Sporting acusado de pagar mais por Mattheus Oliveira para influenciar resultado

(dr) Sporting CP

Mattheus Oliveira (E) com Bruno de Carvalho (D).

A Procuradoria-Geral da República está a investigar a transferência de Mattheus Oliveira, do Estoril para o Sporting CP, em 2017. Há suspeitas de influência de resultados.

A notícia é avançada pelo Jornal de Notícias, que esclarece que o emblema ‘leonino’ é acusado de inflacionar o valor pago pelo jogador para influenciar o resultado de um jogo entre as duas equipas.

No dia 1 de julho de 2017, o Sporting CP oficializou a contratação de Mattheus Oliveira ao Estoril, por 2 milhões de euros, embora estivesse avaliado em apenas 1 milhão de euros pelo portal Transfermarkt.

As suspeitas são que o Sporting tenha pago um valor mais alto para influenciar um jogo entre os dois clubes, que os ‘leões’ viriam a ganhar por 2-0. A Procuradoria-Geral da República, acrescenta o JN, confirmou a existência de um inquérito em curso.

De acordo com o jornal Record, este inquérito do Ministério Público resultou de uma denúncia anónima no âmbito do processo Cashball. Além disso, o relatório da Polícia Judiciária não reuniu provas contra o Sporting.

O médio de 26 anos é conhecido por ser filho de Bebeto, o antigo internacional brasileiro que no futebol europeu se destacou ao serviço do Deportivo. Mattheus Oliveira está de momento ao serviço do Coritiba, por empréstimo do Sporting. Desde que foi contratado pelo emblema de Alvalade, o jogador participou em apenas quatro partidas oficiais, marcando um golo.

Bruno de Carvalho, que era o presidente sportinguista à data da transferência, não tardou em reagir à notícia através das redes sociais.

“Notícia importante! Contratos escondidos? Não. Percurso estranho (compra/empréstimo/ resultados)? Não. Comissões estranhas? Não. Então? Foi comprado por mais ou menos o dobro do que diria o Transfermarkt! Mas se formos pela mesma fonte de avaliação ele valia 2,5 M em 2019. Isso!”, escreveu.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.