Professor chinês crítico de Xi Jinping preso em casa e sem acesso à Internet

1

(dr) Tsinghua University

O professor chinês Xu Zhangrun

O professor que lançou duras críticas ao Presidente chinês foi colocado em prisão domiciliária e está sem acesso à Internet.

De acordo com o jornal The Guardian, Xu Zhangrun, que publicou um texto a criticar a forma como o Presidente da China, Xi Jinping, lidou com o coronavírus, foi colocado em prisão domiciliária e está atualmente sem acesso à Internet.

No texto Viral Alarm: When Fury Overcomes Fear (“Alerta Viral: Quando a Fúria Ultrapassa o Medo”), divulgado no passado dia 10, o professor considerou que o surto, que já matou quase 1800 pessoas na China e fez mais de 70 mil infetados, “revelou o núcleo podre do Governo”.

Em declarações ao jornal britânico, um amigo do docente, que preferiu manter o anonimato para evitar represálias, explicou que a polícia colocou Zhangrun em prisão domiciliária quando este voltou a Pequim, depois de ter passado o Ano Novo Chinês na sua terra natal, na província chinesa de Anhui.

Esteve preso em casa sob o pretexto de que tinha de ser posto sob quarentena por causa da viagem. Ele esteve de facto em prisão domiciliária e os seus movimentos foram limitados”.

Durante esses dias, o amigo conta que o professor universitário tinha pelo menos dois agentes à porta de sua casa e também houve agentes que foram lá propositadamente para o alertarem.

Apesar dessas restrições terem sido levantadas na semana passada, Xu Zhangrun está sem acesso à Internet desde sexta-feira. “Tentou resolver o problema, mas descobriu que o seu endereço de IP foi bloqueado. Ele vive nos arredores de Pequim, está longe de lojas e outros serviços. Tendo em conta a situação atual do coronavírus, as coisas estão bastantes difíceis para ele”, disse ainda o amigo.

Ao mesmo jornal, vários amigos deste professor dizem que, desde a publicação do texto, as suas contas no WeChat e no Weibo (aplicações chinesas) foram canceladas, e acrescentam que tem sido difícil contactá-lo.

Receio que esteja a ser vigiado. Não respondeu diretamente às minhas perguntas, mas disse para não me preocupar”, contou um amigo ao diário inglês, que conseguiu trocar algumas mensagens escritas com o professor.

Quando publicou o texto, Xu Zhangrun, que já foi suspenso da universidade onde dava aulas (a Universidade de Tsinghua), antecipou que iria ser novamente castigado. “Posso agora facilmente prever que vou ser submetido a novos castigos; na verdade, esta pode mesmo ser a última coisa que escrevo”.

O professor foi um dos vários académicos que assinou uma petição online na qual se exige ao Congresso Nacional do Povo (o Parlamento chinês), entre outras coisas, que proteja o direito à liberdade de expressão no país.

  ZAP //

1 Comment

  1. Isto porque o que eles andam a fazer lá na China à população não é divulgado… o povo está a ser morto.. o corona é um esquema…a televisão só divulga o que o governo permite…ou seja mentiras ou manipulações…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE