Os robôs e a vida artificial são contemporâneos de Homero

Forzaruvo94 / Wikimedia

Há milhares de anos, na era de Homero e Hesiodo, as lendas versavam já sobre os conceitos associados à criação de vida artificial e aos robôs. Segundo revelou uma nova investigação levado a cabo pela Universidade de Standford, nos Estados Unidos, os mitos de Talos e Pandora são a prova disso mesmo.

Por norma, os historiadores balizam a ideia dos autómatos por volta da Idade Média, época em que começaram a ser inventados os primeiros dispositivos de movimento automático.

Contudo, e segundo explica Adrienne Mayor, investigadora do Departamento de Clássicos da Faculdade de Ciências Humanas e Ciências daquela universidade, o conceito de criaturas reais e artificiais remonta a mitos e lendas criados há pelo menos 2700 anos

“A nossa capacidade de imaginar a inteligência artificial (IA) remonta aos tempos antigos”, disse Mayor citada em comunicado. “Muito antes dos avanços tecnológicos tornarem possíveis os dispositivos automáticos, foram exploradas ideias sobre a criação de vida artificial e robôs em mitos antigos”, sustenta.

Os pioneiros Homero e Hesiodo

De acordo com a investigadora, que publicou em novembro passado um livro sobre o tema intitulado: “Deuses e Robôs: Mitos, Máquinas e Antigos Sonhos de Tecnologia”, os primeiros objetos associados à IA e aos robôs foram mencionados no trabalho dos antigos poetas gregos Homero e Hesiodo, que viveram entre 750 e 650 a.C.

A título de exemplo, Mayor toma a história de Talos, mencionada pela primeira vez em 700 a.C por Hesiodo, afirmando que esta obra oferece uma das primeiras conceções de um robô. Segundo conta a mitologia, Talos era um homem de bronze gigante que foi construído por Hefesto, o deus grego da invenção e da ferraria. Talos foi encomendado por Zeus, o rei dos deuses gregos, para proteger a ilha de Creta dos invasores. Depois de ter sido construído, Talos marchou pela ilha três vezes por dia, atirando pedras nos navios inimigos que se aproximavam da ilha.

Na sua essência, o gigante de bronze tinha um tubo que se estendia desde a cabeça até um dos seus pés carregando uma misteriosa fonte de vida a que os gregos chamavam de icor. Argonautica, um outro texto antigo datado do século III a.C, versa sobre como é que Medeia, uma feiticeira da mitologia grega, derrotou Talos, removendo-lhe um alfinete do tornozelo, fazendo com que o líquido saísse do seu corpo, apontou Mayor.

O mito de Pandora

A historiadora aponta ainda o mito de Pandora como outros dos exemplos que comprova que as conceções associadas à IA são mais antiga do que julgávamos. Descrito pela primeira vez na Teogonia de Hesíodo, configura outro exemplo de um ser artificial mítico.

Embora várias outras versões posteriores retratem Pandora como uma mulher inocente que inadvertidamente abriu uma caixa do mal, Mayor explicou que a história original de Hesíodo descreve Pandora como uma mulher artificial e maléfica, também construída por Hefesto e enviada à Terra por ordem de Zeus para castigarem os homens por estes terem descoberto o fogo.

“Pode argumentar-se que Pandora era uma espécie de agente de inteligência artificial”, considerou a investigadora, acrescentando que a “sua única missão era infiltrar-se no mundo e libertar o seu cântaro de miséria”.

Além de Talos e Pandora, o mítico Hefesto projetou vários outros objetos que se moviam por si mesmo, incluindo um grupo de servos automáticos, semelhantes às mulheres, mais feitos de ouro, afirmou Mayor. De acordo com o relato de Homero sobre o mito, Hefesto deu a estas mulheres artificiais o conhecimento dos deuses e, por isso, considera a investigadora, estas podem considerados como uma antiga versão mítica de IA.

