A ciência confirma: as plantas também sentem dor

UW-Madison Campus Connection / Simon Gilroy

A ideia-chave deste novo estudo é que há uma semelhança entre a reação das plantas quando sentem “dor” e o sistema nervoso dos animais.

Quando uma planta é picada por uma lagarta ou um inseto, reage ao dano da mesma forma que um animal, utilizando as mesmas moléculas, mesmo sabendo que as plantas não têm um sistema nervoso. Essa reação tem a função de ativar um sistema de “defesa”, propagando e partilhando a “dor” com outras plantas.

Estas conclusões são o resultado do trabalho de um grupo de botânicos, microbiologistas e bioquímicos norte-americanos que estudaram as reações da Arabidopsis thaliana, uma pequena planta crucífera nativa da Eurásia e do norte de África. Os resultados foram publicados, esta semana, na revista Science.

A semelhança entre a reação das plantas e o sistema nervoso dos animais é a ideia-chave desta investigação, de acordo com um resumo do estudo escrito por duas biólogas da Universidade de Wake Forest, na Carolina do Norte. “As plantas são estacionárias e não podem escapar dos herbívoros, por isso respondem com defesas químicas para detê-los e reparar tecidos danificados”, dizem as autoras.

Com este fim, as plantas chegam a uma forma de comunicação através de iões de cálcio, o que lhes permite enviar sinais a longa distância. Isso também implica a necessidade de alguns canais receptores, que são ativados pelo glutamato extracelular, um neurotransmissor conhecido em mamíferos.

Um dos participantes do estudo, o botânico Simon Gilroy, explicou a importância destas descobertas no da Universidade de Wisconsin-Madison, onde trabalha. “Sabemos que existe um sistema de sinal sistémico e que, se atingirmos a planta num certo sítio, o resto desencadeia as suas respostas defensivas”, disse. “Porém, não sabíamos o que estava por trás desse sistema”.

Os vídeos gravados pelos cientistas permitem perceber que a carga elétrica, na forma de ondas de luz transmitidas pelos iões de cálcio, se propaga desde o foco do dano para o resto da planta a uma velocidade de um milímetro por segundo.

É muito mais lento do que as reações nervosas dos animais, cujos nervos transmitem o sinal da dor até 120 metros por segundo, contudo, admitem os cientistas, o organismo da planta cumpre a mesma função.

A equipa utilizou proteínas fluorescentes para poder observar os sinais à medida que se espalhavam pelas plantas em resposta ao stress. À medida que a onda se propaga, o nível de hormonas defensivas na região afetada aumenta, segundo os investigadores, que admitem que este sistema de defesa pode variar entre as diferentes espécies.

ZAP // RT

PARTILHAR

24 COMENTÁRIOS

  1. O que vão fazer os Vegetarianos agora? Morrer à fome ? Certamente daqui para a frente iremos vamos ver manifestações do PAN contra o corte da relva, poda de árvores, corte de eucaliptos e outras atrocidades cometidas contra as plantas.

    • Só não se incomodam com as pessoas de crianças a velhinhos que durante as noites sobretudo de verão necessitam de descanso e são incomodados pelo ladrar de cães vadios ou simplesmente vítimas estes também da má formação dos seus donos que os põem na rua durante a noite a vadiar não se importando saber do bem estar dos outros, isto acontece por muito local neste país.

    • Não comer carne continua a ser a solução, uma vez que a maior parte da agricultura hoje em dia é utilizada para alimentar a carne que comemos.
      Com o maior respeito, quero apenas deixar aqui alguns links que podem informar quem pretenda ser informado a respeito da produção de carne, impacto ambiental, etc., visto que este tipo de assuntos normalmente não são discutidos a preceito e se resumem a “bitaites” deixados nas redes.
      http://www.cowspiracy.com/facts/
      https://www.publico.pt/2018/08/22/politica/noticia/a-luta-pelo-ambiente-e-a-luta-pela-cidadania-1841660

      • O foco era colocado no sofrimento e na morte dos animais, todos sabíamos que as plantas eram seres vivos. Porquê matar e comer uns e não os outros ? Agora é porque a agricultura é feita para alimentar os animais .. claro que é os animais têm de ser alimentados. Vamos então matar todos os animais para não termos de os alimentar ? Tal como na religião o fundamentalismo seja de que tipo for não trás nada de bom a qualquer sociedade, o que estamos a assistir é cada vez mais este tipo de “fanatismos” onde “à força” nos querem fazer ser como eles. Mais uma vez, como na religião deve existir liberdade de escolha, cada um que seja como quer. Raramente vi uma pessoa que come carne ser fundamentalista ou mesmo violento com alguém vegetariano, mas o contrário e apesar de estes serem muito menos em numero acontece frequentemente.

