Trump pede a retirada de prémios Pulitzer aos jornalistas que divulgaram interferência russa nas eleições de 2016

Pedido tem sido feito de forma repetida pelo antigo presidente desde 2019, apesar de os jornais que publicaram os trabalhos manterem os factos relatados.

Donald Trump, antigo presidente dos Estados Unidos da América, solicitou que os prémios entregues aos jornalistas do The New York Times e The Washington Post em 2018, na sequência dos seus trabalhos que comprovavam a interferência russa nas eleições norte-americanas de 2016 — que resultaram na eleição de Trump — e da ligação do candidato do partido à Rússia.

A distinção foi entregue aos profissionais pela sua cobertura noticiosa de “interesse público”, “implacável” e apoiada em “fontes profundas” que os jurados entenderam ter sido essencial para a nação perceber os verdadeiros contornos da interferência da Rússia no ato eleitoral. Desde então, ambos os jornais e respetivas direções reafirmaram o conteúdo dos seus trabalhos, lembra o The Guardian.

No entanto, Trump, numa carta endereçada a Bud Kliment, administrador interino da iniciativa, solicitou a retirada dos prémios — algo que tem vindo a fazer de forma repetida desde 2019.

No novo pedido, o antigo presidente alega que o que está em causa são “investigações falsas relativas a uma relação não existente entre o Kremlin e a campanha de Trump”, caracterizou os trabalhos dos dois jornais “uma com motivações políticas” e queixou-se dos testemunhos anónimos citados nos trabalhos. Todas as investigações conduzias pelas instituições norte-americanas não concluíram a existência de qualquer ligação entre as partes.

Ao longo dos anos, só um prémio Pulitzer foi retirado: o atribuído em 1981 a Janet Cooke, por um trabalho para o The Washington Post que se viria a provar falso. Mais tarde, descobriu-se que também o registo do percurso da jornalista foi falseado.

Na altura, o diretor do jornal Ben Brandlee afirmou que “a credibilidade de um jornal é a sua característica mais importante, e depende quase na totalidade da integridade dos seus jornalistas“.

Na carta, Trump disse ainda que os autores das peças deveriam devolver os prémios “voluntariamente“. Até agora, nem o The New York Times ou o The Washington Post comentaram a carta, à semelhança da direção do prémio Pulitzer.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.