Produtores de Ellen despedidos depois de acusações de racismo e assédio

Três dos produtores do The Ellen DeGeneres Show foram afastados do projeto. A saída ocorreu durante as investigações da produtora Warner Media aos bastidores, decorrentes das acusações de antigos funcionários de assédio, conduta sexual e intimidação no local de trabalho por membros da equipa.

Os produtores executivos Ed Glavin e Kevin Leman, juntamente com o co-produtor Jonathan Norman, saem depois da reorganização da estrutura, adiantou um porta-voz da Warner Media ao The Hollywood Reporter.

O trio tinha sido suspenso na sequência de acusações de má conduta, assédio e racismo na realização e preparação do programa que foram reveladas pelos sites de noticias BuzzFeed e Variety.

A equipa vai ser reestruturada

O DJ Stephen “tWitch” Boss, residente no talk-show, foi promovido a co-produtor executivo. A novidade foi confirmada ontem pelo próprio através da rede social Twitch. Os veteranos da produção do programa, na equipa desde o inicio – Mary Connelly, Andy Lassner e Derek Westervelt – permanecem no Ellen Show.

A apresentadora revelou a reestruturação da equipa através de uma videochamada com todos os funcionários na plataforma Zoom, onde também pediu desculpa à equipa composta por 200 trabalhadores depois dos depoimentos que chegaram à imprensa sobre o suposto ambiente tóxico que se viveria nos bastidores do programa.

Durante a conferência, DeGeneres explicou que é uma pessoa introvertida que gosta de ter seu próprio espaço, o que pode ter levado os funcionários a acreditar que ela os ignorava.

“Sou uma pessoa com várias camadas e tento ser a melhor pessoa que posso e aprender com meus erros”, disse a apresentadora do programa que avança para a 18.ª temporada em setembro.

Segundo a Variety, as conclusões da investigação aos bastidores do programa foram reveladas na reunião. Segundo um inquérito, em que mais de 100 pessoas foram entrevistas, não foi provado de que haveria discriminação e racismo no set de produção. Contudo, ficou definido que todos os elementos da estrutura, incluindo a própria apresentadora vão participar em workshops de diversidade e inclusão.

A polémica com o programa começou com a denuncia por parte de 30 funcionários do desprezo a que foram sujeitos durante a pandemia e o confinamento instaurado, sem receberem nenhum contacto sobre questões salariais, horas de trabalho e o estado de saúde mental e física durante um mês inteiro.

As acusações estenderam-se depois ao ambiente tóxico vivido no backstage, com denúncias de uma cultura racista (que foi investigada) e, posteriormente, de abuso sexual e de poder por parte dos produtores em questão.

Ellen DeGeneres adiou por alguns dias a estreia da 18.ª temporada do talk-show com o seu nome, para dia 14 de setembro. O programa estreou-se há 17 anos, conta com mais de 2700 episódios no total e já foi premiado com 61 Daytime Emmy Awards.

PARTILHAR

RESPONDER

Marte pode ser demasiado pequeno para ser habitável

Marte pode ser demasiado pequeno para ser habitável. Uma equipa de investigadores sugere que a sua dimensão reduzida não lhe permite reter muita água. Um novo estudo sugere que o pequeno tamanho de Marte pode ser …

"Era como se a morte estivesse num copo." No século XVIII, o gin estava a arruinar a Inglaterra

A bebida alcoólica tornou-se tão popular no Reino Unido que os empresários começaram a utilizar todo o tipo de aditivos para enriquecerem. No século XVIII, o gin tornou-se a maior droga que o homem poderia consumir …

Vacinar animais contra a covid-19? Dezenas de zoos nos EUA estão a avançar com a ideia

Cerca de 70 jardins zoológicos e espaços de conservação nos Estados Unidos estão a administrar a vacina da farmcêutica veterinária Zoetis aos seus animais. Não são só os humanos que estão a ser vacinados contra a …

Lewis Hamilton: "Eu não disse que estava a morrer"

Acidente com Max Verstappen originou dores no campeão; Helmut Marko disse que já era "espectáculo" a mais. Troca de palavras entre os dois candidatos ao título. Como se esperava, o acidente que envolveu Lewis Hamilton e …

Autorretrato de Frida Kahlo deverá ser vendido por um valor recorde de 30 milhões de dólares

A Sotheby’s espera ultrapassar os 30 milhões de dólares (mais de 25 milhões de euros) com o autorretrato da pintora mexicana Frida Kahlo, no qual aparece também o seu marido Diego Rivera. O autorretrato Diego y …

David Luiz: "Um dos dias mais especiais da minha vida" - e ainda se fala sobre Jorge Jesus

Flamengo ficou mais próximo de mais uma final da Libertadores, depois de derrotar o Barcelona de Guayaquil. David Luiz estreou-se. O Flamengo venceu o Barcelona de Guayaquil por 2-0, na primeira "mão" das meias-finais da Copa …

Iémen. Escassez de alimentos empurra 16 milhões de pessoas para a fome, revela ONU

Pelo menos 5 milhões de pessoas no Iémen estão à beira da fome e outros 16 milhões estão "a caminhar para a fome", num país dilacerado pela guerra civil. O Programa Mundial de Alimentos (WFP, na …

Presidente da Tunísia governará por decreto, ignorando partes da constituição

O Presidente da Tunísia, Kais Saied, declarou que governará por decreto e ignorará partes da constituição, enquanto se prepara para mudar o sistema político, gerando críticas imediatas da oposição. Desde 25 de julho, dia em que …

Alemanha deixa de pagar quarentena a trabalhadores não vacinados

A Alemanha vai deixar de indemnizar trabalhadores não vacinados que forem forçados a quarentena devido ao coronavírus, por ser "injusto pedir aos contribuintes que subsidiem aqueles que se recusam a ser vacinados", disse na quarta-feira …

Governo acaba com recomendação do teletrabalho

O Conselho de Ministros decidiu acabar com a recomendação da opção pelo teletrabalho e eliminar a testagem em locais de trabalho com mais de 150 trabalhadores. Estas medidas integram a terceira e última fase do plano …