        • Penso que não coloquei bem o meu argumento. Seria o seguinte: Ao deixar de se comer carne, reduz-se o sofrimento animal, e também, uma vez que há menos animais para alimentar (visto que os animais são criados com o único propósito de fornecer alimento ou servir de alimento), menos sofrimento das plantas, ( admitindo que as plantas sentem dor ) e assim podemos focar-nos em alimentar a nossa espécie com menos sofrimento no geral.
          Não penso que haja contudo um movimento que force ao vegetarianismo/veganismo, pelo menos nunca assisti a nenhum ato semelhante, pelo contrário, existe uma pressão social para se aceitar a norma de comer carne, a qual é dificílima de corromper. Há sim um movimento que consciencializa as pessoas para o lado B do consumo de carne e que lhes oferece uma escolha informada e ponderada.

          • Um comentário educado e com argumentos, ao contrário de outros idiotas que por aqui andam e que mais que trocar argumentos ofendem , parece ser uma pessoa sensata. Os meus parabéns por isso. Não sou vegetariano, como carne qb. Respeito quem tem outras ideias e outras opções, desde que cada um seja livre de tomar as suas opções, cada pessoa é livre de se alimentar como for. Passar informação sobre métodos alternativos de consumo também é importante e as pessoas depois de informadas que optem pelo que quiserem. O que sou é frontalmente contra este fundamentalismo que parece existir cada vez mais na sociedade. Não parece ser o seu caso. Muitas felicidades. O respeito e a educação responde-se com respeito e educação, seja aqui seja na vida real .

    • Cada um lê o que gosta. O título coloca-se de certa for a para atrair pessoas com a cabecinha pré-formatada. Apesar de dor aparecer de seguida entre aspas o julgamento já está formado e Renato Martins não hesita em publicar disparates. Parabéns a si e ao seu neurónio.

      • Há sempre um idiota fundamentalista, com a mania de esperto, geralmente burros como uma porta ( pois são esses que gostam de ofender a inteligência dos outros ), quem não segue esta gente, que apesar de uma minoria querem mandar em tudo, são ofendidos. Para esta gente a democracia não existe apenas têm um ponto de vista : o seu e esse é o correcto. São pessoas que não respeitam nada nem ninguém, escondem-se atrás das minorias, mas no fundo são fundamentalistas e ditadores .

  2. Em nenhum lado desse estudo fala de que as plantas sentem dor. Isso é simplesmente sensacionalismo da vossa parte. As plantas transmitem sinais de defesa é certo. Mas daí até sentirem dor vai uma diferença. Ninguém provou isso.

    • Caro Tiago,
      Obrigado pelo seu reparo. Dizer que o mecanismo de defesa que os animais e humanos usam, a que nos habituamos a chamar “dor”, é também então sensacionalismo.

      • Afirmações cínicas da vossa parte não vos cai bem.

        Mas respondendo: óbvio que o que sentimos é dor. E não, não será sensacionalismo da vossa parte se o disserem. O que está aqui em causa foi a maneira como vocês interpretaram esse estudo. Eu fui ler o link do estudo e não falam em dor, falam sim em sinais de aviso. Nos animais esses sinais de aviso são de facto sentidos com dor. Nas plantas nada desse estudo nos diz que é assim. Para além do mais seria completamente ilógico que assim fôsse. As plantas não se conseguem mover ao contrário dos animais. Para elas seria uma vida de dor constante se tivessem um sistema nervoso igual ao nosso.

        • Caro Tiago,
          Poderíamos aqui travar uma salutar discussão sobre o que é a dor mais do que a manifestação de um sinal de aviso – de que apenas os animais são capazes. Mas como parece entender que a nossa discordância é uma questão de cinismo, vamos ficar por aqui.

          • Sem argumentos e ainda por cima a vitimizarem-se. Qualquer pessoa que leia o vosso comentário vai perceber o cinismo directo. Ou acham que não e a vossa afirmação foi completamente inocente?

        • Tiago,

          Mas tu sabes o que é a dor? Explica o que é a dor sff.
          Aproveita e descreve o que é um sistema nervoso.

          “Mas daí até sentirem dor vai uma diferença” Por favor indica qual é a diferença então.

          Comentário vazio, em que criticas algo, só porque as conclusões não são coerentes com a tua visão do mundo.

          Os animais também não sente dor, porque não são pessoas. Logo não pode sentir dor igual à nossa. Apenas são sinais eléctricos que os informam que possivelmente estão em perigo. “Mas daí até à dor humana vai uma grande diferença”. Como vês esse argumento vazio também pode ser aplicado noutras circunstâncias.

      • Engraçado este comentário. Gostava que aprofundassem. É muito comum da vossa parte usar este tipo de títulos que exageram ou não reflectem com rigor o conteúdo da notícia. Não são os únicos a fazê-lo, é certo, mas fazem-no frequentemente e sobre variados temas.

RESPONDER

Com o desaire no Dragão, Benfica tem os olhos postos na reconquista

O FC Porto saiu derrotado do jogo com o Braga e, no mesmo dia, o Benfica cumpriu o seu papel e venceu o Sporting no dérbi lisboeta. As águias encontram-se isoladas no topo da tabela …

"Fez a Amadora e uma parte de Luanda". Amigo de Salgado nega "qualquer perdão de dívida" do Montepio

O construtor civil José Guilherme, que está no centro das investigações ao Banco Montepio, assegura que não recebeu qualquer empréstimo sem garantias, nem "qualquer perdão da dívida", garantindo ainda que sempre cumpriu todas as suas …

Entre Rui Rio e Luís Montenegro, há quem vote no regresso de Passos Coelho

O presidente do PSD, Rui Rio, e o antigo líder parlamentar Luís Montenegro voltam hoje a disputar eleições directas, numa inédita segunda volta em que podem votar 40.604 militantes com as quotas em dia. Nos …

Vírus detetado na China pode já ter infetado mais de mil pessoas

O número de pessoas infetadas com um vírus que matou duas pessoas na China ultrapassa provavelmente o milhar de casos e é muito superior àquele avançado pelas autoridades locais, segundo investigadores britânicos. Num artigo publicado, esta …

Joacine Katar Moreira não vai renunciar ao cargo de deputada

O IX Congresso para eleger os novos órgãos do Livre começa, este sábado, em Lisboa. A única deputada do partido na Assembleia da República já disse que não vai renunciar ao cargo. À chegada ao IX …

Cabeceamentos no futebol podem ser proibidos ou limitados. O problema é o risco de demência

A Federação escocesa de futebol prepara-se para proibir os cabeceamentos nos escalões com menores de 12 anos.  Em Inglaterra, fala-se em limitar este gesto futebolístico que foi associado a doenças neuro-degenerativas em vários estudos científicos. …

Fenómeno cerebral desvenda enigma sobre as casas do Neolítico

O comportamento humano está influenciado por aspetos inconscientes. Um deles é um fenómeno da perceção conhecido entre psicólogos como a negligência espacial cerebral. Este fenómeno refere-se à observação de que as pessoas saudáveis preferem o seu …

Justiça do Mónaco investiga José Eduardo dos Santos e Isabel dos Santos

As autoridades do Mónaco estarão a investigar a empresária angolana, assim como o seu pai e o seu marido, pelo crime de branqueamento de capitais. De acordo com o semanário Expresso, as autoridades judiciais do Mónaco …

Depressão Glória atinge Portugal continental com vento forte

A depressão Glória está a caminho. Segundo o Instituto Português do Mar e Atmosfera, no domingo, esperam-se rajadas de vento que podem atingir os 110 quilómetros por hora nas terras altas. A depressão Glória vai passar …

Governo não renova PPP do Hospital de Loures

O Estado não vai renovar a atual parceria público-privada (PPP) do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, que é gerido pelo grupo Luz Saúde, anunciou a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo …