Que sons fazem os narvais? Cientistas captam áudio raro dos “unicórnios do Ártico”

Uma equipa de biólogos marinhos, com a ajuda de caçadores de baleias inuítes, reuniu uma coleção sem precedentes de vocalizações de narvais, conhecidos como os “unicórnios do Ártico”, oferencendo novas ideias sobre o comportamento destas criaturas.

Os narvais, conhecidos como os “unicórnios do Ártico”, são notoriamente difíceis de estudar devido à sua natureza nervosa e aos seus habitats hostis. Normalmente, os narvais são encontrados nas profundezas da superfície do Oceano Ártico, mas também aparecem nas costas do norte do Canadá e da Gronelândia.

Os narvais são pequenas baleias famosas pela sua presa em espiral que atinge comprimentos de até 3 metros de comprimento.

Os narvais tendem a vaguear em torno de fiordes glaciais perigosos e os sons das lanchas dos cientistas dispostos a enfrentar esses ambientes hostis assustam os tímidos mamíferos aquáticos. Isto explica, em parte, a razão pela qual os cientistas não têm conseguido captar os sons emitidos pelos narvais.

De acordo com o estudo publicado em abril na revista científica Journal of Geophysical Research: Oceans, os narvais vivem numa das “paisagens sonoras mais barulhentes do oceano”. Os glaciares são barulhentos, produzindo todo o tipo de gemidos quando as enormes paredes de gelo avançam e colapsam no oceano.

Investigadores da União Geofísica Americana e da Universidade de Hokkaido têm trabalhado nos últimos anos perto do Glaciar Bowdoin em Baffin Bay, um “ponto quente” para os narvais.

A equipa fez uma parceria com os caçadores de baleias do noroeste da Gronelândia, em julho de 2019, cuja estreita relação com os cetáceos permitiu que se aproximassem dos animais. Pequenos microfones subaquáticos (hidrofones), que chegavam a até 25 metros, foram acoplados a barcos para registar as chamadas sociais e os sons dos narvais.

Dados hidroacústicos e registos de GPS indicaram que os narvais mantém-se a 1 quilómetro dos glaciares enquanto procuram comida.

“Há tantos estalidos devido à fratura do gelo e ao derretimento das bolhas … é como uma bebida com gás debaixo de água”, disse Evgeny Podolskiy, geofísico na Universidade de Hokkaido, no Japão, em comunicado. “Parece que estamos a lidar com animais que vivem num dos ambientes mais barulhentos sem ter muito problema com isso”.

Mais de 17 horas de gravação capturaram os vários sons que os cetáceos usam para comunicar entre si em busca de presas: cliques e estouros (ou zumbidos), tons puros na forma de assobios e tons pulsados. Em alguns casos, os animais aceleravam os cliques até o som se tornar um zumbido semelhante a uma serra elétrica, ajudando as baleias a encontrar as suas presas através de ecolocalização.

“O mundo deles é a paisagem sonora deste fiorde glacial”, disse Podolskiy. “Há muitas perguntas que podemos responder ouvindo fiordes das geleiras em geral.”

Os cientistas também captaram ruídos antropogénicos como os causados ​​por motores de barcos, além de sons causados ​​pelo derretimento do gelo e ruídos de fendas.

As gravações fornecem aos cientistas uma linha de base dos muitos sons que compõem a existência “altamente suscetível” do narval, iluminando comportamentos e habitats pouco compreendidos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

PJ fez novas buscas por Maddie em três poços no Algarve

A Polícia Judiciária (PJ) procurou o corpo de Madeleine McCann em três poços de água localizados em zonas rurais do concelho de Vila do Bispo, no Algarve. A informação é avançada este sábado pelo Correia da …

Berardo abre museu em Estremoz com fundos da União Europeia

O semanário Expresso avança na sua edição deste sábado que Joe Berardo instalou um museu em Estremoz, no distrito de Évora, financiado, na sua grande maioria, com fundos da União Europeia (UE). De acordo com o …

Há três dias que os casos aumentam em Itália. Espanha endurece medidas

Os casos de novas infeções com o novo coronavírus aumentaram pelo terceiro dia consecutivo, em Itália, onde nas últimas 24 horas se registaram mais 276 contaminações, comparando com 229, 193 e 138, nos dias anteriores. O …

MP investiga juiz acusado de pagar por sexo enquanto ouvia menores abusados (ele alega que o querem tramar)

O Ministério Público (MP) instaurou um inquérito à denúncia feita, no Parlamento, pela dona de uma casa de prostituição que revelou que um juiz pedia para lhe fazerem sexo oral enquanto via vídeos dos menores …

Câmara de Sintra admite 700 casos confirmados que ainda não foram contactados

O presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta, admitiu que existem cerca de 700 casos positivos de covid-19 no concelho que, apesar de identificados, não foi ainda possível contactar. Em entrevista ao jornal Público …

Jesus quer regressar ao Benfica. Acordo deve ficar fechado nas próximas horas

O futuro de Jorge Jesus continua a fazer correr muita tinta. Em Portugal, diz-se que o treinador tem um acordo quase fechado para regressar ao Benfica, enquanto que no Brasil há garantias de que ficará …

Erdogan anuncia que Santa Sofia volta a ser uma mesquita. UNESCO lamenta profundamente

O Presidente turco anunciou que as primeiras orações coletivas muçulmanas serão realizadas em 24 de julho em Santa Sofia, convertida em mesquita, acrescentando que o edifício permanecerá aberto a visitantes de todos os credos. "Vamos fazer …

PSD tem um substituto para o modelo Infarmed: reuniões no Parlamento transmitidas na televisão

O PSD considera que o "modelo Infarmed" já deu o que tinha a dar e, por isso, propõe substituí-lo por encontros públicos. O Expresso teve acesso a um projeto de resolução do PSD, entregue esta sexta-feira, …

José Mourinho diz que já não celebra golos (e explica porquê)

O treinador português José Mourinho diz que já não celebra os golos marcados pelo Tottenham, atribuindo as culpas deste seu comportamento ao VAR. "Eu já não celebro os golos, porque eu nunca sei se vai ser …

“O que aí vem ainda será pior”, avisa Costa e Silva

O diretor diretor executivo da petrolífera Partex, António Costa Silva, convidado pelo Governo para estudar um plano de retoma económica para o período pós-pandemia, acredita que "o que vem aí será pior". Em declarações ao jornal …