Parkinson. Medicamento experimental reduz movimento involuntário em macacos

Um novo estudo analisou um medicamento experimental para combater o efeito colateral da discinesia. Os resultados parecem dar esperança para um futuro tratamento para pacientes que sofrem de Parkinson.

Os pacientes de Parkinson sofrem de sintomas que afetam os seus movimentos, incluindo discinesia, que causa movimentos involuntários e torna as tarefas diárias um verdadeiro desafio. Agora, um novo estudo explorou o potencial de um medicamento experimental que reduz a sua gravidade – pelo menos em macacos.

A discinesia não é um sintoma direto do Parkinson, mas pode surgir como um efeito colateral de um fármaco comum no tratamento desta doença, chamado levodopa, que é transportado para o cérebro e convertido em dopamina. A deficiência de células de dopamina é considerada um fator-chave da doença de Parkinson, e fármacos como o levodopa podem ser usados para resolver o problema.

No entanto, cerca de metade dos pacientes que sofrem de Parkinson, e que tomam este medicamento, sofrem de discinesia cinco anos depois do tratamento. Já 80% sofrem este efeito colateral 10 anos depois.

Num recente estudo, financiado pelo Parkinson’s UK e realizado por uma empresa norte-americana de biotecnologia, a Neurolixis, os cientistas começaram a explorar a hipótese de a discinesia poder ser tratada com um medicamento experimental, chamado NLX-112.

Segundo o New Atlas, o NLX-112 tem como alvo os elementos do sistema de serotonina do cérebro que os cientistas acreditam impulsionar a discinesia. Ao limitar a capacidade destas células de libertar quantidades flutuantes de dopamina, o NLX-112 foi projetado para trazer alguma estabilidade e facilitar a natureza irregular dos sintomas da discinesia.

Os cientistas realizaram várias experiências em saguis, macacos da família dos Calitriquídeos, com sintomas semelhantes aos do Parkinson e discinesia, após um tratamento contínuo com levodopa. De acordo com os resultados, o NLX-112 reduziu com sucesso a discinesia, sem afetar significativamente a eficácia da levodopa.

Fármacos semelhantes a NLX-112 foram capazes de suprimir a discinesia, mas prejudicaram a eficácia da levodopa. Esta descoberta é um grande passo num futuro tratamento para a doença de Parkinson. O artigo científico foi publicado recentemente na Neuropharmacology.

Se este fármaco promissor resultar em seres humanos, poderá aliviar significativamente a discinesia que impede muitos pacientes de Parkinson de realizar tarefas diárias, melhorando a sua qualidade de vida.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

O nosso cabelo sabe o que comemos, onde moramos e quanto custou o corte

Milímetro a milímetro, o cabelo constrói um registo da nossa dieta. Como os fios de cabelo são construídos a partir de aminoácidos, preservam os traços químicos da proteína da comida que ingerimos. Os fios de cabelo …

Não foram meteoros. Uma forte atividade vulcânica arrefeceu a Terra há 13 mil anos

Porque é que a Terra arrefeceu repentinamente há 13 mil anos? Sedimentos antigos encontrados numa caverna no Texas, nos Estados Unidos, parecem ter resolvido este grande mistério. Alguns cientistas acreditam que o fenómeno que arrefeceu repentinamente …

Novo método prevê erupções solares com algumas horas de antecedência

Um novo método capaz de prever explosões solares poderia ajudar a Humanidade a preparar-se contra possíveis desastres causados por este fenómeno explosivo da nossa estrela. As erupções solares são explosões que ocorrem na superfície do Sol …

Mulan a preço premium estreia na Disney+ em setembro

A adaptação live-action de Mulan tem nova data de estreia. O anúncio foi feito pela Disney nesta terça-feira (4). O filme chega à plataforma de streaming Disney+ no dia 4 de setembro, estando disponível em …

Belgas trocam as voltas à pandemia e passam férias nas árvores

Enquanto uns passam o verão em casa, outros atrevem-se a ter uma experiência diferente. Alguns belgas estão a passar as noites de verão pendurados em árvores, em tendas em forma de lágrima. A pandemia de covid-19 …

Máscara inteligente traduz até oito línguas (mas não protege do coronavírus)

Esta máscara inteligente, criada por uma empresa japonesa, consegue traduzir o discurso do seu utilizador em várias línguas (mas, por si só, não o protege do novo coronavírus). Quando a pandemia de covid-19 transformou as máscaras …

Empresa fica com excedente de 40 mil quilos de frutos secos devido à covid-19

A GNS Foods, a empresa que nos últimos 30 anos forneceu os frutos secos à American Airlines, ficou com um excedente de 40 mil quilos por causa de restrições impostas devido à covid-19. Servir frutos secos …

Astronautas da NASA fizeram partidas por telefone para "matar" tempo durante o regresso à Terra

Os astronautas da NASA Bob Behnken e Doug Hurley fizeram algumas partidas por telefone durante o regresso à Terra a bordo cápsula Dragon, da empresa SpaceX de Elon Musk, num voo que foi duplamente histórico. …

Em plena pandemia, há um venezuelano que assegura os funerais no Peru

Ronald Marín é a última esperança para os habitantes de Comas, em Lima. O venezuelano é o único que realiza funerais católicos num cemitério longe do centro da capital, em plena pandemia. Vestido com uma túnica …

Covid-19 pôs mais de um milhão de portugueses em teletrabalho no 2.º trimestre

Um milhão de pessoas esteve em teletrabalho no segundo trimestre, sobretudo devido à covid-19, o equivalente a 23,1% da população empregada, enquanto mais de 600 mil não trabalharam nem no emprego nem em casa. De acordo …