“Substâncias proibidas” fortalecem campos magnéticos das super-terras

PHL@UPR Arecibo

 Impressão de artista da super-Terra Gliese 832c (à esquerda), em comparação com o planeta Terra.

Impressão de artista da super-Terra Gliese 832c (à esquerda), em comparação com o planeta Terra.

Usando modelos matemáticos, cientistas “olharam” para o interior de super-Terras e descobriram que podem conter compostos proibidos pelas regras da química clássica – e a presença destas recém-previstas substâncias pode aumentar a taxa de transferência de calor e fortalecer o campo magnético destes planetas.

No seu artigo mais recente, publicado na Scientific Reports. investigadores do Instituto de Física e Tecnologia de Moscovo, liderados por Artem R. Oganov, professor do Instituto de Ciência e Tecnologia de Skolkovo, tentaram descobrir quais os compostos que, a altas pressões, podem ser formados por silício, oxigénio e magnésio.

Estes elementos, em particular, não foram escolhidos ao acaso.

“Os planetas parecidos com a Terra consistem de uma crosta fina de silicatos, de um manto de silicatos e óxidos – que perfaz aproximadamente 7/8 do volume da Terra e consiste de mais de 90% de silicatos e óxido de magnésio – e um núcleo de ferro”, comenta Oganov.

“Podemos dizer que o magnésio, o oxigénio e o silício formam a base da química da Terra e dos planetas parecidos com a Terra”, acrescenta.

Em estudos anteriores, Oganov e colegas usaram o algoritmo USPEX para identificar novos compostos de sódio e de cloro, bem como outras substâncias exóticas.

Usando o algoritmo USPEX, os investigadores exploraram todos os compostos possíveis de Mg-Si-O que podem ocorrer a pressões que variam entre as 5 e as 30 milhões de atmosferas.

Tais pressões existem no interior das super-Terras – planetas rochosos com uma massa várias vezes superior à da Terra.

Não há planetas como este no Sistema Solar, mas os astrónomos conhecem vários planetas em redor de outras estrelas que não são tão pesados quanto os gigantes gasosos, mas consideravelmente mais massivos que a Terra. A estes chamamos super-Terras.

Estes planetas incluem o recentemente descoberto Gliese 832c, com cinco vezes a massa da Terra, ou a mega-Terra Kepler-10c, com 17 vezes a massa da Terra.

Os resultados da modelação computacional mostram que o interior destes planetas pode conter compostos “exóticos” como MgSi3O12 e MgSiO6. Têm muitos mais átomos de oxigénio do que o elemento MgSiO3, o composto mais abundante no interior da Terra.

Além disso, MgSi3O12 é metálico, ao passo que outras substâncias que consistem em átomos de Mg-Si-O são isoladoras ou semicondutoras.

“As suas propriedades são muito diferentes dos compostos normais de magnésio, oxigénio e silício – muitos deles são metais ou semicondutores. Isto é importante para gerar campos magnéticos nestes planeta”, explica Oganov.

“Dado que os campos magnéticos são produzidos por convecção de interiores planetários eletricamente condutores, a alta condutividade poderá significar um campo magnético significativamente mais poderoso”, acrescenta o investigador.

Um campo magnético mais forte significa uma protecção poderosa contra a radiação cósmica, favorável aos organismos vivos.

Os investigadores também previram três novos óxidos de magnésio e de silício, SiO, SiO3 e MgO3 – que não encaixam com as regras da química clássica – além dos óxidos MgO2 e Mg3O2 anteriormente previstos por Oganov a pressões mais baixas.

O modelo computacional também permitiu com que os investigadores determinassem as reações de decomposição que o MgSiO3 sofre a pressões ultra-elevadas nas super-Terras – pós-perovskita.

“Isto afecta os limites das camadas no manto e a sua dinâmica. Por exemplo, uma mudança de fase exotérmica acelera a convecção do manto e a transferência de calor dentro do planeta, e uma transformação endotérmica abranda-as, diz Oganov.

