/

“Tesla baby”. Mulher dá à luz no carro enquanto o piloto-automático conduzia até ao hospital

(dr) The Boring Company

Funcionalidade foi determinante para que o pai conseguisse ajudar no trabalho de parto.

A Elon Musk é atribuída a invenção de inúmeras tecnologias, ainda assim, não consta que desse leque faça parte – ou até das suas intenções – a criação de uma maternidade móvel. Mas a verdade é que foi precisamente isso que um dos veículos da Tesla foi para uma mulher de Filadélfia, nos Estados Unidos, enquanto o veículo continuava em andamento através da funcionalidade do piloto automático.

A peripécia aconteceu quando Yiran Sherry, de 33 anos, juntamente com o seu marido, Keating Sherry, de 34 anos, levavam o seu filho mais velho ao jardim de infância, até serem interrompidos pelo rebentamento das águas da mulher.

O processo desenrolou-se tão rapidamente – as contrações eram cada vez mais fortes e mais frequentes – que o casal percebeu ser incapaz de chegar ao hospital a tempo.

Como tal, Keating Sherry ativou o modo piloto automático do carro, focando a sua atenção em ajudar no trabalho de parto da sua mulher – que acabaria por revelar aos meios de comunicação norte-americanos que a decisão de não aguentar o nascimento até chegarem ao hospital foi “aterrorizante”.

O facto de o tempo previsto de viagem se manter inalterável no ecrã do carro terá ajudado.

O parto acabou por se concretizar já nas imediações do hospital – nasceu uma menina a quem foi dado o nome de Maeve Lily –, com os enfermeiros a cortarem o cordão umbilical com a mãe ainda dentro do carro. Já o pai, garante que só respirou de alívio quando o médico pediatra o informou que a bebé estava saudável e o congratulou pelo momento.

Yiran revelou que durante a sua permanência no hospital, revelou, os enfermeiros apelidaram a sua bebé de “Tesla baby” – os pais não fugiram à tendência, tendo chegado a considerar o nome de Tess para a filha, de forma a homenagear a empresa de Musk.

A recém-mãe também aproveitou a sua visibilidade na empresa para agradecer aos engenheiros da Tesla pelo “design brilhante do piloto-automático”.

A notícia do nascimento surge numa semana em que a Tesla se deparou com acontecimentos menos simpáticos para o bom nome da empresa. Em Paris, uma empresa de serviço de táxi descontinuou o uso do Model 3 após um acidente fatal. Dos Estados Unidos chegam também notícias de que nas instalações da empresa são recorrentes as situações de assédio sexual — as quais, alegam as queixosas, são do conhecimento dos quadros superiores, que insistem em nada fazer.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.