As implicações éticas e morais no trabalho desenvolvido por Hefesto eram também já abordadas nos antigos mitos analisados pela investigadora. “Nenhum destes mitos tem um bom final, uma vez que os seres artificiais são enviados para a Terra”. “É quase como se os mitos dissessem que é muito bom ter [estes objetos] artificiais no céu usados pelos deuses. Mas uma vez que estes interagem com os humanos, temos o caos e a destruição”.

Para Adrienne Mayor, a mitologia sublinha o fascínio da Humanidade pela vida artificial: “As pessoas têm o impulso de imaginar coisas que ainda não são possíveis. Existe uma ligação intemporal entre a imaginação e a Ciência”, rematou.

Sara Silva Alves SA, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Sonda passa ao lado de Vénus, tira-lhe uma fotografia e surpreende cientistas da NASA

A imagem obtida pelo Wide-field Imager (WISPR) da Parker Solar Probe foi capturada a 12.380 quilómetros de Vénus. A Parker Solar Probe, da NASA, capturou vistas deslumbrantes de Vénus em julho de 2020. O alvo da …

Cientista descobre espécie extinta de ganso através de uma pintura egípcia

Uma famosa pintura que estava originalmente no túmulo do príncipe egípcio Nefermaat levou um cientista a descobrir uma espécie de ganso já extinta. A cena "gansos de Meidum", originalmente pintada no túmulo do príncipe Nefermaat, encontra-se …

Físico cria algoritmo de IA que pode provar que a realidade é uma simulação

Hong Qin, do Laboratório de Física de Plasma de Princeton (PPPL) do Departamento de Energia dos EUA, criou um algoritmo de Inteligência Artificial que pode provar que a realidade é, na verdade, uma simulação. O algoritmo …

Quase 10 anos depois, avião de Gaddafi continua parado num aeródromo em França

Quase uma década depois de ter aterrado em solo francês, o avião presidencial do ex-ditador líbio continua parado num aeródromo no sul do país, estando no meio de vários processos judiciais que parecem não ter …

Governo recebeu 1.600 ideias para a bazuca. Costa agradece mobilização

Durante a fase de discussão pública, o Plano de Recuperação e Resiliência recebeu mais de 1.600 contribuições e mais de 65 mil consultas. O primeiro-ministro António Costa disse que, durante a fase de discussão pública, …

"Honjok" é o nome do movimento sul-coreano que reivindica a solidão

A solidão tornou-se um tema recorrente devido à pandemia de covid-19. Na Coreia do Sul, existe um movimento chamado "honjok", que promove um estilo de vida solitário. O isolamento imposto pela pandemia de covid-19 está a …

Do subsolo sírio à nomeação ao Óscar: hospitais em tempos de guerra numa "era de impunidade"

The Cave é o nome de uma produção que esteve nomeada para o Óscar de Melhor Documentário de 2020. É também o lugar onde hospitais sírios se escondem para salvar vidas longe de bombardeamentos e …

Patrícia Mamona sagra-se campeã no triplo salto em pista coberta

Esta tarde, Patrícia Mamona tornou-se a terceira atleta portuguesa a garantir a medalha de ouro para Portugal no Campeonato da Europa em pista coberta. A portuguesa Patrícia Mamona conquistou, este domingo, a medalha de ouro na …

Dias de aulas mais longos, férias mais curtas e cinco períodos. Em Inglaterra, já se equacionam formas de recuperar o tempo perdido

Há três medidas em cima de mesa que podem vir a ser adotadas para combater os atrasos na aprendizagem dos alunos. Na Inglaterra, as escolas reabrem para aulas presenciais esta segunda-feira, mas já se pensa …

Índia abre centro de bem-estar para hóspedes abraçarem vacas e "esquecerem todos os problemas"

Animais de conforto e apoio emocional são cada vez mais populares em todo o mundo. Embora a maioria das pessoas use cães ou gatos, há também algumas escolhas mais bizarras, incluindo pavões, macacos e cobras. Os …