“Surpreendido” pela desistência da compra da TVI, dono da Douro Azul “ataca” capital da Cofina

DouroAzul / Wikimedia

O empresário português Mário Ferreira, dono da Douro Azul.

O empresário Mário Ferreira, dono da Douro Azul, aumentou a sua participação no capital da Cofina, depois de esta ter anunciado a desistência da compra da TVI por falta de capital. Mário Ferreira já se manifestou “surpreendido” com a decisão, dando a entender que estaria disposto a avançar os cerca de 3 milhões de euros que faltavam para concretizar o negócio.

A desistência de compra da TVI assumida pela Cofina deixou Mário Ferreira “surpreendido”, como assumiu em declarações à Agência Lusa, lamentando que não foi “consultado” e acusando a Cofina de ter cancelado a operação de forma unilateral quando ele estaria disposto a avançar os cerca de 2,9 milhões de euros que faltavam para subscrever a totalidade do aumento de capital que era necessário para partir para a compra da TVI.

Depois do fracasso do negócio, Mário Ferreira “atacou” o capital da Cofina, aumentando a sua participação na empresa.

A Pluris Investments, de Mário Ferreira, e o empresário a título individual detêm em conjunto uma participação de 2,072% na Cofina, num total de 2.125.200 acções, segundo um comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

De acordo com a nota, a sociedade e o seu accionista maioritário comunicaram, a 11 de Março de 2020, “as suas aquisições de acções emitidas pela Cofina”, que “totalizaram o montante de 2.125.200, em sessão em bolsa”.

Depois da compra destes títulos, a Pluris ficou com 2.050.000 acções, representativas de 1,998% do capital da dona do Correio da Manhã, enquanto Mário Ferreira detém 75.200 ações do grupo (0,073%).

A Pluris Investments tinha assumido um compromisso de subscrição de 44.444.444 ações no aumento de capital da Cofina, que tinha globalmente um valor de 85 milhões de euros, alocado ao financiamento da operação de aquisição do grupo Media Capital, que detém a TVI.

A Cofina anunciou ter desistido de comprar o grupo, após falhar a operação de aumento de capital, de 25,6 milhões para 110,6 milhões de euros, para financiamento da aquisição da empresa, aos espanhóis da Prisa.

Mário Ferreira manifestou, por sua vez, “grande surpresa” com a decisão de cancelamento da operação, recordando ter sido “convidado pelo engenheiro Paulo Fernandes [presidente executivo da Cofina] para participar no aumento do capital com vista à aquisição da Media Capital”.

A oferta abrangia a subscrição reservada a accionistas no exercício do direito de preferência e demais investidores que adquiram direitos de subscrição, através da emissão de 188.888.889 novas acções ordinárias, escriturais e nominativas, sem valor nominal.

O preço de subscrição tinha sido fixado em 0,45 euros por cada nova acção, que correspondia ao respectivo valor de emissão.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Olhem-me este caga tacos a pensar que é alguém! Anda com trocos em terras de milhões e ainda pensa que pode falar grosso.

RESPONDER

Harry Potter. HBO Max trabalha em possível série de televisão

A saga Harry Potter pode estar a caminho da televisão. Segundo o The Hollywood Reporter (THR), o projeto ainda está em fase inicial, mas os diretores executivos da HBO Max já estão em reuniões com …

Intrigante sistema de seis exoplanetas com movimentos rítmicos desafia teorias de formação planetária

Com o auxílio de vários telescópios, incluindo o VLT (Very Large Telescope) do Observatório Europeu do Sul (ESO), os astrónomos descobriram um sistema com seis exoplanetas, cinco dos quais estão presos numa dança rítmica rara …

Boavista 0-2 Sporting | Leões garantem dérbi confortável

O Sporting cumpriu a sua “obrigação” e foi vencer por 2-0 a casa do Boavista, numa 15ª jornada fundamental, uma vez que na próxima segunda-feira a formação de Alvalade recebe o Benfica, no grande dérbi …

Violino põe em risco compromisso da Alemanha de devolver objetos saqueados pelos nazis

Um violino com 300 anos está no centro de uma disputa que ameaça minar o compromisso da Alemanha em devolver objetos saqueados pelos nazis. Ninguém sabe por que Felix Hildesheimer, um negociante de instrumentos musicais judeu, …

Consumo de álcool aumentou durante a pandemia de covid-19

Embora o consumo de álcool tenha aumentado mais entre os jovens, os adultos mais velhos, sobretudo os que sofrem de ansiedade e depressão, também revelaram estar dentro desta tendência. “O aumento do consumo de álcool, especialmente …

Alphabet diz adeus ao Loon, projeto que queria espalhar Internet através de balões

O projeto da Alphabet que tinha como objetivo levar Internet às partes mais remotas do mundo "perdeu o fôlego" e os seus responsáveis decidiram pôr-lhe um ponto final. Num comunicado divulgado na última sexta-feira, Alastair Westgarth, …

Estudo identifica cidades europeias com maior mortalidade devido à poluição do ar

Madrid, Antuérpia e Torino (em Espanha, Bélgica e Itália, respetivamente) lideram o ranking de mortes associadas à poluição por dióxido de azoto (NO2). Já a maior mortalidade atribuível a partículas finas é encontrada em cidades …

Fim do Flash Player colapsou sistema de estação ferroviária chinesa

O sistema ferroviário na cidade de Dalian, no nordeste da China, ficou paralisado por causa da desativação do programa Flash Player da Adobe. A Adobe encerrou o suporte técnico do seu player de multimédia Flash Player …

Eis o que o mundo pode aprender com o confinamento da China

O confinamento na China tem apresentado resultados excecionais no controlo da pandemia, à custa da perda de liberdade das pessoas. Ainda assim, há muito que se pode aprender com o exemplo chinês. Colocar o autoritarismo contra …

Descoberto fármaco "100 vezes mais potente" contra a covid-19 (e "nasceu" das seringas-do-mar)

Uma equipa internacional de investigadores descobriu um medicamento antiviral que é "100 vezes mais potente" do que o remdesivir no tratamento da covid-19. Trata-se de um fármaco usado para tratar um cancro sanguíneo, que só foi …