Voos e 2 mil libras. Reino Unido oferece incentivos a cidadãos da UE que queiram abandonar o país

O Governo britânico está a oferecer incentivos financeiros para os cidadãos da União Europeia (UE) deixarem o Reino Unido, meses antes do prazo para solicitar o estatuto de residente permanente

De acordo com o jornal britânico The Guardian, os cidadãos da União Europeia (UE) foram discretamente adicionados ao regime de regresso voluntário do Governo, onde um apoio financeiro é oferecido como um incentivo para regressar ao seu país de origem.

Os pagamentos podem incluir voos e até 2.000 libras. O objetivo, segundo o diário, é ajudar alguns migrantes no Reino Unido a partirem voluntariamente.

Pessoas que trabalham para ajudar cidadãos vulneráveis ​​da UE no Reino Unido disseram que a oferta de dinheiro para voltar para o seu país de origem contradiz a alegação do Governo de que está a fazer tudo o que pode para encorajar as pessoas a registar-se para obter o estatuto de residente permanente.

O prazo para os europeus que vivem no Reino Unido se candidatarem ao regime de residente permanente é 30 de junho.

“Está claro no nosso trabalho de caso que alguns dos cidadãos mais vulneráveis ​​da UE ainda não resolveram a sua situação. Barreiras à aplicação e atrasos na tomada de decisões do Home Office continuam a ser fatores significativos. Esta mensagem confusa sobre o estatuto estabelecido de um lado e os retornos voluntários do outro prejudica seriamente a alegação do governo de que os direitos dos europeus vulneráveis ​​serão protegidos após o Brexit”, disse Benjamin Morgan, que dirige o projeto de direitos dos sem-abrigo da UE no Public Interest Law Center.

“Algumas pessoas podem optar por não obter o estatuto e podem não querer permanecer no Reino Unido após o prazo. É por isso que escrevemos às partes interessadas para informá-los de que os cidadãos que desejam deixar o Reino Unido podem agora ser elegíveis para apoio para ajudá-los a fazê-lo sob o esquema de retorno voluntário”, explicou um porta-voz do Home Office.

Esta notícia surge num momento em que um relatório o Conselho Conjunto para o Bem-Estar dos Imigrantes (JWCI) alertou que milhares de trabalhadores europeus corriam o risco de perder o seu direito legal de permanecer no Reino Unido.

O relatório adverte que milhares de cidadãos europeus que atualmente desempenham funções-chave de trabalhadores no setor de saúde, bem como aqueles que trabalham na construção, manufatura e agricultura, correm o risco de perder o seu estatudo no Reino Unido.

Também o Observatório da Migração expressou preocupação com o risco de alguns grupos não serem registados até 30 de junho. O ministro da imigração, Kevin Foster, disse que o relatório do JCWI apresentou “uma imagem incrivelmente enganosa do esquema de assentamento da UE”, uma vez que se baseou “numa pequena pesquisa com menos de 300 pessoas conduzida há um ano”.

“Desde então, milhões de pedidos foram recebidos pelo esquema”, disse Foster. “Já tivemos quase 4,9 milhões de inscrições para o esquema de assentamento da UE de enorme sucesso. Faltam agora menos de seis meses para o prazo final de 30 de junho de 2021 e eu encorajaria todos os elegíveis a inscreverem-se agora para garantirem os seus direitos sob a lei do Reino Unido”.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Fui sujeito a pressões, intimidações e ameaças". António Oliveira desiste de candidatura à Câmara de Gaia

Esta sexta-feira, numa reunião de emergência, António Oliveira, candidato à Câmara de Vila Nova de Gaia, anunciou ao líder do PSD, Rui Rio, a sua desistência da corrida eleitoral. António Oliveira tinha sido a escolha de …

Marcelo pede a portugueses "noção" sobre momento de transição

O Presidente da República destacou a importância "de as pessoas terem a noção" do momento de transição" na pandemia em Portugal, sublinhando as vacinas como resposta. A campanha de vacinação justifica o "momento de transição" que …

Uma das plantas mais estudadas de sempre tinha uma parte desconhecida

Cientistas encontraram uma parte completamente nova numa das plantas mais estudadas de sempre. De acordo com o site Science Alert, a planta em questão chama-se Arabidopsis thaliana e é um organismo modelo, já tendo sido usada …

Informações contraditórias. Autoridades belgas só confirmam a morte de um português em Antuérpia

Apesar de três portugueses terem sido dados como mortos, as autoridades no local onde ruiu um prédio em construção em Antuérpia, na Bélgica, só confirmam a nacionalidade lusa de um óbito. De acordo com a TSF, …

António Joaquim entregou-se para cumprir 25 anos de prisão pela morte de Luís Grilo

António Joaquim apresentou-se hoje num estabelecimento prisional para cumprir os 25 anos de prisão (pena máxima) a que foi condenado pela coautoria do homicídio de Luís Grilo, disse à agência Lusa o seu advogado. “António Félix …

Afinal, a altura não depende apenas dos nossos genes

Vários especialistas em genética e biologia celular defendem que a altura não só depende dos genes transmitidos pelos nossos pais, mas também de fatores ambientais, como a dieta. Muitas vezes consideramos a nossa altura imutável, determinada …

Resolvido mistério de longa data sobre explosões colossais no Espaço

Cientistas desvendaram um antigo mistério sobre algumas das maiores explosões do universo, conhecidas como erupções de raios gama, ou Gamma Ray Bursts (GRB), em inglês. As erupções de raios gama são explosões extremamente energéticas que foram …

Programa de computador prevê os gostos de arte das pessoas

Um programa de computador criado por uma equipa de investigadores conseguiu prever com precisão os gostos de arte das pessoas. Gostos não se discutem. Seja a cor preferida, o carro que conduz ou o género de …

Bilardo foi "distraído" para não saber da morte de Maradona

Carlos Bilardo continua sem saber que Diego Maradona morreu. Família tenta proteger saúde do antigo selecionador argentino. Diego Armando Maradona morreu em novembro e Carlos Bilardo continua sem saber desse falecimento. A família tenta proteger a …

Processo de envelhecimento é imparável, revela estudo

Um novo estudo, que envolveu cientistas de 14 países, confirmou que provavelmente não podemos diminuir a velocidade com que envelhecemos, devido a restrições biológicas. A pesquisa, publicada na quarta-feira na Nature Comunications, inclui especialistas da Universidade …