Estudo revolucionário explica como o sistema imunológico “adormece” as células cancerígenas

Um novo estudo mostrou que a destruição de células do cancro não é o único caminho para combater a doença. O sistema imunológico pode simplesmente adormecer as células por tempo indeterminado, fazendo com que a doença não evolua.

Um estudo recente, conduzido por uma equipa de investigadores australianos, descobriu que o sistema imunológico pode manter as células cancerígenas num estado dormente.Os cientistas esperam que a mais recente descoberta ofereça novos caminhos para a pesquisa de técnicas de imunoterapia capazes de impedir o crescimento de um tumor por um período indefinido de tempo.

A maioria das pesquisas sobre o cancro investigam formas de destruir estas células. No entanto, na mais recente abordagem, os cientistas foram por uma via diferente que não a destruição.

Em alguns casos, as células malignas do cancro podem permanecer em estase por períodos prolongados de tempo sem se espalhar ou causar sintomas relacionados à doença. Este processo é chamado de equilíbrio imune ao cancro e, embora saibamos que é mediado pelo sistema imunológico do corpo, os cientistas não entendem exatamente como ele funciona.

“Não conseguimos entender os mecanismos responsáveis por manter os tumores sob controlo e neste estado de dormência”, afirma Jason Waithman, da Universidade da Austrália Ocidental, e um dos autores do estudo publicado na Nature.

“Sabíamos apenas que existia esta espécie de ‘caixa negra’ de controlo do cancro e que, se puséssemos entender melhor este processo, poderíamos explorá-lo num maior número de pacientes e salvar muitas vidas”, continuou o especialista, citado pelo New Atlas.

O estudo concentrou-se num tipo de célula imune, chamada de célula T de memória residente em tecido (TRM ou tissue-resident memory). As células TRM foram identificadas há cerca de 20 anos e são funcionalmente diferentes de outros tipos de células imunes.

Com o objetivo de estudar o seu efeito no equilíbrio imunológico do cancro, os cientistas utilizaram uma nova técnica de imagem para observar o movimento destas células em tempo real em ratos com uma espécie de melanoma.

“Usando um microscópio especial, pudemos observar as células T a moverem-se na pele dos ratos, encontrar as células do melanoma e controlar o crescimento dessas células”, afirmou Simone Park, investigadora da Universidade de Melbourne, na Austrália.

Os resultados da experiência foram notáveis. O crescimento do tumor foi desencadeado após as células TRM terem serem removidas. Assim, os cientistas concluíram que estas células desempenham um papel fundamental na supressão da progressão do cancro e na manutenção do equilíbrio imunológico contra a doença.

Serão necessários mais estudos e investigações para entender exatamente de que forma estas células TRM mantêm o cancro adormecido, mas os cientistas estão muito confiantes de que os resultados serão transferíveis para os seres humanos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas encontram no Ébola um aliado inesperado contra os tumores cerebrais

Cientistas encontraram um gene do vírus do Ébola que mostrou ser útil no combate contra os glioblastomas, que são tumores cerebrais que reaparecem após serem eliminados. O gliobastoma é um tumor que cresce e espalha-se depressa …

Estivadores do Porto de Lisboa iniciam greve de três semanas

Os estivadores do Porto de Lisboa iniciam, esta quarta-feira, uma greve de três semanas em protesto contra os salários em atraso e incumprimento dos acordos celebrados por parte da Associação de Empresas de Trabalho Portuário …

Michael Vang. Passou despercebido por Portugal, mas carrega os sonhos de toda uma etnia

Michael Vang é dos pouquíssimos jogadores de origem Hmong a jogar futebol profissionalmente. Agora nos Estados Unidos, o jovem teve uma passagem apagada por Portugal. Os Hmong são um grupo étnico asiático originário das regiões montanhosas …

Há pessoas sem a parte olfativa do cérebro que conseguem cheirar (e cientistas não sabem porquê)

Cientistas encontraram casos em que as pessoas não tinham bulbo olfativo, a parte do cérebro responsável pelo olfato, mas mesmo assim conseguiam cheirar. Anosmia consiste na perda total ou parcial do olfato e esta é uma …

Cientistas detetam estranhos movimentos de gás na Via Láctea (em redor de algo "invisível")

Os astrónomos detetaram movimentos de nuvens de gás incomuns perto do centro da Via Láctea, que podem sugerir a presença de um desconhecido buraco negro de classe intermediária. Os investigadores que rastrearam os gases no centro …

Hackers podem facilmente piratear satélites (e transformá-los em armas)

Piratear satélites pode não ser assim tão complicado quanto pensamos. Os hackers podem simplesmente desligá-los ou até mesmo usá-los como armas. No mês passado, a SpaceX tornou-se a operadora da maior constelação de satélites ativos do …

Gelo a cair num buraco faz barulhos estranhos (e parece uma batalha de lasers)

Alguma vez pensou o que se ouve quando deixamos cair gelo num buraco gelado profundo? Já não precisamos de pensar mais - e já podemos ouvir. O vídeo do pedaço de gelo a cair num buraco …

Tribunal recusa exumar corpo. Rosa Grilo conhece sentença a 3 de março

A leitura do acórdão no processo do homicídio do triatleta ficou agendada, esta terça-feira, para o dia 3 de março. De acordo com o Diário de Notícias, a defesa de Rosa Grilo pediu a exumação do …

Revelados documentos que provam a investigação de OVNIs por parte do Pentágono

Documentos recentemente divulgados mostram que o Departamento de Defesa dos Estados Unidos (EUA) financiou estudos sobre Objetos Voadores Não Identificados (OVNI's), contradizendo declarações recentes do Pentágono. Em 2017, o New York Times revelou a existência de …

"Nem sei onde é Alcochete". Pinto da Costa ouvido como testemunha de Bruno de Carvalho

O presidente do FC Porto foi ouvido, esta terça-feira, como uma das testemunhas do ex-dirigente leonino no julgamento da invasão à academia do Sporting, em Alcochete, que está a decorrer no tribunal de Monsanto, em …