/

Uma em cada seis pessoas terá um AVC. Quer tentar a sorte?

O.D. / Rick / Flickr

O.D. / Rick / Flickr

Sabia que uma em cada seis pessoas irá sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC) ao longo da sua vida? Hoje, no Dia Mundial do AVC, o lema da campanha a nível mundial continua a ser “1 em 6”, para lembrar a doença que toca a todos mas que pode ser evitada.

De acordo com a Organização Mundial de AVC, a doença é responsável por 6 milhões de mortes a cada ano. Apontado como a primeira causa de morte e incapacidade em Portugal, o AVC pode ser prevenido, em boa parte dos casos, com hábitos saudáveis no decorrer da vida, como a prática moderada de exercícios .

Os 5 principais fatores que aumentam a probabilidade de ter um AVC são a hipertensão, diabetes, fumo, a arritmia cardíaca e o sedentarismo, aos quais se juntam o álcool e a alta taxa de colesterol. A doença atinge principalmente idosos com mais de 60 anos de idade, mas há registo de ocorrências em jovens e recém-nascidos.

“O AVC é de todas as idades”, alerta o presidente da Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral, José Carlos Lopes, no site da campanha Vamos A Isto. “Tenham muita atenção aos 5 fatores de risco, entre eles o sedentarismo. A atividade física regular protege a doença vascular cerebral”, completa o médico.

Se começar a sentir fraqueza ou dormência súbita em um lado do corpo, dificuldades para falar ou ver, tonturas repentinas e dor de cabeça muito forte sem motivo aparente, procure ajuda médica urgente. Para saber se uma pessoa está a ter um AVC, peça que sorria e verifique se o sorriso está torto, observe se consegue levantar os dois braços e procure alguma diferença na fala (arrastada ou enrolada). Se identificar algum desses sinais, chame de imediato o 112 e peça para ser transportado para uma unidade de AVC – existem cerca de 30 unidades em Portugal.

O atendimento rápido garante que o tratamento ocorra antes de quatro horas e meia, período considerado chave para reduzir a mortalidade. Sem o diagnóstico precoce, o AVC pode provocar consequências irreversíveis, sendo uma das principais causas, a nível mundial, de invalidez.

O AVC é causado pela interrupção brusca do fluxo sanguíneo numa artéria cerebral, provocada por um coágulo (denominado isquêmico), ou o rompimento de um vaso sanguíneo provocando um sangramento no cérebro (chamado hemorrágico). O AVC isquêmico é o mais comum, representando mais de 80% dos casos da doença.

Se quiser fazer um rastreio, aproveite as atividades do Dia do AVC e dê um salto ao Jardim da Cordoaria, no Porto, onde vai estar a Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral, ou participe na aula de ginástica do projeto Vamos A Isto, que nasceu para “salvar” os sedentários das doenças que os perseguem.

Durante o resto do ano, a receita para ficar de fora da “roleta russa” do AVC é simples: estar atento aos fatores de risco (especialmente o sedentarismo), praticar exercício físico – que tal uma caminhada de meia hora ao voltar do trabalho? – e  obedecer às palavras de ordem: sair do sofá!

Aline Flor, ZAP

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE