Portugal alargou a escolaridade obrigatória para 6 anos há meio século

Wilson Dias / ABr

-

Portugal aprovou há 50 anos o alargamento da escolaridade obrigatória para seis anos, mas no acesso ao liceu continuou a ser privilegiada a elite que seguiria para o Ensino Superior e, no campo, vingava ainda o trabalho infantil.

Na data em que se assinala meio século sobre a passagem da escolaridade obrigatória de quatro para seis anos, a investigadora Maria Cândida Proença recordou à Lusa as contradições de um regime forçado a responder a uma “pressão social sobre a escola” e mais preocupado com a “imagem para o exterior” do que com a escolarização da população.

“Os níveis de analfabetismo eram muito elevados ainda. Nos rapazes andava perto dos 27% e nas raparigas dos 40%”, afirmou a especialista em História da Educação.

Por decreto de 9 de julho de 1964, fixaram-se seis anos para a escolaridade obrigatória, mas esta podia ser cumprida através de várias modalidades, nomeadamente o ensino técnico. Só mais tarde seria criado o ciclo preparatório unificado, igual para todas as crianças.

Com o período de crescimento que se seguiu à II Guerra Mundial e que em Portugal se sentiu mais no final dos anos 50 – início da década de 60, verificou-se “uma grande pressão” sobre a escola, notou a investigadora.

O aumento da escolaridade por parte do regime terá sido “para dar uma resposta mais por pressão social do que propriamente porque fosse muito a vontade deles”, defendeu.

“Além disso, também porque internacionalmente estávamos mal vistos, uma vez que todos os países estavam a aumentar a escolaridade e nós ainda estávamos nos quatros anos”, indicou.

Primeiro os rapazes

No Estado Novo, só era obrigatória a 3ª classe. Em 1956, tornaram-se obrigatórios os quatro anos de escolaridade apenas para os rapazes e só depois para as raparigas, em 1960, assinalou a investigadora do Instituto de História Contemporânea.

A partir do início da década de 60, a procura pelo ensino cresceu de uma forma que levou à instalação de pavilhões pré-fabricados nas escolas.

Surgem inovações, como a criação do Ciclo Preparatório unificado, legislado em 1967. Até então, os seis anos de escolaridade podiam cumprir-se por vários modos: ou pela 5ª e 6ª classe do ensino primário, ou pelo ensino técnico ou ainda através da telescola.

Com a criação do ciclo unificado começa a chegar uma maior democraticidade ao ensino: “vem realmente acabar com aquela separação que se verificava na 4ª classe, logo aos 10 anos, entre os alunos que iam para o ensino técnico e os que iam para o liceu, sendo que dificultavam sempre mais a entrada para o liceu, que estava mais reservado para uma elite que seguiria depois para o ensino superior e o ensino técnico estava mais vocacionado para os operários”.

Vida nas cidades incentiva estudos

A população do interior continuava “a considerar prejudicial” ter de enviar as crianças para a escola durante seis anos, porque persistia a ideia de que “não servia para nada e precisavam era de trabalhar e ganhar a vida” relata a investigadora, recordando que não foi fácil consolidar a nova escolaridade obrigatória. “Punham as crianças a trabalhar muito cedo”.

A vaga de migração para as cidades acabou por ser determinante, assume Maria Cândida Proença: “Abriram-se as mentalidades e as pessoas começaram a perceber que para conseguir um emprego precisavam de mais alguma habilitação”.

A televisão e a emigração também deram uma ajuda, uma vez que os portugueses começaram “a ver que existiam vidas diferentes das suas, que havia outras coisas”.

Começavam a surgir novos métodos de ensino também, mas o regime não mudava. “Há alguma vontade de inovar, mas os programas não mudavam. Há uma série de contradições, num país aferrolhado, controlado, ideologicamente”, observou a investigadora, sustentando: “Havia censura, os programas de História não mudavam, continuava a mesma história nacionalista, continuávamos a ter guerra em África e a ser profundamente colonialistas e a transmitir esse ideário”.

Passados 50 anos, o ensino em Portugal é obrigatório até aos 18 anos ou ao 12º de escolaridade, embora tenha regressado a vertente do ensino vocacional ou profissional, que divide opiniões entre os especialistas sobre a idade em que os alunos devem ou não ser encaminhados para essa via, a par do debate sobre a igualdade de oportunidades.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Dois satélites "reformados" podem estar prestes a colidir na órbita da Terra

Dois satélites desativados passarão muito próximos um do outro em 29 de janeiro e, de acordo com a empresa de rastreamento de satélites LeoLabs Inc, há uma probabilidade de 1 em 100 de colidirem. Embora a …

FC Porto 2-1 Gil Vicente | “Dragão” afasta crise com reviravolta

O FC Porto voltou a sorrir. Após dois desaires – ambos diante do Braga – nos últimos três jogos, os “azuis-e-brancos” regressaram aos triunfos e derrotaram o Gil Vicente por 2-1 esta terça-feira, num embate …

Aeroporto de Southampton tem uma equipa canina para acalmar os passageiros

O Aeroporto de Southampton, no Reino Unido, tem uma equipa canina para acalmar os nervos dos passageiros que não gostam muito de andar de avião. Se alguma vez aterrar em Southampton, no Reino Unido, não se admire …

"Padres-robôs" dão bênçãos, fazem casamentos e até funerais

A Inteligência Artificial está a pavimentar o seu caminho em várias religiões espalhadas pelo mundo. "Padres-robôs" são capazes de dar bênçãos, fazer casamentos e até funerais. Há um novo padre em Kodaiji, um templo budista com …

Livro sugeria que o 11 de setembro tinha sido "orquestrado pela CIA". Editora obrigada a corrigir

A editora francesa Ellipses Publications teve que corrigir um livro de História no qual era sugerido que os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, nos Estados Unidos (EUA), foram "orquestrados pela CIA". Segundo noticiou …

Paulo Coelho vai destruir rascunho de livro infantil escrito com Kobe Bryant

O escritor brasileiro Paulo Coelho anunciou hoje que pretende apagar o rascunho de um livro infantil que se encontrava a escrever em conjunto com o antigo basquetebolista norte-americano Kobe Bryant, que morreu no domingo num …

Encontrado famoso navio que desapareceu misteriosamente no Triângulo das Bermudas há 95 anos

Os destroços de um navio que desapareceu misteriosamente no Triângulo das Bermudas há 95 anos foram descobertos na costa da Florida, nos Estados Unidos. O SS Cotopaxi - um navio mercante norte-americano - deixou Charleston, na …

Ana Gomes diz que diretiva europeia sobre branqueamento de capitais é aplicável a Rui Pinto

A ex-eurodeputada socialista Ana Gomes disse hoje em Lisboa que pode aplicar-se ao ‘hacker’ Rui Pinto a diretiva europeia sobre branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo, sem esperar pela transposição de legislação sobre o …

"Há grandes chances de Jesus sair em maio para o FC Porto", diz Carlos Alberto

Carlos Alberto, atual comentador desportivo e antigo jogador do FC Porto, acredita que os 'dragões' vão avançar para a contratação de Jorge Jesus, em maio. Recentemente, a ideia de Jorge Jesus no FC Porto tem ganho …

Raras lesmas cor-de-rosa fluorescente sobreviveram aos incêndios na Austrália

Uma rara espécie de lesma cor-de-rosa fluorescente (Triboniophorus aff. graeffei) conseguiu sobreviver aos incêndios que assolaram a Austrália no início de janeiro e que deixaram milhões de animais mortos e outros tantos sem abrigo. Tratam-se …