Cientistas desvendam novas pistas sobre o maior macaco que já existiu

(dr) Wei Wang

Os fósseis do Gigantopithecus blacki são difíceis de encontrar, consistindo sobretudo em dentes e mandíbulas parciais

O mítico “Bigfoot” é uma criatura lendária mas, durante milhões de anos, o verdadeiro — um símio com o dobro do tamanho de um ser humano adulto — percorreu as florestas do Sudeste Asiático, antes de se extinguir há centenas de milhares de anos.

Segundo o Live Science, o Gigantopithecus blacki tinha cerca de três metros e pesava até 270 quilos. Mas, por mais robusto que tenha sido em vida, os fósseis deste primata são poucos e difíceis de encontrar — dentes e quatro mandíbulas parciais —, deixando muitas perguntas sobre a linhagem e aparência evolutiva deste macaco já extinto.

Por exemplo, na Ásia subtropical onde viveu, o único ADN viável veio de fósseis de outros animais com mais de dez mil anos, de acordo com um novo estudo publicado agora na revista Nature.

No entanto, os autores do estudo desenvolveram recentemente um novo método para recuperar e reconstruir sequências de proteínas do esmalte dentário e testaram essa técnica num molar datado de há 1,9 milhões de anos. Então, os cientistas compararam o que encontraram com um banco de dados de sequências de proteínas de grandes símios que ainda existem nos dias de hoje.

“O que observámos foi o número de diferenças nas sequências. Assumimos que quanto menor o número de diferenças, mais próximas as duas espécies se relacionam, e mais tarde divergiram”, disse o autor principal do estudo, Enrico Cappellini, professor associado da Universidade de Copenhaga, na Dinamarca.

A equipa descobriu que o “Bigfoot” extinto não é um parente humano próximo, tal como os chimpanzés e os bonobos. Em vez disso, as sequências que mais se assemelhavam às proteínas do Gigantopithecus pertenciam aos orangotangos atuais, e acredita-se que a linhagem dos macacos gigantes se separou da dos primos há cerca de 12 a 10 milhões de anos, escreveram os cientistas no estudo.

O sucesso do seu método levanta possibilidades intrigantes para investigar sequências de proteínas noutros primatas extintos de áreas tropicais, “ou seja, espécies extintas mais intimamente associadas à nossa própria linhagem evolutiva”, disse Cappellini.

Nas reconstruções, o Gigantopithecus geralmente assemelha-se a um orangotango de grande dimensão. No passado, essas representações artísticas baseavam-se em informações limitadas dos fósseis e no que se sabia sobre a variedade de primatas e o habitat antigo.

Mas, embora as novas evidências confirmem uma estreita relação evolutiva entre os Gigantopithecus e os orangotangos, os dados não podem dizer aos cientistas qual era a aparência do macaco extinto, acrescentou o investigador.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Peritos da Ordem admitem práticas ilícitas na venda de produtos no BES e Banif

Os peritos da Ordem dos Advogados que analisaram as reclamações de lesados do BES e do Banif disseram esta segunda-feira aos jornalistas que encontraram indícios de práticas ilícitas na venda de produtos financeiros por aqueles …

Já há rascunho do acordo da COP25 (mas nada está ainda totalmente fechado)

Esta segunda-feira arranca a semana decisiva, depois de uma semana de trabalho técnico ara definir as linhas que vão dar origem ao documento final da 25.ª Convenção das Partes (COP25) da Convenção-Quadro das Nações Unidas …

Novos escalões de IRS só serão criados "a meio da legislatura"

Esta segunda-feira, o Governo disse aos parceiros sociais que só deverão acontecer "mexidas no IRS", nomeadamente a criação de novos escalões, a meio desta legislatura. O Governo de António Costa confirmou aos parceiros sociais que a …

Navios em Portugal poluem tanto quanto as oito cidades com mais carros

O transporte marítimo deve integrar o regime de comércio de licenças de emissão da União Europeia (UE), defendeu, esta segunda-feira, a associação ambientalista ZERO, exigindo limites de emissão de dióxido de carbono (CO2) para navios …

Já são conhecidos os nomeados aos Globos de Ouro. Netflix lidera com "O Irlandês" e "Marriage Story"

A cerimónia de entrega de prémios realiza-se a 5 de janeiro de 2020 no hotel Beverly Hilton, em Los Angeles, e será apresentada por Ricky Gervais. Já são conhecidos os nomeados à 77ª edição dos Globos …

Falhas na formação de médicos levam ministra a criar grupo de trabalho

A ministra da Saúde determinou a constituição de um grupo de trabalho para criar um manual de regras e procedimentos para a avaliação das capacidades de formação de médicos no SNS, depois de falhas apontadas …

Surto de sarampo leva Samoa a fechar escolas e serviços. Ativista anti-vacinação detido

Com o objetivo de conter o surto de sarampo que já matou 60 pessoas, o governo de Samoa está a pedir à população que coloque uma bandeira vermelha em frente às casas nais as pessoas …

Poluição do ar leva Sarajevo a cancelar todos os eventos públicos

As autoridades bósnias consideram que a poluição na capital do país, Sarajevo, atingiu níveis perigosos nos últimos dias. Perante a densa nuvem de nevoeiro que paira na cidade, o governo regional decidiu cancelar todos os …

A banana colada à parede que custou 108 mil euros foi comida

A banana mais cara do mundo, presa a uma parede com fita adesiva, foi descascada e comida por um artista que visitava o stand da galeria Perrotin, na feira de arte contemporânea Art Basel, nos …

Empresas norte-americanas reforçam domínio na venda global de armas

O Instituto Internacional de Estudos de Paz de Estocolmo (SIPRI) revelou esta segunda-feira que as empresas norte-americanas aumentaram o domínio no comércio global de armas em 2018, para 59% do volume total entre as 100 …