julgamento e de investigação é cruel e arbitrário, com ex-detidos a descreverem tortura sistemática, corrupção e trabalhos forçados não-remunerado. No relatório de 88 páginas, …