Químicos presentes em panelas e roupas encolhem (literalmente) a masculinidade

Um novo estudo científico concluiu que a exposição a altos níveis de compostos perfluoroalquílicos, mais conhecidos por PFCs, atrofia o crescimento dos órgãos sexuais masculinos, tornando os pénis mais pequenos e afectando também a fertilidade dos homens.

Investigadores da Universidade de Pádua, em Itália, concluíram que os PFCs,  compostos químicos usados na produção de panelas e frigideiras anti-aderentes ou em roupas impermeáveis, afectam “significativamente” o desenvolvimento dos órgãos sexuais masculinos, levando os pénis a crescerem menos e a ficarem mais finos.

Estes dados são divulgados no estudo publicado no Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism, onde se constata que a exposição a altos níveis de PFCs pode interferir com as hormonas masculinas. Os homens expostos a estes químicos ficam, assim, com pénis mais pequenos e menos grossos, e com espermatozóides menos móveis, o que afecta a sua capacidade de fertilidade.

O estudo cruzou dados relativos a 171 homens não expostos a estes químicos com informações de 212 homens da região de Veneto, cuja capital é Veneza e que é considerada “uma das quatro áreas do mundo altamente poluídas com PFCs”.

Veneto é fortemente afectada pelo escoamento de uma fábrica de produtos químicos e por uma estação de tratamento de águas residuais, como notam os investigadores, destacando a forte presença de PFCs na água. Shandong (China), West Virginia (EUA) e Dordrecht (Holanda) são as outras três regiões do mundo com elevados níveis destas substâncias.

Os investigadores mediram parâmetros “antropométricos” e “seminais” e as “hormonas sexuais” dos participantes, realizando também estudos bio-mecânicos em modelos experimentais.

Os resultados revelam que “níveis aumentados de PFCs no plasma e no fluido seminal estão positivamente correlacionados” com “a redução da qualidade do sémen, o volume testicular, o comprimento do pénis e a AGD [a distância anogenital]”. Uma AGD menor é um sinal de alguma anomalia na função reprodutora masculina.

Os homens da área não exposta aos químicos apresentavam uma média de comprimento do pénis flácido de 10 centímetros, enquanto os que cresceram na zona exposta aos PFCs tinham apenas 8,75 centímetros. Além disso, estes últimos tinham também pénis mais finos, embora aqui a diferença fosse menor, contando 9,65 centímetros de circunferência em comparação com os 10,3 centímetros dos primeiros.

Assim, os investigadores apontam que “os PFCs têm um impacto substancial na saúde humana, já que interferem com as vias hormonais, levando potencialmente à infertilidade masculina”.

“É muito difícil evitar contacto com PFCs”

Os PFCs são usados no revestimento anti-aderente de panelas e frigideiras, em copos de papel, no tratamento de produtos têxteis, como roupas impermeáveis e carpetes, e até em embalagens alimentares. Estão também presentes em algumas colas, em cosméticos, produtos de limpeza, vernizes, tintas, insecticidas, componentes electrónicos, em produtos de combate a incêndios, no isolamento de tubagens e em móveis tratados contra manchas.

Estes químicos já foram associados ao cancro, ao elevado colesterol, à obesidade e a perturbações hormonais, e há estudos que indicam também que podem despoletar menopausas precoces e perturbar o sistema imunitário.

Apesar disso, continuam a ser utilizados recorrentemente e mesmo que fossem proibidos, seria difícil livrarmos-nos da exposição, já que a presença dos PFCs na Terra vai manter-se para lá da sobrevivência da humanidade. Assim, os seus efeitos perniciosos vão continuar a ser uma ameaça.

Os investigadores destacam que “o primeiro relato de contaminação de água com PFCs reporta a 1977”, o que reflecte que “a magnitude do problema é alarmante, já que afecta uma geração inteira de indivíduos jovens, desde 1978 em diante”.

E não há muito a fazer, já que “é muito difícil evitar o contacto com qualquer PFC“, destaca um dos investigadores da pesquisa, Andrea Di Nisio, em declarações ao IFLScience.

“Pelo menos aqui em Itália, é muito difícil saber se um produto contém estes químicos”, aponta o investigador, frisando que mesmo quando “é explicitamente declarado ‘livre de PFOA'”, um dos PFCs mais utilizados, não há garantias de segurança “porque o PFOA é apenas um de centenas de possíveis compostos PFC, e podem todos ser perigosos”.

Perante este dilema, o próximo passo da investigação é tentar descobrir como é que se podem remover os PFCs da corrente sanguínea.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

DiCaprio explica como reverter a crise climática

Ice on Fire é um documentário HBO produzido e narrado pelo ator norte-americano Leonardo DiCaprio que retrata a atual crise climática. A grande produção foi discutida esta segunda-feira em Lisboa, onde se falou do contexto …

Descoberto fóssil de macaco que viveu há 4,2 milhões de anos no Quénia

Uma equipa internacional de investigadores descobriu restos fósseis de um pequeno macaco que viveu no Quénia há 4,2 milhões de anos. Os responsáveis pela investigação, que será publicada na revista Journal of Human Evolution, são cientistas …

Air France acusada de negligência no desastre do voo Rio de Janeiro-Paris

A justiça francesa acusou a Air France de negligência, na sequência da investigação ao acidente aéreo do voo Rio de Janeiro-Paris, que causou 228 mortos em 2009, confirmou esta quarta-feira a AFP. O Ministério Público considerou …

Governo "está preparado” para eventual greve dos camionistas

O ministro do Trabalho, Vieira da Silva, disse esta quarta-feira que “não perdeu as esperanças no esforço de conversação” com os representantes dos camionistas, mas garantiu que “o Governo está preparado para o que vier …

Carga misteriosa e contradições nos passageiros. Revelados novos dados sobre o MH370

A França é o único país que continua a investigar o desaparecimento do voo MH370 da Malaysia Airlines em Março de 2014. E emergem novos dados sobre o que apuraram os magistrados envolvidos no caso, …

Foi avistada uma alforreca gigante no Reino Unido

A alforreca gigante, a maior alguma vez encontrada em águas britânicas, foi avistada na Cornualha, no Reino Unido, no sábado, por uma bióloga e repórter da BBC. Segundo o Washington Post, a criatura foi avistada, no …

Montepio condenado a ressarcir cliente que culpou de ataque informático

O Tribunal da Relação de Guimarães condenou o banco Montepio a pagar a uma cliente de Barcelos os 28.596 euros que em quatro dias foram retirados da sua conta, na sequência de ataque informático. Por acórdão …

Crew Dragon. Já se sabe o que causou a misteriosa explosão da nave da SpaceX

A NASA e a SpaceX explicaram, finalmente, o motivo da explosão da nave espacial Crew Dragon. Apesar de terem sido divulgadas imagens da explosão, nenhuma das agências explicou as razões do desastre. As imagens da nave …

Turistas britânicos encorajados a afixar cartazes de Maddie durante as férias

Turistas britânicos com viagens marcadas para o estrangeiro estão a ser encorajados a levar cartazes de Madeleine McCann pela campanha oficial lançada pelos pais para encontrar a criança inglesa desaparecida em Portugal em 2007. “Vai de …

Crianças preferem ser YouTubers do que astronautas

A maioria das crianças entrevistadas prefere mais ser YouTuber do que ser astronauta. De uma lista de cinco profissões, a de cosmonauta foi a menos escolhida entre crianças americanas e britânicas. Há 50 anos, a ida …