/

Remédios para a asma podem prejudicar o crescimento das crianças

Crianças pequenas que tomam medicamentos para a asma antes mesmo de completar dois anos de idade podem ter o seu crescimento prejudicado, conforme sugere um estudo preliminar realizado com 12 mil crianças.

Segundo a investigação, liderada pelo pediatra e bioestatístico Antti Saari, da University of Eastern Finland, as crianças que fizeram uso dos corticóides inalados para o tratamento da asma apresentaram prejuízos no crescimento.

O estudo foi apresentado este sábado em Barcelona, na ESPE2015, a conferência da Sociedade Europeia de Endocrinologia Pediátrica.

Estudos anteriores já tinham relacionado o uso deste tipo de medicamentos com limitações no crescimento.

Os investigadores reforçam que esta pesquisa serve para realçar a importância de se ter cuidado redobrado ao receitar corticóides a crianças muito pequenas.

A organização Asthma UK, no entanto, afirma que os corticóides inalados têm um papel crucial no controle dos sintomas da asma na infância.

O seu papel, segundo a organização, é especialmente importante para diminuir o número de vezes que as crianças precisam de ser levadas ao hospital por causa de crises de asma.

A asma é uma doença crónica que, segundo dados da Fundação Portuguesa do Pulmão, que afecta cerca de 10% da população portuguesa, sendo a doença mais prevalente em idade pediátrica.

O principal tratamento para a asma é feito com corticóides inalados que podem ser encontrados em medicamentos com inaladores – mas que também são conhecidos por causar efeitos colaterais em algumas pessoas.

A recomendação dos médicos é de que as crianças que tomam corticóides inalados para o tratamento da asma devem ter um acompanhamento rigoroso e frequente de peso e altura, ao longo do ano, para observar qualquer sinal de crescimento reduzido.

A investigação

O pneumologista Antti Saari, autor principal do estudo, explica que a sua equipa analisou informações sobre a altura dos pais das crianças, assim como os dados do seu peso e da quantidade de medicamento para asma que tomavam, para calcular o crescimento e a altura esperados.

A equipa descobriu uma relação entre o uso de corticóides inalados e crescimento, segundo a qual pode haver uma perda de altura de até 3 cm quando a criança se torna adulta.

“É importante que os médicos pensem duas vezes antes de receitar esse tipo de medicamento a crianças abaixo dos dois anos”, realça Saari à BBC.

Jonathan Grigg, médico honorário da British Lung Foundation e professor de medicina respiratória pediátrica na Universidade Queen Mary em Londres, defende ser discutível que se deva tratar crianças muito novas com sintomas de asma.

“Não conseguimos descobrir o tratamento ideal para crianças tão novas com esse problema. Não é muito claro quais delas precisam e quais não precisam de tratamento com corticóide”, diz Grigg”.

“Muitas crescem sem desenvolver asma e não precisam de tratamento no futuro”, acrescenta o cientista.

Segundo Grigg, é necessário um novo e maior estudo com grupos de crianças de diferentes idades, para descobrir mais detalhes sobre esta questão.

Mas a directora de política de investigação da Asthma UK, Samantha Walker, defende por seu turno que os corticóides inalados são fundamentais para reduzir e controlar os sintomas da asma.

Segundo Walker, o seu impacto no crescimento é “relativamente pequeno”.

“Nenhum pai deve parar de dar estes medicamentos aos filhos, porque uma pequena redução no crescimento é um preço muito baixo a pagar por remédios que podem salvar a vida das suas crianças”, acrescentou.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

ZAP / BBC

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE