Retirada rápida dos EUA do Afeganistão “é inaceitável”

O Presidente norte-americano declarou que os EUA devem continuar a lutar no Afeganistão para evitar os “previsíveis e inaceitáveis” resultados de uma retirada rápida do país onde Washington trava uma guerra há 16 anos.

Num discurso à nação em horário nobre na noite desta segunda-feira, Donald Trump disse que o seu “instinto original era retirar”, aludindo à posição expressa antes de se tornar Presidente de que o Afeganistão era um pântano irresolúvel que requeria uma retirada rápida das tropas norte-americanas.

Desde a tomada de posse como Presidente, Trump disse ter concluído que essa abordagem podia criar um vazio e que os terroristas, incluindo a Al-Qaida e o Estado Islâmico, podiam “preencher instantaneamente”.

“Conclui que as ameaças de segurança que enfrentamos no Afeganistão e na fronteira na região são imensas”, disse Trump.

O Presidente norte-americano defendeu ainda que a nova estratégia no Afeganistão não será baseada num calendário, mas em condições, afirmando que não vai discutir o número de tropas.

“Não vamos falar do número de soldados ou dos planos para novas ações militares (…). Os inimigos da América não devem conhecer nunca os nossos projetos“, afirmou Trump.

Depois do discurso do Presidente, o secretário da Defesa norte-americano, Jim Mattis, também defendeu que os EUA e os países aliados estão preparados para aumentar as tropas no Afeganistão.

“Vou consultar o secretário-geral da NATO e os nossos aliados, mas muitos também se comprometeram a aumentar o número de soldados destacados“, indicou em comunicado, deixando no ar a possibilidade de Washington fazer o mesmo.

Por sua vez, o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que a Aliança Atlântica, que intervém no Afeganistão desde 11 de setembro de 2001, a pedido de Washington, nunca deixará aquele país “tornar-se novamente um santuário para terroristas que atacariam os nossos próprios países”.

“O nosso objetivo é garantir que o Afeganistão nunca mais se torne um santuário para os terroristas “, disse  em comunicado.

Talibãs respondem a Trump

“Se os Estados Unidos não retirarem as tropas do Afeganistão, o país depressa se vai tornar num novo cemitério para aquela superpotência do século XXI. Os dirigentes norte-americanos devem saber disto”, avisaram os talibãs num comunicado.

Atualmente, 8.400 militares norte-americanos estão destacados no Afeganistão. Os EUA chegaram a ter cem mil tropas no país durante a administração de Barack Obama, em 2010-2011.

Cerca de 2.400 soldados morreram desde 2001, e mais de 20 mil ficaram feridos.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Donos da ANA adiam investimentos e deixam Montijo em risco

O grupo Vinci Airports, que controla a gestora aeroportuária nacional, vai adiar investimentos e o novo aeroporto do Montijo poderá ser uma das baixas. Como seria de esperar, a pandemia de covid-19 está a ter um …

Bancos com mil milhões de euros em pedidos de moratórias em média numa semana

Uma semana depois de a legislação da moratória pública ter entrado em vigor, os bancos nacionais já têm uma estimativa do número de pedidos de particulares e de empresas. De acordo com o Jornal Económico, os …

Idosos em lares infetados vão mudar-se (e podem ir para outros concelhos)

Na sequência do aumento de números de casos confirmados de covid- 19 nos lares, o Governo pretende “encontrar equipamentos alternativos” para alojar idosos, em isolamento profilático e que não precisem de tratamento hospitalar, dentro ou …

Apesar da pandemia, juiz Carlos Alexandre marca sessões do caso Tancos para abril

O juiz Carlos Alexandre marcou o interrogatório do principal arguido do processo relativo ao furto das armas de Tancos, João Paulino, para dia 21 de abril. De acordo com um despacho datado de 1 abril, citado …

Conceição pode estar de saída. FC Porto oferece 5 milhões por ano a Jesus

O treinador portista, Sérgio Conceição, pode estar de saída para a Alemanha. Como alternativa, o FC Porto está disposto a pagar 5 milhões de euros por ano a Jorge Jesus. Sérgio Conceição pode estar de saída …

Estado paga subsídio de refeição em teletrabalho. No privado, os patrões estão confusos

Mesmo à distância, os funcionários públicos mantêm o direito ao subsídio de refeição. No privado, a confusão mantém-se e os patrões estão divididos. De acordo com o secretário-geral da UGT, alguns patrões do privado estão a …

UEFA não quer campeonatos a seguir o exemplo belga

A UEFA reprovou a decisão da Liga de futebol da Bélgica que, esta quinta-feira, recomendou que se dê por terminada a época e se atribua o título ao Club Brugge.  Numa carta conjunta com a Associação de Clubes …

Boris Johnson em cheque. Desta vez, por causa da quantidade ínfima de testes

A pandemia de covid-19 está a ser um calvário político para Boris Johnson. O primeiro-ministro britânico tem sido alvo de várias críticas, sendo que a última tem a ver com a quantidade ínfima de testes …

EUA com pior recorde mundial diário de mortes. 10 milhões perderam o emprego

Os Estados Unidos registaram, esta quinta-feira, 1169 mortes em 24 horas causadas pela covid-19, o pior recorde mundial diário, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins. O número recorde de mortes em 24 horas …

Real Madrid sonda Maximiano. Sporting quer blindá-lo com cláusula de 60 milhões

O Real Madrid está atento a Luís Maximiano, o guarda-redes de 21 anos do Sporting. Os 'leões' querem blindar o jogador com uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros. O Real Madrid está interessado …