/

Palácio mais antigo da China é descoberto perto de antiga capital. Tem mais de 5000 anos

Facebook

Palácio de Shuanghuaishu, o mais antigo da China

Um Palácio descoberto no sítio arqueológico de Shuanghuaishu, nos arredores da cidade de Zhengzhou, uma das oito capitais antigas da China, foi construído por volta de 3300 a.C., ou seja, tem atualmente cerca de 5.300 anos. Esta é possivelmente a estrutura mais antiga deste tipo na China.

Quando foi descoberto, em 2017, o palácio localizado no sítio de Erlitou, na província de Henan — construído entre 1800 a.C. e 1500 a.C. — passou a ser considerado o mais antigo da China. Mais tarde, no mesmo ano, outro palácio foi encontrado em Taosi, uma província de Shanxi, tendo sido datado entre 2300 a.C. e 1900 a.C.

Agora, com a recente descoberta do palácio de Shuanghuaishu, o processo de construção das primeiras estruturas deste tipo viu a sua data de origem ser registada cerca de mil anos antes.

Com 5 mil anos, a estrutura milenar corrige o erro de que os primeiros palácios teriam sido construídos durante a Dinastia Xia.

A estrutura de arquitetura tradicional, que foi construída sobre um local de 4.300 metros quadrados, conta dois pátios de 1.300 e 1.500 metros quadrados. Um deles possui três portas, enquanto o outro se assemelha a um pátio típico de palácio chinês, com o território dividido entre a área administrativa e a de lazer.

He Nu, arqueólogo da Academia Chinesa de Ciências Sociais, disse à agência Xinhua que a descoberta no sítio arqueológico de Shuanghuaishu não representa um caso isolado, mas faz parte da tradição chinesa da construção de palácios.

“A organização do espaço dos grandes pátios e do complexo palaciano onde a área administrativa é colocada em frente à área de habitação da família real, criou um precedente para o sistema de palácios na China”, explicou o arqueólogo chinês.

Recentemente, foi também descoberto na China um raro mural da vida de um domador de cavalos da era da Dinastia Tang que se situa entre 618 d.C. e 907 d.C., revela a agência Sputnik.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.