//

“Toca de bruxaria” permaneceu até agora numa casa do século XVI. Encontrados crânios de cavalo e veneno

Alguns dos objetos encontrados na “Toca de Bruxaria”

Uma casa cheia de objetos ocultos foi recentemente alvo de grande interesse. O espaço estava localizado dentro de numa casa do século XVI no País de Gales, e encontrava-se repleto de objetos ocultos, incluindo crânios de animais. Foi por isso foi chamado de “toca de bruxaria”.

Kerrie Jackson e o marido Bleddyn estavam a restaurar a sua casa em Denbigh, North Wales, quando descobriram o refúgio escondido debaixo de uma escada. A casa foi herdada por Bleddyn e esteve na posse da sua família durante vários séculos.

Crânios de animais, veneno, frascos cheios de perfume, sapatos e um chapéu de lã “meio destruído” estavam entre os objetos ocultos que foram colocados debaixo da escada para “prender” bruxas e demónios.

Segundo o The Scottish Sun, a descoberta foi feita quando o proprietário estava a trabalhar no quarto ao lado e viu “algo através de um buraco que fez na parede”.

Uma investigação posterior revelou que a escada tinha sido construída sobre uma porta medieval selada, que anteriormente ligava diferentes partes da casa. Kerry revelou que a descoberta foi muito assustadora e que no início o casal só conseguia ver alguns sapatos.

Contudo, segundo o Wales Online, depois de uma pesquisa mais intensa, o casal descobriu que os inquilinos anteriores tinham tentado “prender bruxas e demónios”.

Escada onde foi encontrada a “Toca de Bruxaria”

Primeiro o casal encontrou “oito sapatos estranhos“, todos para os pés esquerdos, sendo que estes variavam de tamanho. Depois descobriram também um chapéu de madeira, partes do crânio de um cavalo, fragmentos do cano de uma arma, recibos antigos e frascos cheios de veneno e perfume – objetos que na época medieval se acreditava que afastavam o mal.

Como se não bastasse todo este cenário digno de um filme de terror, o casal ainda encontrou um retrato antigo de uma mulher apelidada de “Vicky”.

Relativamente aos sapatos, a teoria mais unânime entre os especialistas é que estes foram escondidos dentro das casas para proteger as pessoas contra influências malignas, como demónios, fantasmas e bruxas.

De acordo com Eamonn P. Kelly, autor de um estudo publicado na Archaeology Ireland em 2012, acreditava-se que as bruxas eram “atraídas pelo cheiro humano de um sapato e, depois de entrar num deles, ficavam presas lá não podendo sair mais“.

Já os crânios de cavalo estão ligados a duas tradições antigas. O casal achou que o crânio de cavalo estivesse relacionado com a Mari Lwyd, a antiga tradição do Ano Novo galês de usar um lençol branco coroado com o crânio de um cavalo e viajar de casa em casa a cantar ou a recitar poesia.

Porém, não é isso que o crânio de cavalo representa no contexto em que foi encontrado. A resposta ao mistério do crânio do cavalo é explicada por Sonja Hukantaival.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A autora afirma que os crânios de cavalo relacionam-se com a tradição folclórica mais ampla de “esconder objetos” em estruturas junto a “garrafas de bruxa”, várias das quais foram descobertas debaixo da escadaria da casa. Assim, todos os objetos encontrados, incluindo a caveira do cavalo, foram lá colocados para impedir a passagem do mal.

Segundo o Ancient Origins, encontrar objetos anti-bruxas e armadilhas demoníacas sugere que em algum momento a escada da casa foi vista como uma estrada para o inferno, e que os proprietários anteriores estavam a lutar contra “algo” que vai além da sua compreensão.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.