Portugueses premiados por investigação para cura funcional do VIH

simcsea / Flickr

-

Cientistas portugueses estão a desenvolver estratégias de luta contra a infeção por VIH para impedir a entrada do vírus nas células não afetadas e evitar que as já infetadas produzam novos vírus, uma investigação premiada a nível europeu.

“O que propomos no nosso trabalho são duas estratégias novas e complementares, dirigidas para o que se chama a cura funcional da infeção pelo VIH”, relatou hoje à agência Lusa Pedro Borrego, investigador do Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz.

A investigação integra-se nos trabalhos de desenvolvimento de novas soluções e estratégias para a cura de infecções virais crónicas, nomeadamente VIH, hepatite B e hepatite C.

Foi o trabalho escolhido para ganhar 100 mil euros por um painel de cientistas internacionais que integram o programa Partnering for Cure, uma iniciativa pioneira na Europa apoiada pela Bristol-Myers Squibb.

A distinção é divulgada a dois dias do Dia Mundial de Luta Contra a SIDA, assinalado na segunda-feira.

As estratégias propostas são baseadas em terapia genética, ou seja, “o agente terapêutico que vai desenvolver a atividade terapêutica é material genético, genes ou frações de genes”, e esta atividade será dirigida para dois alvos de ação complementares, explicou Pedro Borrego.

O investigador avançou que um dos alvos “vai atuar na entrada do vírus em células novas, que não estão infetadas, impedindo essa entrada, e outro [será] dirigido para a latência do vírus, em células que já estão infetadas”.

Para prevenir a entrada do vírus em novas áreas será utilizada uma pequena proteína que vai ligar-se às partículas virais no exterior da célula, impedindo que ele se ligue e infete uma nova célula.

“Complementarmente, vamos atuar também nas células que já estão infetadas, através de um sistema novo de edição genómica, vamos provocar alterações no genoma pró viral do vírus que existe na célula infetada e, ao provocar essas alterações, vamos tornar a expressão do vírus defectiva, isto é, vamos impedir a correta expressão do vírus na célula já infetada e impedir que produza novos vírus infecciosos”, especificou o cientista.

A principal importância apontada nesta abordagem relaciona-se com o facto de, na infeção pelo VIH, haver estabelecimento de reservatórios virais, em diferentes tipos de células ou locais anatómicos, como tecido linfático, onde o vírus continua a replicar-se, de uma forma estável e persistente ao longo do tempo, mesmo na presença de terapêutica anti-retroviral e de respostas do sistema imunitário.

O trabalho proposto é um estudo pré-clínico, o que quer dizer que vai ser desenvolvido e estudado in vitro e não integra teste e aplicação das estratégias em ensaios em animais, o que será realizado somente numa fase posterior.

Na solução proposta, “vamos dar elementos para a própria célula produzir estes agentes terapêuticos, os quais depois vão atuar nas duas fases distintas do ciclo de replicação viral”, resumiu Pedro Borrego.

“Estamos honrados e entusiasmados por receber o prémio de investigação Partnering For Cure”, que vai facilitar o desenvolvimento do trabalho, salientou.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Se diplomacia falhar, China admite uso de força militar para controlar Taiwan

A China vai atacar Taiwan se não houver outra maneira de impedir que este Estado se torne independente, disse Li Zuocheng, um dos mais importantes generais do país, esta sexta-feira. Esta será uma opção de …

Encontrada canábis e incenso em templo bíblico de Israel. Foram usados em ritos religiosos antigos

A análise do material em dois altares da Idade do Ferro descobertos na entrada do santuário "santo dos santos" em Tel Arad, no vale de Beer-sheba, Israel, contém canábis e incenso. Escavações anteriores revelaram duas fortalezas …

Funerárias de Nova Iorque processadas por guardarem cadáveres em camiões

Devido ao elevado número de mortes causadas pela covid-19, as agências Andrew T. Cleckley, DeKalb e Armistead Burial armazenavam os corpos nos camiões frigoríficos até ser possível realizar os funerais. Três processos foram movidos por, pelo …

"Never again". Estudantes nos EUA vão aprender mais sobre o Holocausto

Estudantes norte-americanos vão passar a aprender mais coisas sobre o Holocausto, numa altura em que os Estados Unidos enfrentam níveis cada vez mais altos de antissemitismo. De acordo com a revista Newsweek, o Presidente norte-americano, Donald …

Polónia vai ser o primeiro país a voltar a ter adeptos nas bancadas

A Polónia vai ser o primeiro país a voltar a ter adeptos nas bancadas. Os estádios vão poder ter 25% da sua capacidade preenchida, anunciou o primeiro-ministro. De acordo com o jornal online Observador, a liga …

Recondicionados e "banhados a ouro". Irmão de Pablo Escobar vai vender iPhones 11 a 540 euros

A empresa de Robert Escobar, irmão do narcotraficante Pablo Escobar, está a vender iPhones 11 Pro recondicionados por 499 dólares (450 euros). Numa comunicação citada pelo portal Engadget, a Escobar Inc revela que está a vender …

É um polvo, chama-se Dumbo e mora a sete mil metros de profundidade (um novo recorde)

Um polvo foi fotografado no leito do Oceano Índico, a sete mil metros de profundidade. É um novo recorde. A descoberta de um polvo a 7 mil metros de profundidade, 6.957 metros mais especificamente, foi relatada …

Quem andar de montanha russa no Japão não pode gritar (nem bater palmas)

A Associação de Parques Temáticos do Leste e Oeste do Japão divulgou um novo guia de recomendações, numa altura em que o país começa a reabrir face à redução do número de novos casos de …

Jackson Martínez admite terminar carreira no final da época

O futebolista colombiano admitiu, numa entrevista a uma rádio colombiana, que está a pensar pôr um ponto final na carreira no final desta temporada. "Não descarto retirar-me, mas por agora estou focado em terminar a época. …

Na Rússia, os médicos na linha da frente não são aplaudidos das janelas. Enfrentam desconfiança e hostilidade

Em muitos países, os profissionais de saúde na linha da frente do combate ao novo coronavírus são apreciados e até aplaudidos das janelas. No entanto, na Rússia, a história é diferente. De acordo com a …