O stresse no trabalho pode estar a matá-lo, alerta estudo

A autonomia que temos no nosso emprego, a nossa carga de trabalho e a capacidade de lidar com as exigências que nos são impostas está associada à nossa saúde mental e mortalidade, revela uma nova investigação.

A equipa de investigadores examinou como o controlo que temos da nossa função no trabalho e a capacidade cognitiva influenciam como os fatores de stress do trabalho, como pressão de cumprir prazos ou carga de trabalho, afetam a saúde mental e física.

“Quando as exigências do emprego são maiores do que o controlo oferecido pelo trabalho ou a capacidade de um indivíduo de lidar com essas demandas, há uma deterioração da sua saúde mental e, consequentemente, uma maior probabilidade de morte”, diz Erik Gonzalez-Mulé, professor da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, e o autor principal do artigo publicado esta semana no Journal of Applied Psychology.

Em sentido contrário, os autores do estudo descobriram que as exigências do trabalho resultam em melhor saúde física e menor probabilidade de morte quando combinadas com um maior controlo das responsabilidades no trabalho.

“Acreditamos que isto acontece porque o controlo do trabalho e a capacidade cognitiva agem como recursos que ajudam as pessoas a lidar com o stress no trabalho”, disse Gonzalez-Mulé, citado pelo Futurity.

“O controlo do trabalho permite que as pessoas definam os seus próprios horários e priorizem o trabalho de uma maneira que as ajude a atingir as suas metas de trabalho, enquanto as pessoas mais inteligentes são mais capazes de se adaptar às exigências de um trabalho stressante e descobrir maneiras de lidar com o stresse”, acrescentou.

Os resultados da investigação são baseados em dados de 3.148 residentes do Estado de Wisconsin, que participaram num estudo longitudinal. Desta amostra, 211 participantes morreram durante o estudo que durou 20 anos.

A solução, de acordo com Gonzalez-Mulé, passa por os gerentes oferecerem mais controlo aos seus funcionários. Caso não seja possível fazê-lo, devem reduzir proporcionalmente as exigências.

“Por exemplo, permitir que os funcionários definam as suas próprias metas ou decidir como realizar o seu trabalho ou reduzir o horário de trabalho dos funcionários pode melhorar a sua saúde”, explicou o investigador.

Isto é particularmente importante agora, durante a pandemia de covid-19, em que alguns trabalhadores estão expostos a stresse extra e podem vir a desenvolver problemas de saúde mental.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

É a quantidade de alimento que determina quem se torna a abelha-rainha

Um novo estudo sugere que é a quantidade de alimento, e não a sua qualidade, como se pensava até agora, que determina quem se torna a abelha-rainha. Quais são os fatores que determinam qual é a …

Em Miami e Nova Iorque, os polícias ajoelharam-se por George Floyd

Em Miami e em Nova Iorque, alguns agentes da autoridade juntaram-se aos manifestantes por breves momentos, para mostrar o seu respeito pela memória de George Floyd. Nos Estados Unidos, os protestos pela morte de George Floyd …

A Nova Zelândia está em cima de uma enorme bolha de lava

A Nova Zelândia situa-se no topo dos restos de uma pluma vulcânica gigante. Este processo é o responsável pela atividade vulcânica e desempenha um papel fundamental no funcionamento do nosso planeta. Nos anos 70, vários cientistas …

Petição busca estatuto de vítima para crianças em contexto de violência doméstica

Uma petição lançada na sexta-feria que reivindica a criação do estatuto de vítima para as crianças que vivem em contexto familiar de violência doméstica já foi assinada por mais de 1300 pessoas, entre elas personalidades …

Assimétrica e flutuante. A primeira casa impressa em 3D na República Checa vai "nascer" em 48 horas

A primeira casa impressa em 3D na República Checa vai estar pronta no próximo mês para demonstrar a velocidade e a eficácia de uma técnica de construção que será sete vezes mais rápida e terá …

Anonymous garantem que princesa Diana foi assassinada para abafar caso Epstein

O movimento internacional de ciberativistas Anonymous - ou alguém que alega operar em seu nome - garante que a princesa Diana, que morreu num acidente de viação em agosto de 1997, foi, na verdade, assassinada …

Empresa de mineração pede desculpa por destruir cavernas sagradas aborígenes

A empresa mineira Rio Tinto admitiu que destruiu as cavernas pré-históricas que eram locais de culto para os aborígenes australianos e pediu desculpa. As cavernas de pedra Juukan Gorge 1 e 2 – dois locais de …

Itália exige "respeito": vai abrir fronteiras, mas excluir países que impõem restrições a italianos

Apesar de acredita "no espírito europeu", o ministro dos Negócios Estrangeiros italiano sublinhou que o país está pronto "para fechar as fronteiras" àqueles que não o respeitem. A Itália vai abrir as suas fronteiras internacionais a …

As Forças Armadas sul-africanas não estavam preparadas para um inimigo invisível

A Força de Defesa Nacional da África do Sul não está preparada para combater uma pandemia silenciosa como a da covid-19. Este "inimigo invisível" veio trazer à tona as fragilidades do país. As Forças Armadas da …

Putin convoca referendo sobre alterações constitucionais para 1 de julho

A aprovação da reforma constitucional permitirá ao atual Presidente da Rússia, Vladimir Putin, cumprir mais dois mandatos suplementares a partir de 2024. Vladimir Putin anunciou a data de 1 de julho para o referendo nacional de …