Sentir-se doente serve para ajudá-lo a melhorar mais rapidamente

As reações do nosso corpo quando estamos doentes podem ser cruciais no combate à infeção. Estas alterações podem ser fundamentais para nos ajudar a melhorar mais rapidamente.

Todos sabemos como é estar doente. Sentimo-nos cansados, talvez um pouco deprimidos, com menos fome do que o habitual, mais facilmente nauseados e talvez mais sensíveis à dor e ao frio.

O facto de a doença vir com um conjunto distinto de características psicológicas e comportamentais não é uma nova descoberta. Na terminologia médica, o sintoma do mal-estar abrange alguns dos sentimentos que surgem com o adoecer. Há quem use o termo “comportamento de doença” para descrever as mudanças de comportamento que ocorrem durante a doença.

Os profissionais de saúde geralmente tratam esses sintomas como pouco mais do que efeitos colaterais de ter uma doença infeciosa. Mas estas mudanças podem realmente fazer parte de como combatemos a infeção.

Investigadores norte-americanos propõe agora que todos estes aspetos de estar doente são características de um sentimento a que chamam de “lassidão“. E é uma parte importante de como os seres humanos trabalham para recuperar de uma doença. Um estudo foi publicado, em setembro, na revista científica Evolution and Human Behavior.

O corpo define prioridades

O sistema imunológico humano é composto por um conjunto complexo de mecanismos que ajudam a suprimir e eliminar organismos – como bactérias, vírus e vermes parasitas – que causam infeções.

Ativar o sistema imunológico, no entanto, gasta muita energia do seu corpo. Isto apresenta uma série de problemas que o seu cérebro e corpo precisam de resolver para combater a infeção de maneira mais eficaz.

A febre é uma parte crucial da resposta imune a algumas infeções, mas o custo de energia para elevar a temperatura é particularmente alto. Há algo que se possa fazer para reduzir esse custo?

Comer ou não comer é uma escolha que afeta a luta do seu corpo contra infeções. Por um lado, os alimentos fornecem energia ao corpo e alguns alimentos contêm compostos que podem ajudar a eliminar patógenos. Mas também é preciso energia para digerir os alimentos, o que desvia os recursos do seu esforço imunológico total.

Os investigadores propõe que as mudanças distintas que ocorrem quando ficamos doentes ajudam-nos a resolver esses problemas automaticamente. Claro que estas mudanças dependem do contexto. Embora possa fazer sentido reduzir a ingestão de alimentos para priorizar a imunidade quando o doente tiver muitas reservas de energia, seria contraproducente evitar comer se o doente estiver esfomeado.

A doença como um sentimento

Então, como é que o corpo organiza as respostas vantajosas à infeção? As evidências analisadas sugerem que os seres humanos possuem um programa regulador. Quando deteta sinais de infeção, o programa envia um sinal para vários mecanismos funcionais no cérebro e no corpo. Eles, por sua vez, alteram os padrões de operação de maneiras úteis para combater a infeção.

Este tipo de programa de coordenação é o que alguns psicólogos chamam de sentimento: um programa computacional desenvolvido que deteta indicadores de uma situação recorrente específica. Quando surge uma determinada situação, o sentimento orquestra mecanismos comportamentais e fisiológicos relevantes que ajudam a resolver os problemas em questão.

Alguns destes programas de coordenação estão alinhados com as intuições gerais sobre o que constitui um sentimento. Outros têm funções e características que normalmente não consideramos “emocionais”.

Alguns psicólogos sugerem que estes programas provavelmente evoluíram para responder a situações identificáveis que ocorreram de maneira consistente ao longo do tempo evolutivo, que afetariam a sobrevivência ou a reprodução dos envolvidos.

Os investigadores aplicam agora a ideia destes programas emocionais à experiência de estar doente e esperam que ajude a resolver problemas de importância prática. Do ponto de vista médico, seria útil saber quando a lassidão está a fazer o seu trabalho e quando está com defeito. Os prestadores de serviços de saúde teriam uma noção melhor de quando deveriam intervir para bloquear certas partes da lassidão e quando deveriam deixá-los em paz.

PARTILHAR

RESPONDER

Moratórias de crédito à habitação terminam a 31 em Março. Famílias terão de procurar opções

Todas as moratória públicas para o crédito à habitação terminam a 30 de Setembro, mas a dos bancos expira já no próximo mês. Uma das soluções para quem não consegue cumprir os pagamentos é a …

Finanças: Mais dinheiro para a TAP só com novo acordo com Bruxelas

O Ministério das Finanças refere que, enquanto não houver a luz verde de Bruxelas ao plano de reestruturação, não há mais apoio público à companhia aérea.  A TAP só garante a liquidez até final de março, …

Primeiros fundos chegam até junho. Costa pede “consenso” no Plano de Recuperação

O ministro do Planeamento, Nelson de Souza, anunciou esta quarta-feira no Parlamento, que os novos subsídios europeus do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para 2021-2026 chegarão até ao mês de junho. De acordo com o …

Descobertos "ingredientes para a vida" em rochas com 3,5 mil milhões de anos

Investigadores descobriram moléculas orgânicas em formações rochosas super antigas na Austrália, revelando o que dizem ser a primeira evidência detalhada dos primeiros ingredientes químicos que poderiam ter sustentado as formas de vida microbianas primitivas da …

Juventus: FC Porto deverá ter Dybala pela frente (durante 30 minutos)

Uma das figuras do campeão italiano pode reduzir a lista longa de lesionados no plantel. E o regresso deverá acontecer contra o campeão português. Paulo Dybala continua fora dos jogos da Juventus mas há uma data …

A Via Láctea pode estar cheia de "Terras" (com oceanos e continentes)

Uma equipa de investigadores da Universidade da Dinamarca acredita que a Via Láctea pode estar cheia de planetas semelhantes à Terra, com oceanos e continentes. Há muito tempo que os astrónomos vasculham o vasto Universo na …

Podem as leis da Física refutar a existência de Deus?

Se existe um Deus que criou todo o universo e todas as leis da Física, Deus segue as suas próprias leis? Ou pode Deus substituir as suas leis, como viajar mais rápido do que a …

Covid-19. Perda de olfato e paladar pode durar até cinco meses

A perda dos sentidos do olfato e do paladar pode durar até cinco meses depois da infeção por covid-19, segundo um estudo preliminar dado a conhecer esta terça-feira, sendo os resultados definitivos apresentados em abril, …

Na Florida, duas mulheres disfarçaram-se de idosas para serem vacinadas contra a covid-19

Na Florida, duas mulheres disfarçaram-se de idosas para conseguirem receber a segunda dose da vacina contra a covid-19, mas foram "apanhadas". De acordo com a CBS News, duas mulheres foram "apanhadas" a tentar obter as segundas …

O Rei Leão. Teoria que nasceu no TikTok sugere que Mufasa foi vítima de canibalismo

Christian Jones, um fã do filme de animação O Rei Leão, partilhou no TikTok uma teoria intrigante sobre a história da Disney. No filme O Rei Leão, o leão patriarca Mufasa é assassinado e substituído pelo seu …