Publicada “árvore da vida” com 2,3 milhões de espécies

opentreeoflife.org

Um primeiro esboço da “árvore da vida” para as cerca de 2,3 milhões de espécies conhecidas de animais, plantas, fungos e micróbios foi finalmente lançado.

Resultado de um esforço colaborativo entre 11 instituições, a árvore representa as relações entre os seres vivos conforme divergiram um do outro ao longo do tempo, remontando ao início da vida na Terra, mais de 3,5 mil mihões de anos atrás.

Dezenas de milhares de árvores menores foram publicadas ao longo dos anos pela seleção de ramos da árvore da vida – algumas contendo mais de 100 mil espécies -, mas esta é a primeira vez que os resultados foram combinados numa única árvore que engloba toda a vida.

O resultado final é um recurso digital disponível gratuitamente para qualquer um usar ou editar – uma espécie de Wikipedia para árvores evolucionárias.

“Esta é a primeira tentativa real de ligar os pontos e colocá-lo todos juntos”, disse a principal investigadora, Karen Cranston, da Universidade de Duke, ao portal Phys.org. “Pense nela como a versão 1.0”.

A atual versão da árvore está disponível para navegar e fazer download no site tree.opentreeoflife.org. Ele também foi descrita num artigo publicado semana passada na Proceedings of the National Academy of Sciences.

Diagramas complexos

As árvores evolutivas, que quase sempre parecem um mapa do metro de uma cidade secreta, não servem apenas para descobrir se os aardvarks estão mais relacionados com as toupeiras ou os peixes-boi, ou identificar os primos mais próximos do mofo.

Compreender como é que as milhões de espécies na Terra estão relacionadas umas às outras ajuda os cientistas a descobrirem novos medicamentos, aumentar os rendimentos agrícolas e pecuários, e traçar as origens e propagação de doenças infecciosas, como o VIH, o ébola e a gripe.

Em vez de construir a árvore da vida do zero, os investigadores compilaram milhares de pequenos bocados que já tinham sido publicados online, compondo a “super árvore”.

O projeto inicial é baseado em árvores de cerca de 500 estudos menores publicados anteriormente. O maior desafio de juntar toda essa informação num único lugar, sob um só padrão, foi representar as mudanças de nome, nomes alternativos, erros ortográficos comuns e abreviaturas para cada espécie.

opentreeoflife.org

-

Ainda que seja algo magnífico, este é apenas o começo – por um lado, apenas uma pequena fração de árvores publicadas estão digitalmente disponíveis.

Uma pesquisa com mais de 7.500 estudos filogenéticos publicados entre 2000 e 2012 em mais de 100 revistas constatou que apenas um em cada seis estudos tinham os seus dados em formato digital para download e que os investigadores pudessem usar.

A grande maioria das árvores evolutivas são publicadas como PDFs oy outros arquivos de imagem impossíveis de serem inscritas num banco de dados ou fundidas com outras árvores.

“Existe uma lacuna muito grande entre a soma do que os cientistas sabem sobre como os seres vivos estão relacionados e o que está disponível digitalmente”, explica a cientista.

Como resultado, as relações representadas em algumas partes da árvore, como os ramos que representam as famílias da ervilha e do girassol, nem sempre concordam com a opinião de especialistas. Outras partes da árvore, particularmente insetos e micróbios, ainda são difíceis de encontrar.

Isso porque até mesmo o arquivo online mais popular de sequências genéticas cruas – a partir do qual muitas árvores evolutivas são construídas – contém dados de ADN para menos de 5% das dezenas de milhões de espécies que estimamos existirem na Terra.

“Tão importante quanto mostrar o que sabemos sobre as ligações, esta primeira árvore da vida também é importante para revelar o que não sabemos“, aponta o coautor Douglas Soltis, da Universidade da Flórida.

Completar aos poucos

Para ajudar a preencher as lacunas, a equipa também está a desenvolver um software que vai permitir que a árvore seja revista e atualizada à medida que os novos dados chegarem a respeito das milhões de espécies que ainda estão a ser nomeadas ou descobertas.

“Ela não está finalizada, de todo”, disse Cranston, afirmando que é de extrema importância partilhar os dados de trabalhos já publicados e recém-publicados para melhorar a árvore. O trabalho dos cientistas pode ser acompanhado através do blog do projeto.

“Há 25 anos, as pessoas diziam que esse objetivo de árvores enormes era impossível”, diz Soltis. Ao longo das próximas décadas, a Árvore Aberta da Vida poderá servir como ponto de partida para outros investigadores que quiserem refiná-la e melhorá-la.

ZAP / HypeScience

PARTILHAR

RESPONDER

Sporting 2-1 Santa Clara | Super-Coates volta a ser herói

Arrancado a ferros… à campeão? O Sporting esteve a poucos segundos de registar o terceiro empate em casa, perante um Santa Clara que não foi em nada inferior aos “leões” e até conseguiu ser superior em …

Os gatos demonstram ser menos leais do que os cães (mas pode haver uma razão)

Ainda existe um estereótipo sobre a diferença entre cães e gatos. Normalmente as pessoas associam os cães a animais amorosos e leais, enquanto os gatos são tidos como distantes e indiferentes. Um novo estudo pode …

O mistério do "lago dos esqueletos" na Índia intriga cientistas há décadas

O Roopkund, localizado na parte indiana dos Himalaias, é um lago glacial com centenas de ossos humanos. E ninguém sabe como foram lá parar. Em 1942, um guarda florestal revelou ao mundo a existência deste lago …

A fronteira mais importante da China é imaginária: a Linha Hu

A Linha Hu, também conhecida como linha Heihe-Tengchong, é uma linha imaginária que divida a China em duas partes com áreas quase iguais. Estende-se da cidade de Heihe até Tengchong. Desenhada pela primeira vez em 1935, …

Algumas pessoas moram em aeroportos durante meses (ou até mesmo anos)

Aeroportos não servem de casa apenas para os sem-abrigo. Há pessoas que, involuntariamente ou não, ficam lá durante meses e, em alguns casos, até mesmo anos. Em janeiro, as autoridades de Chicago prenderam um homem de …

Senado da Carolina do Sul aprova fuzilamento como método de execução

Com esta decisão, a Carolina do Sul poderá converter-se no quarto estado do país a incorporar este método de execução de pena de morte, depois do Utah, Oklahoma e Mississípi. De acordo com a agência noticiosa …

"Oxigénio tornou-se ouro". Criminosos lucram com a sua escassez no México

A pandemia de covid-19 deixou a Cidade do México a atravessar uma grande escassez de oxigénio médico. Criminosos estão a aproveitar para lucrar com a situação. A capital mexicana registou um pico de infeções e hospitalizações …

Meteorito do tamanho de um damasco caiu em França (e os astrónomos precisam de ajuda para encontrá-lo)

Os entusiastas do Espaço estão a ser instados a procurar um meteorito do tamanho de um damasco que caiu no fim de semana passado no sudoeste de França.  O meteorito, com peso estimado em 150 gramas, …

Professora pediu a alunos para fingir que eram escravos e escreverem carta para África

Uma professora de uma escola secundária no Mississippi, nos Estados Unidos, está a ser alvo de críticas devido a uma fotografia de um trabalho de casa divulgada nas redes sociais. Foi pedido aos alunos do 8.º …

Obra de Churchill que pertencia a Angelina Jolie vendida por valor recorde

O quadro pintado pelo antigo primeiro-ministro britânico foi vendido por 8,3 milhões de libras. A pintura foi um presente de Winston Churchill para o presidente dos Estados Unidos, Franklin D. Roosevelt, e agora foi leiloada …