Tuvalu, a minúscula nação do Pacífico que faz uma fortuna com o domínio “.tv”

A pequena nação de Tuvalu recebe cerca de 10 milhões de euros por ano devido ao licenciamento do domínio .tv — uma verdadeira fortuna para o país.

Tuvalu é uma pequena ilha no meio do Pacífico, com cerca de 11 mil habitantes, e cuja área territorial não supera os 30 quilómetros quadrados.

O turismo é muito precário, apenas existindo um hotel no país, localizado em Funafuti, a capital do país. Segundo a Far & Wide, Tuvalu é o país menos visitado do mundo, recebendo cerca de 2 mil visitantes anualmente.

A sua economia é muito limitada e as exportações são escassas. Ainda assim, o país é conhecido pelas suas atividades económicas bizarras, que garantem algum rendimento extra.

Por exemplo, Tuvalu amealha receitas com a venda da sua bandeira para barcos internacionais e com as emissões de selos para colecionadores.

Ainda assim, esta não é a sua fonte de rendimento mais curiosa. Uma grande parte da fortuna do arquipélago vem do licenciamento do domínio de internet “.tv”.

Tudo começou na década de 1990, quando a União Internacional de Telecomunicações atribuiu aos países uma sequência de caracteres para colocar no final dos seus endereços de web. Enquanto Portugal, por exemplo, ficou com o domínio “.pt”, Tuvalu recebeu o domínio “.tv”.

Quis o destino que a pequena e humilde nação recebesse um domínio que acabou por se revelar bastante útil, já que é a abreviação universal de “televisão”. Como tal, o país decidiu capitalizar com isso.

O domínio de Tuvalu é um dos recursos mais valiosos da nação insular. Graças à crescente popularidade do live streaming e dos videojogos competitivos, Tuvalu ganha cerca de 1/12 do seu PIB com o licenciamento do domínio para gigantes da tecnologia como a plataforma de streaming Twitch, da Amazon.

A Twitch.tv tem o domínio desde 2011 e, atualmente, atrai cerca de 100 milhões de utilizadores por mês. E de acordo com o Domain Tools, .tv está licenciado para 458.168 sites.

A empresa norte-americana Verisign pagava a Tuvalu cerca de 5 milhões de dólares por ano pelos direitos. Entretanto, o contrato terminou no ano passado e, no início de 2022, a GoDaddy passou a deter os direitos.

A Tuvalu Telecommunications Corporation não divulgou o valor negociado, escreve a ABC Australia, mas o portal The World avança que a cifra deve rondar o dobro do acordo anterior: 10 milhões de dólares.

Para um país que fatura cerca de 67 milhões de euros por ano, este é um negócio incrivelmente valioso para o Estado da Polinésia.

“Essencialmente, é como ter terras e arrendar essas terras para outras pessoas”, disse George Siosi Samuels, diretor administrativo da Faiā, uma consultoria de tecnologia que liderou as negociações.

Em novembro do ano passado, o ministro dos Negócios Estrangeiros de Tuvalu gravou um discurso onde se mostra a falar com a água pelos joelhos. O objetivo era mostrar como o país é vulnerável ao aquecimento global. Crê-se que seja um dos primeiro países a desaparecer com a subida do nível da água do mar.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.