Pterossauro recentemente descoberto terá sido o último sobrevivente da sua espécie

T.R.T. / Pentland et. al

Ilustração de um Ferrodraco lentoni por T.R.T.

Um pterossauro australiano recém-descoberto é o espécime mais completo já descoberto em Land Down Under. Além disso, poderá ser um dos últimos sobreviventes de um grupo de pterodátilos conhecidos como anhanguerians.

Embora muitas vezes confundidos com uma espécie de dinossauro, os pterossauros eram répteis voadores, ainda que estivessem mais intimamente relacionados com os dinossauros e os seus parentes vivos emplumados do que répteis como crocodilos. As criaturas viveram de cerca de 220 milhões de anos atrás até ao final do Cretáceo, há 66 milhões de anos, quando um asteróide caiu na Terra e matou os dinossauros.

A espécie recém-descoberta foi encontrada numa pedra de ferro na Formação Winton de Queensland e recebeu o nome de Ferrodraco lentoni, de acordo com o artigo publicado este mês na revista especializada Scientific Reports.

Ferro é latim para ferro, referenciando a rocha em que foi encontrado, enquanto draco significa dragão, um nome adequado para um réptil alado. Enquanto isso, Lentoni refere-se ao ex-presidente de Winton Shire, Graham Thomas Lenton, em reconhecimento ao seu apoio ao Museu de História Natural da Era dos Dinossauros da Austrália.

O recém-descrito “dragão de ferro” pode ter sido um dos últimos sobreviventes de um grupo extinto há cerca de 94 milhões de anos. No entanto, as novas espécies podem ter durado até cerca de 90 a 93 milhões de anos atrás, no início da era turoniana. Portanto, parece que o grupo de répteis no ar pode ter sobrevivido durante mais tempo na Austrália do que em qualquer outro lugar.

“Como esse é um dos membros geologicamente mais jovens do clã, estes pterossauros sobreviveram durante mais tempo mais do que se pensava”, disse à IFLScience Adele Pentland, da Universidade de Tecnologia de Swinburne e autora do estudo.

Restos mortais de pterossauros foram encontrados em todos os continentes, mas apenas 15 espécimes foram descobertos até agora na Austrália. Estes geralmente são compostos de meros fragmentos, enquanto o fóssil do Ferrodraco inclui partes do crânio e cinco vértebras da coluna vertebral.

Analisando os restos, os investigadores concluíram que o seu espécime era um membro dos anhanguerians, graças ao formato da mandíbula e dentes pontiagudos. O que a torna uma espécie distinta são características dentárias específicas, como os seus pequenos dentes da frente. A equipa acredita que as asas da espécie teriam atingido os quatro  metros.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas nazis criaram um pesticida alternativo ao DDT (que até era melhor)

Cientistas nazis criaram uma alternativa ao inseticida DDT, que alegadamente seria menos tóxica para os mamíferos e de ação mais rápida. A sua produção viria a terminar abruptamente por intervenção das forças Aliadas. O DDT é …

Operação Rota do Cabo leva à detenção de 22 pessoas

A Procuradoria-geral Distrital de Lisboa (PGDL) anunciou hoje a detenção de 22 pessoas no âmbito a operação Rota do Cabo, efetuada para desmantelar uma alegada rede criminosa de auxílio à imigração ilegal. Em comunicado, a PGDL …

Garcia de Orta. Governo admite recorrer a pediatras do privado para assegurar urgência

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Francisco Ramos, disse que a falta de médicos pediatras nas urgências do hospital Garcia de Orta “é uma situação que não é possível resolver de um …

Cientistas descobrem um novo benefício de tomar chá

https://vimeo.com/366605754 Se já se sabia que beber chá era bom para a nossa saúde, uma nova investigação vem confirmar ainda mais essa ideia. Cientistas encontraram no chá um novo benefício para o nosso cérebro. Várias investigações apontam …

Governo da Escócia quer novo referendo sobre independência em 2020

A ministra principal da Escócia e líder do Partido Nacionalista Escocês (SNP), Nicola Sturgeon, afirmou esta terça-feira que quer um novo referendo sobre a independência em 2020 e abrir negociações com Londres até ao fim …

As bactérias contradizem Darwin: a mais apta não sobrevive

Uma recente investigação levada a cabo pela Universidade de Copenhaga, na Dinamarca, revela que, no que diz respeito às bactérias, a "sobrevivência das mais cooperativas" excede a "sobrevivência das mais fortes". As bactérias são capazes de …

A Via Láctea roubou minúsculas galáxias à sua vizinha

Utilizando dados obtidos pelo Telescópio Gaia, os cientistas chegaram à conclusão que a Via Láctea "sequestrou" galáxias da Grande Nuvem de Magalhães, uma outra galáxia que a orbita. No nosso Universo, a regra é orbitar: a …

Pode ter sido encontrada (e ignorada) vida em Marte em 1976, defende antigo cientista da NASA

O antigo cientista da agência espacial norte-americana Gilbert V. Levin afirma que foram encontradas evidências de vida em Marte na década de 70. No entender do especialista, deviam ter sido levado a cabo mais investigações …

Era marketing. Fortnite voltou (e está diferente)

Depois de 10 temporadas, um buraco negro engoliu a ilha na qual diariamente milhões de jogadores tentavam sobreviver, matando-se uns aos outros. Durante um dia e meio, ninguém podia jogar. O susto acabou esta terça-feira, …

Cientistas determinam o que diminui a fertilidade das mulheres com o avanço da idade

Investigadores da Universidade de Copenhaga mapearam alguns dos mecanismos que podem afetar a fertilidade das mulheres desde a adolescência até a menopausa. A fertilidade natural das mulheres flutua entre altos e baixos na forma de uma …