Vacina para humanos e animais está a ser desenvolvida para tratar doenças em comum

Está a ser desenvolvida uma vacina apta para seres humanos e animais que pode ajudar no tratamento e prevenção de doenças compartilhadas por ambos. A fase de testes em humanos deverá começar no próximo ano.

Se alguma vez houve provas de que os seres humanos são animais, são as doenças que compartilhamos com outras espécies. Desde a raiva e do zika ao Ébola e à gripe das aves, muitas doenças mortais por todo o mundo podem ser transmitidas entre animais e pessoas.

Atualmente, temos três opções para tentar proteger as pessoas contra este tipo de doenças. Podemos vacinar os animais, os humanos ou tomar medidas para ajudar os dois a evitarem o contacto. Contudo, pode haver agora uma maneira simples e barata de proteger pessoas e outras espécies ao mesmo tempo, usando a mesma vacina.

George Warimwe, da Universidade de Oxford, liderou uma investigação para uma vacina única para a Febre do Vale do Rift, uma das doenças prioritárias da Organização Mundial de Saúde. O estudo foi publicado, em 2017, na revista Vaccine.

Desde que apareceu no Quénia, em 1930, a doença transmitida por mosquitos espalhou-se para outros países africanos e para a Península Arábica, causando surtos de doenças que afetaram milhões de animais e centenas de milhares de seres humanos.

Durante esses surtos, a doença mata mais de 90% dos animais jovens e faz com que quase 100% dos animais prenhes abortem os seus fetos. Isto pode destruir os meios de subsistência de sociedades maioritariamente agrícolas.

Por exemplo, um surto no Quénia em 2006 e 2007 custou ao setor agrícola perdas estimas em mais de 32 milhões de dólares, trazendo impactos sociais profundos entre as comunidades afetada. Nos seres humanos, a febre é menos grave, mas pode ocasionalmente causar encefalite, cegueira, hemorragias e até mesmo a morte.

As vacinas para animais mais amplamente usadas não são recomendadas para animais prenhes devido aos riscos de aborto e malformação. Para humanos, ainda não há nenhuma vacina licenciada disponível para a Febre do Vale do Rift.

Criar a vacina

Como os ensaios clínicos são sempre o estágio final para demonstrar que uma vacina é segura em humanos, os cientistas de Oxford usaram uma técnica que demonstrou ser segura para vacinação humana contra uma série de doenças, como gripe, malária e Ébola.

A técnica usa um adenovírus de chimpanzé para expor os indivíduos a apenas uma pequena parte do vírus da Febre do Vale do Rift — o suficiente para o sistema imunológico reconhecer uma infeção futura, mas não o suficiente para causar uma infeção.

Como esse vírus incompleto é diferente do vírus completo, a técnica permite que os profissionais de saúde animal testem com precisão se um animal é vacinado ou um portador infetado, mas sem sintomas. Isto é crucial durante os surtos, pois os falsos positivos podem levar ao abate desnecessário dos animais e ao aumento dos custos.

Nos nossos estudos anteriores descobrimos que uma dose única desta vacina deu 100% de proteção contra a Febre do Vale do Rift em várias espécies de animais. Os investigadores esperam agora que tenha o mesmo sucesso nos testes clínicos humanos planeados para o início do próximo ano.

Usando os avanços científicos das vacinas para humanos em vacinas veterinárias, e vice-versa, os investigadores podem desbloquear melhor os mecanismos biológicos compartilhados subjacentes à imunidade da doença, acelerando o planeamento e o desenvolvimento de vacinas entre espécies.

PARTILHAR

RESPONDER

O pulmão de um chinês colapsou (e a culpa foi do karaoke)

O pulmão de um homem de 65 anos, na China, colapsou após ter tentado atingir uma nota alta durante uma intensa sessão de karaoke. O homem, residente em Nanchang, na província de Jiangxi, teria estado a …

"Emergência nacional". Deputados pedem a Boris que convoque imediatamente o Parlamento

Mais de 100 deputados britânicos pediram, numa carta divulgada este domingo, ao primeiro-ministro Boris Johnson para convocar imediatamente o Parlamento e voltar a debater o Brexit. As férias de verão do Parlamento terminam normalmente a 03 …

Rambo Luso. Há um português a viver na selva venezuelana há 25 anos

Há 25 anos que o português António Pestana Drumond realiza expedições às regiões de selva do Delta Amacuro e do Parque Nacional Canaima, leste da Venezuela, onde é conhecido pelos indígenas locais como o Rambo …

Já é possível saber se alguém está a mentir. Basta olhar nos olhos

Os olhos não mentem. Pelo menos é o que acham os investigadores da Universidade de Stirling, na Escócia, que criaram uma prova que diz se a pessoa está a mentir ou não com a monitorização …

NASA detetou (e mediu) o primeiro choque interplanetário

A Multiscale Magnetospheric Mission (MMS) da agência espacial norte-americana conseguir fazer as primeiras medições de um choque interplanetário. Em comunicado, a NASA explica que os choques interplanetários são um tipo de choque sem colisão, no …

Quem ganhou a Segunda Guerra Mundial? Aliados e Eixo dizem que foram eles próprios

Em média, tanto os cidadãos de países dos Aliados como cidadãos de países do Eixo dizem que foram eles mesmos os vencedores da Segunda Guerra Mundial. Se perguntarmos a qualquer um dos poucos veteranos remanescentes da …

Norte-americano passou 30 anos na prisão por erro. Vai ser indemnizado em 10 milhões

Um norte-americano que há 30 anos foi erradamente condenado a 57 anos de prisão por violação e roubo vai agora receber uma indemnização de quase 10 milhões de dólares, avança o jornal New York Post. …

O Pólo Norte está a ser atingido por relâmpagos (e isso não é normal)

Uma tempestade perto do Pólo Norte pode não parecer a maior preocupação, tendo em conta o rápido aquecimento do Ártico. Mas é mais um sinal de que o Ártico continua a ter um verão anormal. A …

FC Porto 4-0 V.Setúbal | Hat-trick e goleada contra a crise

O FC Porto amealhou os seus primeiros pontos no campeonato, ao golear o Vitória de Setúbal por 4-0. Após uma semana difícil em que a palavra “crise” foi diversas vezes utilizada para referir a situação dos …

Há uma nova linha temporal do passado cataclísmico da Terra

Bem-vindos ao Sistema Solar primitivo. Logo após a formação dos planetas há mais de 4,5 mil milhões de anos, a nossa vizinhança cósmica era um lugar caótico. Ondas de cometas, asteroides e até protoplanetas seguiram …