Sánchez estuda geringonça e promete governo pró-Europa que respeite a Constituição

JuanJo Martin / EPA

PSOE ganha eleições gerais em Espanha

O líder do PSOE, Pedro Sánchez, disse que a vitória do partido socialista nas eleições legislativas espanholas mostra à Europa e ao mundo “que se pode ganhar ao autoritarismo”.

Discursando da sede do PSOE, em Madrid, Pedro Sánchez disse que os resultados mostraram que o partido “não é muleta” do Partido Popular.

Durante a sua intervenção, várias vezes interrompida por gritos de apoiantes, o candidato socialista e atual presidente do Governo espanhol, prometeu “respeitar a Constituição” e contribuir para a “convivência política“.

“Trata-se de ganhar as eleições e de governar Espanha. Vamos governar Espanha!”, afirmou perante milhares de apoiantes, acrescentando que o governo socialista será de “todos os espanhóis”.

Sánchez prometeu um Governo “pró-Europa, para fortalecer a Europa”, e construir “uma Espanha plural”, assumindo como prioridades o combate à injustiça social e à corrupção. “Não queremos o retrocesso, queremos um país que avance”, frisou.

Para o secretário-geral do PSOE, as eleições de hoje demonstraram que Espanha “tem uma democracia sólida” e que acedeu “em defesa do seu futuro e de mais direitos e liberdades”. O PSOE foi o partido mais votado nas eleições legislativas espanholas, embora sem obter a maior absoluta, ao eleger 122 deputados, quando estão apurados 99,5 por cento dos votos.

Uma solução para governar

Como partido mais votado, o PSOE vai tentar encontrar o apoio de outros para tentar alcançar uma maioria absoluta de 175 mais um num total de 350 deputados.

A tarefa não vai ser fácil, mesmo que à partida conte com o apoio do Podemos, o seu principal parceiro que o apoiou no parlamento desde junho de 2018, quando conseguiu afastar o Governo do PP.

Os nacionalistas do País Basco não conseguiram eleger qualquer deputado, impossibilitando uma possível união com o PSOE. De acordo com a TSF, pedir o apoio dos separatistas catalães seria fácil, mas também improvável — não fossem eles responsável pela queda do seu governo e pela marcação de eleições antecipadas.

Foi também descartada uma possível coligação com os Ciudadanos. Os dois líderes partidários, Rivera e Sánchez, já excluíram essa hipótese, preferindo associar-se a movimentos dentro do seu próprio bloco político, um de esquerda e o outro de direita.

Até ao momento, o Unidas Podemos surge como um dos principais candidatos a formar governo com o PSOE. O seu líder, Pablo Iglésias, já falou com Pedro Sánchez para discutirem essa possibilidade: “Expressei a nossa disponibilidade para trabalhar no sentido de formar uma coligação de governo”.

Apesar de uma possível coligação pós-eleitoral entre PSOE e Unidas Podemos, ainda seriam necessários mais 11 assentos parlamentares para atingir a maioria e formar governo. “Esperávamos melhor, mas é um resultado suficiente para alcançar o nosso objetivo” de impedir que a direita chegue ao governo e formar uma coligação de esquerda, destacou.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. AI JESUSA, já estou a ficar com a doença a FEBRE AMARELAAIIIIIIIIIIIIIIII O QUE VIRA A SEGUIRRRRRRRR IIIIIIIIIIIIIIIIIII
    AGP

RESPONDER

A Bugatti está a vender um carro elétrico "para crianças". Chama-se Baby II e custa 30 mil euros

A Bugatti e a Little Car Company, sediada em Londres, uniram-se para criar 500 Bugattis elétricos em miniatura para crianças. Agora, fruto dos desenvolvimentos mundiais, alguns veículos ficaram disponíveis para compra. O mais recente brinquedo da …

50 anos de monarquia e uma guerra de dias. A pandemia "matou" a micronação mais antiga da Austrália

O reinado de 50 anos de uma micronação na Austrália chegou ao fim devido ao impacto económico da pandemia de covid-19, que fez com que o autodeclarado principado se rendesse ao país. Hutt River, um principado …

NASA vai rebatizar planetas e outros corpos celestes com nomes ofensivos

A agência espacial norte-americana (NASA) anunciou que vai rebatizar alguns planetas, galáxias e outros corpos celestes que possuem nomes "ofensivos". Em comunicado publicado esta quinta-feira, a NASA explica que vai abandonar os nomes "não-oficiais" a …

O maior parque de crocodilos da Índia está à beira da falência. Abriga mais de 2.000 animais

O maior parque de crocodilos da Índia, localizado perto da cidade de Chennai, no sul do país asiático, encontra-se à beira da falência depois de a pandemia de covid-19 ter obrigado a fechar o espaço …

Campanha científica acrescenta mais de 37 mil quilómetros quadrados ao mapa do mar português

A campanha científica que o navio hidro-oceanográfico D. Carlos I da Marinha Portuguesa realizou durante nove semanas nos Açores, para levantamentos hidrográficos, permitiu “acrescentar cerca de 37.500 quilómetros quadrados sondados ao mapeamento do mar português”. Numa …

Apesar dos alertas, houve quem plantasse as sementes misteriosas da China (e já começaram a crescer)

Durante as últimas semanas, pessoas em todo o mundo têm recebido, sem ter encomendado, nas suas caixas de correio sementes com origem na China. Apesar dos avisos em contrário, houve quem plantasse os misteriosos presentes. As …

Marcelo veta redução de debates sobre a Europa. Não foi uma "solução feliz"

O Presidente da República vetou esta segunda-feira a redução do número de debates em plenário para o acompanhamento do processo de construção europeia de seis para dois por ano, defendendo que não foi uma “solução …

Boris Johnson admite alargar quarentena a mais países

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, admitiu esta segunda-feira alargar o sistema de quarentena a pessoas que cheguem de países atualmente isentos para reduzir o risco de infeção com a doença covid-19 no Reino Unido. "No contexto …

Novo lay-off. Ajuda da Segurança Social para pagar subsídios de Natal pode chegar só em 2021

O apoio ao pagamento do subsídio de Natal previsto pelo Governo para apoiar as empresas no âmbito do novo regime de lay-off, que entrou em vigor em agosto, poderá só ser pago pela Segurança Social …

Trump abandona conferência de imprensa após ser confrontado por jornalista com mentira que disse 150 vezes

O Presidente norte-americano abandonou uma conferência de imprensa, este sábado, depois de ter sido confrontado por uma jornalista com uma mentira que já terá dito mais de 150 vezes sobre cuidados de saúde para os …