“Isto quer dizer que a velocidade do movimento das placas litosféricas no planeta pode ser mais elevada,” comenta.

A convecção, que determina as placas tectónicas e a mistura do manto, pode ser ou mais rápida (acelerando a mistura do manto e a transferência de calor) ou mais lenta.

Na transformação endotérmica, um possível cenário é a formação de várias camadas convectivas independentes dentro do planeta.

O facto de que os continentes da Terra estão em constante movimento, “flutuando” à superfície do manto, é o que dá azo ao vulcanismo e a uma atmosfera.

CCVAlg

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Onde está a novidade?! As substâncias proibidas sempre tiveram grande capacidade de atracção. Lá diz o povo: o fruto proibido é o mais apetecido.

RESPONDER

Refrigerantes light causam o mesmo risco de doenças cardíacas que bebidas normais

Um novo estudo da Universidade Sorbonne, em Paris, descobriu que bebidas adoçadas artificialmente - como as light, diet e zero - podem ser tão prejudiciais para o coração quanto os refrigerantes normais. Os investigadores, que acompanharam …

“Monstro patológico”. Documento revela que Henrique VIII planeou decapitação de Ana Bolena

Uma equipa de investigadores encontrou um livro que contém instruções específicas do rei Henrique VIII que mostram que o monarca queria que a sua segunda esposa, Ana Bolena, fosse executada. Neste documento, o rei Henrique VIII …

Robô humanóide sem cabeça empilha e carrega caixas (e já está à venda)

A fabricante de robôs Agility construiu um robô humanóide bípede chamado Digit, que consegue carregar caixas e que está a ser vendido por 250 mil dólares. De acordo com o TechXplore, o robô Digit foi projetado …

Porto 2-0 Olympiacos | Chama do “dragão” trava gregos

O FC Porto venceu na noite desta terça-feira o Olympiacos por 2-0, numa partida relativa à segunda jornada do Grupo C da Liga dos Campeões, sob o olhar dos cerca de 3750 adeptos que se …

Antigos maias construíram filtros de água sofisticados (capazes de funcionar nos dias de hoje)

De acordo com uma pesquisa da Universidade de Cincinnati (UC), os antigos maias da cidade de Tikal construíram sofisticados filtros de água através do uso de materiais naturais importados. Os investigadores da UC descobriram evidências de …

Como é que as pandemias acabam? A História sugere que as doenças vêm para ficar (durante milénios)

Uma combinação de esforços de saúde pública para conter e mitigar a pandemia veio ajudar a controlá-la. No entanto, epidemiologistas acreditam que as doenças infeciosas, como é o caso da covid-19, nunca desaparecem.  Ao longo dos …

ONG identifica entidades norte-americanas como "cúmplices" da destruição da Amazónia

Seis instituições financeiras norte-americanas são apontadas como "cúmplices" da destruição ambiental na Amazónia brasileira, assim como da violação dos direitos das comunidades indígenas da região, segundo um relatório de organizações não-governamentais (ONG). Um estudo elaborado pela …

OE2021. Uma morte anunciada da geringonça e o temor das coligações negativas

Já há confirmação de que a proposta do Orçamento do Estado para 2021 vai ser aprovada na generalidade, esta quarta-feira. O primeiro-ministro já só pensa na discussão na especialidade, na qual se avizinham os maiores …

Mulheres foram despidas em aeroporto do Catar para ver se tinham dado à luz recentemente

Várias passageiras australianas foram submetidas a um exame ginecológico após ter sido descoberto um bebé recém-nascido abandonada na casa de banho do Aeroporto Internacional de Hamad, em Doha, no Catar. O voo da Qatar Airways deveria …

Memória ou glorificação? Discurso escrito à mão por Hitler vendido na Alemanha por 34.000 euros

Um discurso que o ditador Adolf Hitler escreveu em 1939 foi vendido em leilão, na semana passada, na Alemanha, por 34.000 euros, noticia a agência noticiosa AP. De acordo com a revista norte-americana Vice, que cita …