Merson: Manchester United seria melhor sem Cristiano Ronaldo

Alessandro della Valle / EPA

Paul Merson repete a sua ideia e acrescenta que a chegada do português estragou os planos de Ole Gunnar Solskjær.

As exibições modestas e os resultados irregulares do Manchester United originaram a saída de Ole Gunnar Solskjær. E tudo isto tem origem na Madeira: Cristiano Ronaldo. É a opinião de Paul Merson.

O antigo internacional inglês repetiu a ideia que já tinha defendido: o Manchester United seria uma equipa melhor sem Cristiano Ronaldo no plantel.

E explicou: “Solskjær tinha um plano, quando a época começou. Depois de ter conseguido finalmente a contratação do Jadon Sancho, iria colocar o Edinson Cavani na frente, no meio, auxiliado pelo Sancho e pelo Marcus Rashford, com o Mason Greenwood a entrar de vez em quando também. Teria um ataque com ritmo, com força, energia, juventude e habilidade”.

“Mas apareceu o Cristiano Ronaldo. E os seus planos foram atirados pela janela fora. Desde o primeiro dia que o United não passou a ser uma equipa melhor com a presença do Cristiano”, escreveu Merson, na Sky Sports.

O ex-jogador do Arsenal continuou a sua análise, mencionando ainda outro internacional português: “A arma poderosa do contra-ataque desapareceu com a chegada do Ronaldo. E o Bruno Fernandes? Foi o melhor jogador do United na época passada e agora mal toca na bola!“.

Merson acha que a direcção do United só partiu para a contratação do português por causa do interesse do rival Manchester City: “O United não andava a sondar a Juventus para ter a peça que faltava para vencer a Premier League. Porque o Ronaldo não é a peça que faltava! E a culpa não é do Solskjær porque não foi o treinador a pedir a sua contratação“.

O comentador da Sky focou-se num jogo que deu que falar, quando no início de Outubro o Manchester United recebeu o Everton e Cristiano ficou no banco de suplentes. Entrou a meia hora do final.

“Dizem que foi para ele descansar. Não foi. O Solskjær esperava vencer o Everton sem o Ronaldo, para ter um argumento a favor dele, para manter a equipa como tinha planeado. Mas o tiro saiu pela culatra e o Ronaldo teve que voltar a jogar todas as semanas”, acrescentou.

Merson tem noção de que Cristiano Ronaldo é “um dos melhores futebolistas de sempremas, ao mesmo tempo, é o “calcanhar de Aquiles” desta equipa de Manchester. “Ele é uma lenda, com todos os recordes que atingiu, mas hoje já não é assim”.

“Sim, ele tem marcado golos. Mas o United, se quer conquistar troféus, precisa de jogar como uma equipa. Não precisa de alguém que esteja lá à frente e marque 20 golos por época. Precisa de uma equipa”, repetiu, deixando a ideia de que Cristiano Ronaldo pode nem ter lugar no 11 do United.

O antigo treinador lamentou também a situação de Jadon Sancho. O jovem inglês era uma figura no Borussia Dortmund, era uma prioridade para Solskjær, mas desde que chegou no Verão nunca fez um jogo completo e é titular poucas vezes: “Seria ideial para a maneira como o United jogava, no contra-ataque. Mas agora não há disso”.

Quatro épocas, quatro treinadores a sair

Esta é a quarta temporada consecutiva em que a equipa onde está Cristiano Ronaldo muda de treinador. Ou durante a época, ou no final. Ou seja, desde que saiu do Real Madrid, o português nunca se cruzou com o mesmo treinador durante mais do que um ano.

O jornal Daily Mail lembra que o primeiro a sair foi Massimiliano Allegri, no final da época 2018/19, a primeira do português na Juventus. O sucessor Maurizio Sarri foi despedido na época seguinte. Andrea Pirlo só “durou” nove meses em Turim, sendo afastado em Maio deste ano.

E agora, Ole Gunnar Solskjær, que era treinador do Manchester United há praticamente três anos (sucessor de José Mourinho na altura).

  Nuno Teixeira, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.