Corais profundos e espécies nunca vistas. Primeira expedição remota desvenda segredos sobre o mar da Austrália

Cientistas que trabalham remotamente com o Schmidt Ocean Institute, uma das únicas expedições científicas no mar a continua a operar durante a pandemia, concluíram a primeira expedição nas águas profundas do Mar de Coral.

A equipa científica da Austrália descobriu os corais duros mais profundos nas águas do leste da Austrália, avistou peixes em regiões onde nunca tinham sido encontrados e identificou até 10 novas espécies marinhas de peixes, caracóis e esponjas.

O navio da investigação do Schmidt Ocean Institute, Falkor – o único navio de investigação filantrópica do mundo todo – passou os últimos 46 dias numa das maiores áreas protegidas do mundo, o Coral Sea Marine Park.

A equipa de cientistas ligou-se remotamente ao navio a partir das suas casas, colhendo mapas do fundo do mar de alta resolução e imagens de vídeo do oceano até 1.600 metros de profundidade.

Liderada por Robin Beaman, da James Cook University, a expedição permitiu que a equipa desenvolvesse uma melhor compreensão sobre as mudanças físicas e a longo prazo que ocorreram nos recifes profundos. Isto marcou a primeira vez que a região foi visualizada, usando um robô subaquático que transmitiu vídeo 4K em tempo real.

O esforço de mapeamento iluminou um complexo marinho de 30 grandes atóis e bancos de coral, revelando desfiladeiros submarinos, campos de dunas, recifes submersos e deslizamentos de terra. Foram mapeados mais de 35.500 quilómetros quadrados – uma área maior do que a metade da Tasmânia, transformando o planalto de Queensland, um dos locais menos mapeados, numa das áreas de fronteira mais bem mapeadas da propriedade marinha da Austrália.

Os mapas criados estarão disponíveis no AusSeabed, um programa nacional de mapeamento do fundo do mar da Austrália e contribuirão para o Projeto GEBCO Seabed 2030 da Nippon Foundation GEBCO. Apenas as partes mais rasas desses recifes tinham sido mapeadas anteriormente e, até agora, não existiam dados detalhados de mapeamento das áreas mais profundas.

“Esta expedição forneceu-nos uma janela única para o passado geológico e as condições atuais, permitindo que cientistas e gerentes do parque possam ver e contar a história completa dos ambientes interconectados”, disse Beaman, em comunicado divulgado pelo EurekAlert. “Essa visão é inestimável para a ciência, administração e educação”.

Mais de 91 horas de investigação em vídeo de alta resolução foram colhidas pelo robô subaquático da Falkor, SuBastian, não mostrando evidências de branqueamento de corais abaixo de 80 metros.

“Sabemos que as contrapartes de corais mais rasas estão atualmente a realizar o seu terceiro evento de branqueamento em massa em cinco anos, por isso é uma perceção inestimável para cientistas e gerentes saber a que profundidade esse branqueamento se estende”, disse Jyotika Virmani, diretora executiva do Schmidt Ocean Institute. “É importante notar, no entanto, que os corais descobertos são especializados nesses habitats profundos e não são encontrados em águas rasas. Essa expedição foi a primeira vez que essas espécies foram registadas em abundância tão alta no mar de corais”.

Os 14 mergulhos históricos em alto mar concluídos com o SuBastian ajudaram a entender melhor as preferências de profundidade e habitat da comunidade de recifes do Mar de Coral. Todos os dados colhidos foram partilhados publicamente através de mais de 74 horas de investigação em vídeo e destaques disponíveis no canal e no site do Schmidt Ocean Institute no YouTube.

Os mergulhos transmitidos ao vivo criaram uma plataforma online, atraindo espectadores de todo o mundo para testemunhar espécies únicas, como tubarões de águas profundas e Nautilus pompilius– um primo distante de lulas que usa propulsão a jato para se mover.

“As imagens provenientes dos nossos mergulhos são impressionantes”, disse Virmani. “A robusta tecnologia de telepresença do Falkor permitiu que cientistas de todo o mundo colaborassem em algumas destas descobertas. Os dados avançarão bastante na caracterização do imenso e ecológico património marítimo da Austrália”.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Tempestade de areia "engoliu" cidade na China

Uma forte tempestade de areia "engoliu" a cidade de Dunhuang, no noroeste da China, no passado domingo. De acordo com o South China Morning Post, a forte tempestade de areia, que provocou nuvens de poeira com …

Raíssa faz bolachas com o lema "Fora Bolsonaro". Já se tornaram virais

Uma brasileira começou a fazer bolachas com o lema "Fora Bolsonaro" em jeito de brincadeira, mas agora já vende centenas todos os dias. Aquilo que começou como uma simples brincadeira, acabou por tornar-se viral. A ideia …

Zara, 19 anos, quer ser a mulher mais nova de sempre a voar sozinha à volta do mundo

Uma jovem, de 19 anos, pôs mãos à obra para levar a cabo um "gap year" (o chamado ano sabático) com um propósito muito fora do comum: tornar-se a mulher mais nova de sempre a …

Francês diz ter usado método matemático para ganhar o Euromilhões

O francês, que não quis revelar a sua fórmula à imprensa, ganhou, no dia 11 de junho, 30 milhões de euros com a combinação com a qual jogava há um mês. A história foi contada, esta …

Mais de metade da população portuguesa já tem a vacinação completa

Mais de metade da população residente em Portugal (52%) já tem a vacinação completa contra a covid-19, revela o relatório semanal de vacinação divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último relatório semanal …

Campeão olímpico criou problemas no seu país natal

Richard Carapaz, medalha de ouro no ciclismo, foi direto: "O país nunca acreditou em mim". Presidente do Equador, ministro e Comité Olímpico reagiram. Poucos dias depois de ter subido ao pódio final da Volta a França …

Jovens preocupados com fertilidade e efeitos secundários das vacinas contra a covid-19

Com o avanço das campanhas de vacinação, um grande número de pessoas das faixas etárias baixo dos 30 anos mostra-se relutante em tomar a vacina contra a covid-19. Os jovens falam de preocupações com fertilidade …

Dois gestos de Cla(ri)sse que ficam para a memória olímpica

Clarisse Agbégnénou foi campeã olímpica no judo, pela primeira vez - mas a atitude que demonstrou, mal venceu a final, ficará também nos registos. Campeã mundial cinco vezes, mais duas medalhas de prata. Cinco medalhas em …

Sindicatos avançam com ações legais para travar despedimento coletivo na TAP

Os sindicatos que representam os trabalhadores da TAP vão avançar com ações legais para travar o despedimento coletivo que a empresa iniciou na segunda-feira, que abrange 124 profissionais. "Até agora houve conversa, a partir de agora …

Ginastas alemãs usam fato integral para combater sexualização da modalidade

Ao contrário do que acontece com os ginastas masculinos, que podem optar por calções ou calças, as mulheres competem, desde o início da modalidade, de bodies que expõem grande parte do seu corpo. Quando, no último …