No Paquistão, uma adolescente anda porta a porta a romper casamentos infantis

Nos últimos sete anos, uma jovem ativista tomou como missão garantir que não havia casamentos infantis na zona onde morava, indo porta a porta suplicar às crianças que não casem e terminem os estudos.

De acordo com o OZY, Hadiqa Bashir, agora com 18 anos, tem passado os últimos sete anos a bater às portas da região onde vive, no Paquistão, para convencer os pais de meninas a romper os casamentos infantis. Até agora, Bashir conseguiu acabar com entre 10 a 15 casamentos e convencer 5 dos 25 imãs da região a falar da situação problemática criada pelos casamentos infantis.

Todos os anos, 12 milhões de meninas casam antes de completar 18 anos – quase uma menina a casa três segundos. O casamento infantil ocorre em vários países, culturas e religiões. No Paquistão, 18,3% das meninas casam-se antes dos 18 anos e 3,6% antes dos 15 anos, de acordo com a UNICEF.



Segundo Qamar Naseem, ativista dos direitos da criança de Blue Veins, uma organização paquistanesa, o país não tem nenhuma lei federal contra o casamento infantil, deixando leis locais desiguais, algumas das quais impõem multas mínimas aos pais de crianças noivas.

O sentimento de que esta prática estava errada despertou em Bashir no casamento de uma amiga quando tinham apenas sete anos. “Quando a minha amiga se casou, pensámos que seria como um casamento de bonecas”, disse. “Mas ela desapareceu da escola e contou-nos que o marido lhe batia. Eu estava com um medo inacreditável”.

Para Bashir, a luta é pessoal. A avó queria casá-la, de acordo com a tradição local, com um taxista local quando tinha 11 anos. “A minha família achou que era uma boa combinação. Mas lutei contra a decisão e até os ameacei com consequências legais”, disse.

No entanto, a jovem também teve apoio dentro da família, uma vez que o pai, tia e tio são conhecidos defensores dos direitos humanos – algo que a maior parte das meninas no Paquistão não têm.

Agora, Bashir vai porta a porta tentar romper casamentos infantis. O OZY conta a história de uma menina de 12 anos que a jovem ativista salvou de um casamento um dia antes da cerimónia. Bashir esteve horas a tentar dissuadir os pais da criança.

“Foi difícil, pois a família não tinha dinheiro para mandar a menina para a escola e achava que o casamento era a melhor opção para manter a menina saudável e viva”, contou. Bashir teve de lhes prometer que a sua organização, Girls United for Human Rights, iria providenciar os livros e o uniforme escolar da menina.

Agora, Bashir planeia estudar Direito “para que possa fazer uma mudança legal no sistema”, afirmou. A jovem também está a trabalhar num projeto novo. “Estou a colaborar com outras pessoas para escrever e criar uma história em banda desenhada através da qual quero falar sobre a luta das mulheres e, especialmente, focar na menstruação”.

“Não vou parar o que comecei”, garantiu. “Porque é pessoal. É sobre as minhas irmãs”.

  ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns! Gosto muito da linha editorial de vocês. Jornalismo sério. Muito bom. Ótima pauta. Acompanho vocês desde 2019 quando estive em Portugal com minha esposa. Compartilho com frequência as notícias do zap.aeiou no meu perfil do Facebook. Sou brasileiro da cidade de São Paulo, Estado de São Paulo.

RESPONDER

Universidade no Reino Unido tem arquivo de "casas assombradas"

A Universidade de Sheffield, no Reino Unido, tem um arquivo aberto ao público com quase 80 mil fotografias de "casas assombradas" de várias feiras populares. Para muitos, o medo é parte integrante da experiência de uma …

J&J acusada de usar manobra para impedir processos judiciais relativos à venda de pó de talco com propriedades cancerígenas

A Johnson & Johnson está a ser criticada por usar uma manobra para impedir cerca de 38 mil processos judiciais que alegam que o famoso baby powder da marca causa cancro. De acordo com a NPR, …

Tondela 1-3 FC Porto | Hat-trick de Taremi castiga insolência beirã

O iraniano Mehdi Taremi foi a grande figura da vitória do FC Porto em casa do Tondela, por 3-1. Os homens da casa marcaram primeiro, mas cedo se viram reduzidos a dez elementos e tiveram …

Chamam-lhe "Lady Trump". A candidata a governadora do Nevada que está a gerar polémica

Conhecida como "Lady Trump", Michele Fiore anunciou a sua candidatura a governadora do estado do Nevada em estilo, gerando polémica nos Estados Unidos. Michele Fiore, vereadora de Las Vegas, anunciou esta terça-feira a sua candidatura a …

Benfica abre inquérito a envolvimento de colaboradores em negócio de ações da SAD

O Benfica abriu um inquérito interno para averiguar o possível envolvimento de dois colaboradores num eventual negócio de transação de ações da SAD ‘encarnada’, informou hoje o clube, em comunicado. “Tendo em conta as recentes notícias …

Um hipopótamo na água

Tribunal norte-americano reconhece hipopótamos de Pablo Escobar como pessoas jurídicas

O grupo de hipopótamos, mais uma parte do legado deixado na Colômbia por Pablo Escobar, recebeu o estatuto de "pessoas jurídicas". Um tribunal federal dos Estados Unidos defendeu que os descendentes dos hipopótamos do barão da …

Mais rapidez e menos ruído. E-bikes permitem que militares em ação passem despercebidos

Os soldados do Regimento de Cavalaria da Infantaria Montada de Queensland, na Austrália, estão a testar e-bikes para perceber se o veículo poderá ser uma opção válida para operações no terreno. Passar despercebido no terreno é …

Oposição critica Governo de El Salvador por usar a covid-19 para limitar manifestações

Na quarta-feira, a Assembleia Legislativa de El Salvador aprovou um decreto que proíbe reuniões públicas e privadas que não estejam relacionadas com as artes, cultura ou desporto até 8 de dezembro. Segundo a Vice, apesar de …

Portugal com mais 883 casos confirmados e quatro mortes

Portugal regista hoje mais 883 casos confirmados de covid-19 e quatro óbitos pela doença, assim como 729 pessoas recuperadas e menos internamentos em enfermaria e unidades de cuidados intensivos, de acordo com o boletim diário. Segundo …

Um boneco do Super-Homem a voar

Indianos declaram "guerra" ao Super-Homem e à Mulher-Maravilha

Injustice, o último filme de animação da DC Comics, deixou alguns indianos muito perto de um ataque de fúria. Cenas em que o Super-Homem e a Mulher-Maravilha surgem a lutar contra militares indianos e a …