Rocha alienígena desconhecida encontrada na Suécia

(dr) Birger Schmitz

Oest 65: este poderá ser o primeiro caso documentado de um meteorito extinto - isto é, cujo corpo principal já não passa pela Terra por ter sido consumido em sucessivas colisões

Oest 65: este poderá ser o primeiro caso documentado de um meteorito extinto – isto é, cujo corpo principal já não passa pela Terra por ter sido consumido em sucessivas colisões

Retirada de uma pedreira em Thorsberg, na Suécia, onde é extraído calcário, uma estranha rocha está a mudar a nossa compreensão da formação do sistema solar.

O meteorito em causa está enterrado em Thorsberg há pelo menos 470 milhões de anos, e recebeu o nome de Oest 65.

Não é muito grande, mas calcula-se que seja na realidade uma lasca de uma outra rocha, maior – um asteróide com 20 a 30 km de diâmetro.

A história desta pedra começou há cerca de 3 mil milhões de anos, quando o asteróide que a originou atingiu um outro asteróide, com cerca de 100 a 150 km de diâmetro.

Na colisão, o objecto maior fragmentou-se, formando uma “nuvem de pedras” entre Marte e Júpiter.

Desde essa colisão, têm chovido restos do asteróide maior, na forma de condritos, que até hojecaem na Terra.

Mas a composição da pedra Oest 65 é diferente.

Oest 65 é rica em elementos como o irídio, que é relativamente raro na Terra, e de um isótopo particular do néon, em proporções diferentes dos condritos que são encontrados na região.

Há 470 milhões de anos, esta pedra caiu sobre um oceano, afundando-se até ao leito arenoso, que formou o que hoje é a pedreira de calcário de Thorsberg.

Juntamente com esta pedra extraordinária, foram também encontrados cerca de uma centena de condritos.

A queda do Oest 65 coincidiu com um período em que o nosso planeta tinha só um continente, a Gondwana, e estava a acontecer uma expansão massiva de vida invertebrada nos oceanos da Terra.

Os cientistas começam agora a considerar que a pedra será “um resto de um meteorito extinto“, porque o corpo que o originou já foi completamente consumido por colisões no espaço – o que significa que não veremos nunca mais quedas de fragmentos seus.

A descoberta deste fragmento de meteorito é importante, porque mostra que os meteoritos, usados como base de muitas suposições sobre a formação do sistema solar, não são afinal assim tão representativos do que era a cintura de asteróides há 500 milhões de anos atrás.

O resultado da descoberta foi publicado na Nature Communications, num artigo de Birger Schmitz, investigador da Universidade Lund, na Suécia.

ZAP / HypeScience

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Embora “massiva” já tenha entrado no dicionário como um neologismo vindo do Inglês, em bom Português deve usar-se “maciça”.

    Mais uma vez a notícia parece confundir meteoritos com meteoróides.
    A frase “que a pedra (O METEORITO) será ‘um resto de um METEORÓIDE extinto'” parece assim mais correcta.

  2. vai la vai até a BARRACA CUBATA ABANA com tantas desc obertas uiui ja nem se sabe onde se anda e onde se vai etcetetc e agora vem ai um PLANETA GIGANTE uiuiui aiaia a nossa bida,se ele bate neste uiuiiou sera que vaos viver nele ou os.as ( respeito a eles e elas -REFUGIADOS.AS- que a EUROPA ja na sabe como resolver esta QUESTÃO então será melhor começarem a pensar em COLONIZAREM essa TERRA PLANETARIA GIGANTE e passarem para la essa gente ja que a EUROPA na sabe resolver nADA iiiiiiiiiiiiiiii

    A.G.P.

RESPONDER

Franceses não dão tréguas. Greves podem durar até ao Natal

As mobilizações em França contra a reforma dos sistema de pensões, que paralisam vários setores mas sobretudo os transportes públicos, entraram no seu nono dia esta sexta-feira e podem continuar até ao Natal. Os sindicatos de …

Treinadores portugueses dominam provas europeias. Vão 9 a sorteio

Nove treinadores portugueses vão continuar das provas europeias, que incluem a Liga Europa e a Liga dos Campeões. Ao todo, seguem nas competições 48 clubes, que vão ver o seu futuro decidido no sorteio da …

Aumentos da Função Pública. Frente Comum abandona negociações com o Governo (e já pensa em formas de luta)

A Frente Comum dos Sindicatos da Administração Pública abandonou as negociações com o Governo sobre as medidas a incluir no próximo Orçamento do Estado, indignada com os aumentos salariais de 0,3% propostos pelo Executivo. Segundo relatou …

Alphonso Davies. De um refugiado no Gana a um dos maiores prodígios da Baviera

Alphonso Davies é um dos maiores talentos do futebol mundial na atualidade. O jogador nasceu num campo de refugiados no Gana e brilha agora nos relvados de Munique. Nascido já no novo milénio, Alphonso Davies é …

Bruxelas deverá aceitar redução do IVA da luz por escalões de consumo

A intenção do Governo de aplicar uma redução do IVA da eletricidade por escalões de consumo deverá ter o aval da Comissão Europeia. A notícia é avançado pelo Jornal de Negócios, que recorda que, em abril, …

Diretora da RTP boicotou investigação do "Sexta às 9" a instituto onde deu aulas

A diretora da RTP Maria Flor Pedroso confessou ter informado a diretora de uma instituição de ensino sobre uma investigação que estava a ser feita pela equipa do programa "Sexta às 9". Há uma nova polémica …

Bruno Lage renova com o Benfica até 2024

O treinador do Benfica, Bruno Lage, renovou o contrato até 2024, anunciou hoje o clube campeão português de futebol, no seu site oficial. Bruno Lage, de 43 anos, assumiu o comando da equipa principal do Benfica …

Autonomia para a contratação nos hospitais continua a depender de Centeno

Os hospitais já não precisam de autorização do Ministério das Finanças para substituir os profissionais de saúde. Porém, se quiserem ter total autonomia, continuam a precisar da aprovação do ministério tutelado por Mário Centeno. Na quarta-feira, …

Portugal garante duas entradas diretas na Champions de 2021/22

Portugal assegurou esta quinta-feira que vai terminar a época 2019/20 no 'top 6' do ranking de clubes de UEFA, garantindo duas entradas diretas, mais uma equipa na terceira pré-eliminatória, na Liga dos Campeões de futebol …

EDP processa Estado e reclama 717 milhões de euros

A EDP está a processar o Estado português, exigindo uma compensação de 717 milhões de euros devido ao antigo fundo de hidraulicidade. O Governo recusa essa hipótese. A EDP avançou com um processo contra o Estado …