Portimonense, o samba de dois países só (ou quase)

2

Ricardo Nascimento / Lusa

Aylton (Portimonense) em ação com Lucas Tagliapietra e Carraça (Boavista)

O plantel ainda não está fechado mas, para já, o plantel de Portimão volta a destacar-se por causa do sotaque de terras de Vera Cruz. Os “grandes” dão outro exemplo – para já.

O Portimonense confirmou nesta quarta-feira a contratação de Lucas Tagliapietra. Um defesa que representava o Boavista e que é brasileiro. Todos os reforços anunciados neste verão, para o plantel principal do Portimonense, são brasileiros.

Este contingente veio reforçar o “samba” que se dança em Portimão: no dia da elaboração deste artigo, e segundo os dados do portal zerozero, há 22 futebolistas brasileiros sob o comando do treinador Paulo Sérgio – dava para compor duas equipas completas só com brasileiros.

No leque restrito de nacionalidades presentes no plantel algarvio, segue-se Portugal, com 10 futebolistas. Não é o samba de uma nota só do Newton Mendonça mas é quase o samba de dois países só. Quase porque há ainda dois jogadores provenientes do Japão e um do Gana.

Assim só há quatro países (para já) representados no Portimonense – neste aspeto este plantel é uma exceção, já que não há uma “sociedade das nações” em Portimão.

Deve-se realçar que, até ao fecho da janela de mercado de transferências, estes números vão ser certamente alterados. Primeiro, porque aparentemente Paulo Sérgio quer mais reforços e, segundo, porque deverão sair vários jogadores, para “emagrecer” o plantel que, afinal, vai jogar na I Liga apesar de ter descido de divisão nos relvados.

Portimão já dança samba há alguns anos

Este domínio da bandeira verde e amarela na constituição do plantel do Portimonense não é uma novidade: na época passada 19 futebolistas brasileiros estiveram ligados ao clube. E há duas temporadas, juntando jogadores que ficaram no Algarve com os que acabaram por sair, o total subiu para 26 brasileiros. Na verdade, a última época em que não houve uma maioria de atletas brasileiros (e com margem considerável para os portugueses) nos quadros do Portimonense foi em 2013/14.

Nestes últimos anos o reforço da participação brasileira no Portimonense está associado a alguns nomes na direção: o brasileiro Theodoro Fonseca, acionista maioritário do Portimonense, o compatriota Rodiney Sampaio, presidente da SAD, e o diretor geral Robson Ponte, antigo futebolista brasileiro.

Belenenses defende o jogador luso, Tondela longe dos brasileiros

Portugal e Brasil dominam na composição atual das 18 equipas da I Liga. Não é um dado novo, em relação às duas últimas décadas.

A seguir ao Portimonense destaca-se o Gil Vicente, no que diz respeito à presença de futebolistas brasileiros: 12 jogadores. Longe do Brasil está o Tondela, que conta com somente um jogador do país irmão.

Em relação ao número de atletas portugueses, um plantel fica bem distante dos outros: o do Belenenses SAD, que tem 23 lusos. As equipas de topo, embora longe destes números, também estão entre as que contam com mais portugueses: 16 no Sporting de Braga, 14 no FC Porto e no Benfica e 13 no Sporting.

  NMT, ZAP //

2 Comments

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.