Scarlett Johansson afastada da Oxfam por publicidade polémica

SodaStreamGuru / YouTube

Scarlett Johansson na publicidade à SodaStream

Scarlett Johansson na publicidade à SodaStream

A norte-americana Scarlett Johansson deixou o cargo de embaixadora da Oxfam, depois de a organização humanitária o ter considerado incompatível com a campanha promocional da atriz para uma empresa israelita com uma fábrica na Cisjordânia.

Johansson, de 29 anos, aparece num anúncio de bebidas gaseificadas da empresa SodaStream, que iria ser apresentado, no domingo, durante a emissão do Super Bowl, jogo que decide o campeão de futebol norte-americano.

A estrela de Hollywood trabalhava com a Oxfam desde 2005, mas a organização humanitária, com sede em Londres, disse que a atriz deixou o cargo devido ao trabalho para a SodaStream.

“A Oxfam aceitou a decisão de Scarlett Johansson de se retirar após ter sido embaixadora durante oito anos e agradecemos as suas numerosas contribuições”, lê-se num comunicado da organização não-governamental. “Apesar de a Oxfam respeitar a independência dos seus embaixadores, o papel de promoção da empresa SodaStream por Johansson era incompatível com o de embaixadora mundial da Oxfam”, acrescentou a ONG britânica.

“A Oxfam acredita que empresas como a SodaStream, a operar nos territórios ocupados, contribuem para o aumento da pobreza das populações e negam os direitos das comunidades palestinianas que protegemos (…) A Oxfam opõe-se a todo o comércio oriundo das zonas de colonatos israelitas, ilegais ao abrigo da lei internacional“, indicou.

Johansson colaborava com a Oxfam desde 2005. Em 2007, converteu-se em embaixadora mundial das causas da ONG.

Super Bowl

 

Antes mesmo da despedida de Scarlett da Oxfam, o vídeo da SodaStream causou polémica por ter sido banido do intervalo do Super Bowl. A Fox, que este ano transmite o evento, terá proibido o anúncio porque teve “medo da Coca-Cola e da Pepsi”.

A acusação partiu de Daniel Birnaum, CEO da SodaStream, no programa USA Today. “Do que é que têm medo?”, questionou-se, “Que anunciante na América não menciona um concorrente? Isto é o tipo de coisa que acontece na China. Como americano estou desapontado”, disse Birnbaum.

O anúncio já foi visto mais de 4,8 milhões de vezes no YouTube.

O Super Bowl acontece este domingo, no Met Life Stadium, em Nova Iorque.

ZAP / Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE