/

“Ataque terrorista islâmico.” Professor decapitado após mostrar caricaturas de Maomé

15

Philippe Wojazer / EPA

Um professor foi decapitado depois de ter mostrado caricaturas de Maomé na sala de aula, num liceu de uma localidade perto de Paris.

Um professor foi decapitado, na tarde desta sexta-feira, junto ao colégio de Bois d’Aulne em Conflans Sainte-Honorine (Yvelines), perto de Paris, num caso cuja investigação foi entregue à Procuradoria Nacional Antiterrorismo francesa.

O suposto agressor foi gravemente ferido pela polícia. Mais tarde, fonte judiciária não identificada pela AFP informou que o atacante acabou por morrer devido à gravidade dos ferimentos sofridos. O incidente aconteceu por volta das 17h00 locais, perto de uma escola.

A polícia confirmou que a vítima mortal era professor num colégio da localidade e que, numa das suas aulas, terá mostrado caricaturas do profeta Maomé, dados que levaram a que a investigação tenha sido entregue ao órgão de investigação antiterrorismo.

A Procuradoria Nacional Antiterrorismo abriu uma investigação por “assassinato com ligação a atividade terrorista” e “associação criminosa terrorista“.

A polícia chegou ao local depois de uma chamada sobre um indivíduo suspeito que vagueava perto da escola. Chegadas ao local, as autoridades francesas encontraram o corpo da vítima mortal e, mais tarde, avistaram o suspeito que se revelou agressivo e com uma arma branca.

Depois de recusar o pedido para baixar a arma, as autoridades abriram fogo sobre o suspeito.

“Ataque terrorista islâmico”

O chefe de Estado francês, Emmanuel Macron, considerou que o homicídio de um homem, nas imediações do colégio de Bois d’Aulne, em Conflans-Sainte-Honorine, arredores da capital do país, é um “característico ataque terrorista islâmico”, no entanto, “o obscurantismo não vencerá”

“Um dos nossos compatriotas foi morto hoje porque ensinou (…) a liberdade para acreditar e não acreditar”, acrescentou Macron, desta vez citado pela Associated Press (AP).

O Presidente francês vincou que este ataque não pode dividir o país, uma vez que, na opinião de Macron, é esse o objetivo dos extremistas: “Temos de nos unir enquanto cidadãos.”

O alegado suspeito da decapitação de um homem, nos arredores de Paris, em França, terá gritado “Allah ‘Akbar” (“Deus é grande” em árabe) quando foi baleado pela polícia.

De acordo com uma fonte da investigação a este homicídio, a polícia também está interessada numa fotografia no Twitter, através de um utilizador que, entretanto, encerrou a conta, da cabeça decapitada da vítima. As autoridades estão a tentar perceber se esta fotografia foi publicada pelo alegado autor do homicídio ou por outra pessoa.

A AFP dá conta de que a fotografia acompanhava uma mensagem dirigida ao Presidente francês, Emmanuel Macron, apelidado de “o líder dos infiéis”. “Executei um dos cães infernais que ousou menosprezar Muhammad [o profeta Maomé]”, explicitaria esta mensagem.

  ZAP // Lusa

 

15 Comments

  1. Não sou racista, nem xenófobo mas a religião muçulmana deveria ser proibida na europa! Esta religião é um cancro na sociedade europeia. Se não se sabem comportar como gente não têm lugar no continente europeu!
    Não me venham dizer que há moderados e radicais em todas as religiões porque na religião muçulmana não existem moderados. Nunca vi nenhum muçulmano condenar este tipo de acções. A desculpa é sempre, não deveriam brincar com Maomé. Como se isso justificasse a barbárie que cometem.

  2. Que necessidade teria esse professor de exibir essas caricaturas? Ele sabia o que aconteceu anteriormente.

    • O seu comentário deixa-me curioso: Estará a sugerir que a culpa de ter sido decapitado foi do próprio? Devo deduzir que na sua opinião o decapitado teve o que merecia?

  3. Maomé já está no além, e nem sabe o que está acontecendo. Acho que lugar de Mulçumano é em sua terra. Este povo tem que ser banido de todo lugar e voltar para sua terra. Isto sim é um desrespeito em um país que nem pertence a eles.

  4. En Nome da Santa tolerância, a intolerância destes loucos varridos torna-se cronica. O lugar desta gente é na prisão perpétua, com os “carinhosos” cuidados que merecem !…..

  5. Os franceses vivem reféns na sua própria terra e gradualmente vão perdendo a sua identidade europeia, isto por culpa dos sucessivos governos que depois da independência da Argélia decidiram acolher milhões de argelinos descontentes com a miséria vivida no seu país, para além destes, outros oriundos de outros países muçulmanos vão entrando pela Europa dentro sempre com a proteção dos respetivos governantes que ainda não perceberam o perigo em que estão a meter os cidadãos e a cultura europeia.

  6. Eu não sou xenófobo nem racista, aceito todos por igual, mas tem de haver respeito e tolerância de parte a parte, não pode ser só de um lado!! Os muçulmanos têm de saber conviver com a democracia e pluralidade de opiniões, caso contrário não podem viver junto dos países civilizados, ponto.

  7. “a liberdade para acreditar e não acreditar”, como disse Macron, não pode passar pelo desrespeito. Os muçulmanos também têm o direito de se sentir ofendidos, mas a França ainda não percebeu isso.
    Hoje em dia andam a tirar o nome preto de tudo e mais alguma coisa (em muitos casos sem qualquer motivo) porque os negros se sentem ofendidos e ninguém quer ser acusado de racismo. Se fosse uma caricatura de cariz homossexual era imediatamente rotulada de homofóbica, mas como é de Maomé… não há problema.
    Os que não acreditam na religião têm a obrigação de respeitar quem acredita. Não vale tudo na liberdade de expressão. A minha liberdade termina quando começa a liberdade do outro, e o outro tem o direito às suas convicções, sem que por isso eu tenha de o depreciar porque me julgo ideologicamente superior a ele.
    Não quero com isto justificar ou diminuir a culpa do agressor.

      • É evidente que não venho legitimar nada. Só penso que se houvesse mais respeito se evitariam muitos males.
        E o respeito não significa medo.

    • Mas qual desrespeito?? Mostrar caricaturas do Maomé numa sala de aula é desrespeito na cabecinha de quem?
      Enfim… as religiões são um cancro que só serve para atrasar o desenvolvimento humano e para estupidificar os mais “distraídos” toldando-lhes o raciocino e, este assassinato é só mais um prova disso mesmo!…
      Os muçulmanos podem sentir-se ofendidos à vontade; daí a degolar-se alguém apenas por este ter mostrado caricaturas do Maomé vai uma GRANDE distância…
      Os fanáticos ficam ofendidos com tudo e, se a liberdade de expressão dependesse da vontade dos religiosos, não havia nenhuma!!
      Se no século XXI as religiões ainda não sabem conviver com a liberdade/democracia, talvez já seja mais do que tempo de se repensar o papel da religiões na sociedade e de as arrumar para onde nunca deviam ter saído: a Idade Média/Medieval!

  8. Deviam começar a mostrar caricarturas do Maomé em todos os jornais e televisões, como forma de protesto e indignação, e em vez de estarmos aqui a mandar “papos”, deviamos fazer alguma coisa, por exemplo: – partilhar fotos das referidas caricaturas nas redes socias, eu já comecei com os meus contactos mais próximos, em Portugal e França…
    Não nos podemos recolher e refugiar em medos e hipocrisias morais. Isto é só o início, esperem até os muçulmanos serem tantos quanto nós ou até maioria, pensem nos vossos filhos e principalmente no que será a vida das vossas filhas…
    A tolerância e respeito são vias de dois sentidos, para se ser respeitado tem que se respeitar, matar alguém por causa de um desenho, não demonstra nenhum respeito, nem moral. Temos tribunais, e instituiçõpes para tratar de assuntos como esses e prevenir desrespeitos e infrações às liberdades. Vivemos numa democracia com leis, não é cada um por si a fazer justiça com as próprias mãos, não foi assim que esta sociedade foi construída e herdada dos nossos pais, avós e antepassados.
    Hoje vive-se com com medo de dizer o que se pensa, em Portugal fizeram o 25 de Abril 1972, para derrubar uma ditadura, nós agora de censura em censura, do politicamente correto em politicamente correto, estamos a construir outra bem pior…

  9. Foi abatido como um cão, teve o que mereceu. Agora estará no céu com as virgens ou será que está no Inferno e ele é um dos virgens? Se existe céu, Inferno e justiça divina, apostaria mais na última.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.