Tubarões-frade do Reino Unido também gostam de passar férias em Portugal

Philip Doherty / University of Exeter

Tubarão-frade a alimentar-se.

Tubarão-frade a alimentar-se.

Um novo estudo refuta a ideia aceite até há pouco tempo de que os tubarões-frade hibernavam em águas britânicas e da Irlanda. Afinal, esta espécie marinha das ilhas britânicas foge para as águas portuguesas no inverno.

Alguns dos tubarões-frade que vivem durante a maior parte do ano em águas das ilhas britânicas passam o inverno ao largo de Portugal, revela um novo estudo que se centrou nos pouco conhecidos hábitos invernais da espécie.

Para além de Portugal, a pesquisa, publicada na revista Scientific Reports, revela que a Baía da Biscaia e o norte de África são também destinos de inverno de uma parte da população de tubarões-frade “britânicos”, enquanto outra parte permanece nas imediações das ilhas britânicas e da Irlanda.

Cientistas da Universidade de Exeter, no Reino Unido, anunciaram que recorreram a sistemas sofisticados de rastreamento por satélite para fazerem “o mais detalhado estudo até ao momento” sobre as movimentações migratórias de inverno dos tubarões-frade no Atlântico nordeste, difíceis de estudar porque passam pouco tempo junto à superfície e frequentam, habitualmente, águas afastadas de terra.

Os investigadores colocaram transmissores em 70 tubarões, dos quais 28 transmitiram dados, durante mais de cinco meses, e revelaram que a maioria deles viajou para águas ao largo de Portugal, Espanha e norte de África, enquanto um número menor passou o inverno na baía da Biscaia.

Os dados recolhidos apontam que os tubarões que se deslocaram para sul partiram no final do verão e início do outono e regressaram às ilhas britânicas no final da primavera e início do verão.

Espécie “em perigo”

O tubarão-frade (‘Cetorhinus maximus‘), que pode atingir dez metros de comprimento, é a segunda maior espécie de peixe existente nos oceanos, a seguir ao tubarão-baleia (‘Rhincodon typus‘), que pode atingir os 15 metros. Apesar do tamanho, ambas se alimentam essencialmente de plâncton.

A União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) classifica, globalmente, os tubarões-frade como espécie “vulnerável”, mas a população do Atlântico nordeste está oficialmente classificada como “em perigo”.

“Saber onde estes animais vivem nas diferentes épocas do ano permite compreender melhor as ameaças que enfrentam. É informação essencial para a proteção da espécie, sobretudo a confirmação de que se afastam bastante de águas britânicas, o que significa que os esforços de proteção e conservação têm de ser internacionais“, afirma num comunicado da Universidade de Exeter Philip Doherty, o investigador principal do estudo.

Philip Doherty adianta que “em termos de ameaças de origem humana, pensa-se normalmente na pesca comercial como o principal risco para estes animais de grande porte, mas questões como colisões com navios, lixo e ruído são também fatores importantes”.

Outro dos investigadores que realizaram o estudo, Matthew Witt, refere no artigo publicado na Scientific Reports que “é ainda desconhecido se cada tubarão faz a mesma migração todos os anos ou se alteram o comportamento segundo fatores como condição física, ciclos reprodutivos ou disponibilidade de alimentos”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Dois veleiros robotizados vão medir alterações climáticas no Atlântico

Dois veleiros de navegação robotizada vão medir, durante os próximos quatro meses, a pegada das mudanças climáticas no oceano Atlântico e irão passar pela Madeira e Cabo Verde. A Plataforma Oceânica das Canárias (PLOCAN) libertou esta …

A educação científica está sob ataque legislativo nos Estados Unidos

São inúmeros os professores de ciências que trabalham diariamente nas escolas públicas dos Estados Unidos para garantir que os alunos estão equipados com o conhecimento teórico e prático necessário para enfrentar o futuro. No entanto, …

João Félix saiu lesionado com gravidade no jogo contra o Valência

João Félix, avançado português do Atlético de Madrid, saiu este sábado lesionado com "forte torção no tornozelo direito", ao minuto 78 do jogo contra o Valência, da nona jornada da Liga espanhola de futebol, disputado …

As traças ficaram mais escuras por causa da Revolução Industrial? Cientistas já sabem a resposta

No virar do século XIX, na Grã-Bretanha, traças de todo o país começaram a ficar gradualmente mais escuras em resposta à forte poluição provocada pela Revolução Industrial. A Revolução Industrial foi um período de grandes transformações …

Mais de mil médicos foram alvo de processos disciplinares. 45 foram condenados, nenhum foi expulso

Mais de 1.070 processos disciplinares a médicos foram abertos no ano passado pelos conselhos disciplinares da Ordem, tendo sido condenados 45, segundo dados este sábado divulgados. Segundo os dados da Ordem dos Médicos, os conselhos disciplinares …

Publicar no Instagram rende mais a Ronaldo do que jogar na Juve

As publicações pagas no Instagram rendem mais a Cristiano Ronaldo do que jogar na Juventus, revela um estudo do Buzz Bingo. O internacional português foi a personalidade mais bem paga neste rede social em 2018. De …

Brexit: Hoje era o Dia D (mas afinal, fica tudo na mesma)

Devia ter sido o dia decisivo para o Brexit no Parlamento do Reino Unido, mas o processo foi mais uma vez adiado.  Foi aprovada uma emenda que obriga o primeiro-ministro Boris Johnson a pedir um novo …

"Mais Siza e menos Centeno". Emprego e salários são as chaves do novo Governo de Costa

O novo Executivo para a próxima legislatura, que António Costa apresentou esta terça-feira ao Presidente da República, tem como chaves de governação o emprego e os salários, escreve este sábado o Expresso. De acordo com …

FBI já apurou a causa da morte de três turistas na República Dominicana

Testes toxicológicos apresentados esta semana pelo FBI determinaram que a morte de três turistas norte-americanos na República Dominicana se deveu a causas naturais, avança o jornal New York Times. De acordo com o diário, no caso …

"Discos encriptados de Rui Pinto são pisa papéis para a Judiciária"

A Polícia Judiciária "precisaria de milhares de anos" para conseguir" descodificar os discos encriptados pelo hacker Rui Pinto, onde se acredita que estejam provas relevantes sobre os alegados roubos de emails e os acessos ilegais …