Produtores de Ellen despedidos depois de acusações de racismo e assédio

Três dos produtores do The Ellen DeGeneres Show foram afastados do projeto. A saída ocorreu durante as investigações da produtora Warner Media aos bastidores, decorrentes das acusações de antigos funcionários de assédio, conduta sexual e intimidação no local de trabalho por membros da equipa.

Os produtores executivos Ed Glavin e Kevin Leman, juntamente com o co-produtor Jonathan Norman, saem depois da reorganização da estrutura, adiantou um porta-voz da Warner Media ao The Hollywood Reporter.

O trio tinha sido suspenso na sequência de acusações de má conduta, assédio e racismo na realização e preparação do programa que foram reveladas pelos sites de noticias BuzzFeed e Variety.

A equipa vai ser reestruturada

O DJ Stephen “tWitch” Boss, residente no talk-show, foi promovido a co-produtor executivo. A novidade foi confirmada ontem pelo próprio através da rede social Twitch. Os veteranos da produção do programa, na equipa desde o inicio – Mary Connelly, Andy Lassner e Derek Westervelt – permanecem no Ellen Show.

A apresentadora revelou a reestruturação da equipa através de uma videochamada com todos os funcionários na plataforma Zoom, onde também pediu desculpa à equipa composta por 200 trabalhadores depois dos depoimentos que chegaram à imprensa sobre o suposto ambiente tóxico que se viveria nos bastidores do programa.

Durante a conferência, DeGeneres explicou que é uma pessoa introvertida que gosta de ter seu próprio espaço, o que pode ter levado os funcionários a acreditar que ela os ignorava.

“Sou uma pessoa com várias camadas e tento ser a melhor pessoa que posso e aprender com meus erros”, disse a apresentadora do programa que avança para a 18.ª temporada em setembro.

Segundo a Variety, as conclusões da investigação aos bastidores do programa foram reveladas na reunião. Segundo um inquérito, em que mais de 100 pessoas foram entrevistas, não foi provado de que haveria discriminação e racismo no set de produção. Contudo, ficou definido que todos os elementos da estrutura, incluindo a própria apresentadora vão participar em workshops de diversidade e inclusão.

A polémica com o programa começou com a denuncia por parte de 30 funcionários do desprezo a que foram sujeitos durante a pandemia e o confinamento instaurado, sem receberem nenhum contacto sobre questões salariais, horas de trabalho e o estado de saúde mental e física durante um mês inteiro.

As acusações estenderam-se depois ao ambiente tóxico vivido no backstage, com denúncias de uma cultura racista (que foi investigada) e, posteriormente, de abuso sexual e de poder por parte dos produtores em questão.

Ellen DeGeneres adiou por alguns dias a estreia da 18.ª temporada do talk-show com o seu nome, para dia 14 de setembro. O programa estreou-se há 17 anos, conta com mais de 2700 episódios no total e já foi premiado com 61 Daytime Emmy Awards.

PARTILHAR

RESPONDER

Descobertos os restos de nove Neandertais numa gruta em Itália

Os restos de nove Neandertais foram descobertos na Gruta de Guattari, em San Felice Circeo, na costa entre Roma e Nápoles, onde já tinham sido encontrados vestígios da presença Neandertal, anunciou este sábado o ministro …

Leis draconianas na Malásia. Fahmi Reza foi detido por insultar a rainha com playlist no Spotify

A sátira desempenha um importante papel na sociedade. Na Malásia, as leis draconianas estão a reacender o debate em torno da liberdade de expressão. Fahmi Reza, um artista gráfico e ativista social malaio, foi detido no …

António Barreto

Portugal vai ter "um problema de cor de pele" (por muitos anos e com conflitos)

O sociólogo António Barreto considera que Portugal vai "ter um problema" de "cor de pele" e "por muitos anos". Uma ideia defendida numa entrevista onde se reporta para "o que se passa em toda a …

Um laboratório vivo. Há residentes "superimunes" à covid-19 numa pequena cidade italiana

A pequena cidade de Vo, no norte de Itália, tornou-se um dos primeiros locais com um surto de covid-19 da Europa em fevereiro de 2020. Agora, os cientistas descobriram que a cidade abriga um número …

Portugal com duas mortes e 406 novos casos nas últimas 24 horas

Portugal registou hoje duas mortes atribuídas à covid-19, 406 novos casos de infeção pelo coronavírus e nova descida no número de internamentos em enfermaria e em cuidados intensivos, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo …

Portugal "tem nível de rendimentos baixíssimo". Muitos municípios que perdem população desde o final II Guerra

Portugal tem municípios que perdem população desde o final da II Guerra Mundial e dificilmente fenómenos como o teletrabalho irão alterar esta paisagem, na opinião do geógrafo Álvaro Domingues, da Universidade do Porto. Em entrevista à …

Gestora em teletrabalho esqueceu-se da filha no carro. Bebé encontrada sem vida sete horas depois

Maria Pilar, uma bebé de dois anos, morreu esta sexta-feira, depois de ter ficado esquecida dentro do carro durante cerca de sete horas. A menina de dois anos esteve cerca de sete horas dentro do carro, …

Costa, Von der Leyen na Cimeira Social no Porto

Cimeira Social cheia de boas intenções deixa factura de um milhão de euros (e "erro" na comida da PSP)

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia comprometeram-se, na Cimeira Social do Porto, a "trabalhar em prol de uma Europa social". Mas o evento deixa uma polémica com as refeições distribuídas aos …

Alfredo Casimiro contrata Banco Nomura para vender 50,1% da Groundforce

O principal acionista da Groundforce anunciou este sábado, em comunicado, ter contratado o banco Nomura para assessorar a venda da participação de 50,1% da Pasogal na empresa de handling Groundforce, e pediu "especial atenção" ao …

Transferência para o Wolves. Diogo Jota recorda palavras de Jorge Mendes: "Vês como eu tinha razão?"

Diogo Jota, atual avançado do Liverpool, recuou no tempo e enfatizou a importância de Jorge Mendes na progressão da sua carreira. O avançado internacional português, que se transferiu esta temporada para o Liverpool, trocou o Atlético …